Partes íntimas ganham espaço na rotina de cuidados: conheça o skintimates

22 de julho, 2022

O autocuidado é um tema que está cada vez mais em alta e, entre todos os fatores que levam a ele, está também a rotina de cuidados de beleza com a pele, o cabelo e até mesmo as partes íntimas.

Prova disso é que já existe até um nome popularizado fora do país para o que seria o skincare dedicado à região íntima: skintimates.

Apesar de o termo não possuir tradução do inglês para o português, ele é uma junção das palavras “skin” e “intimates”, que quer dizer “pele” e “íntima”.

Mas, afinal, ele se assemelha à rotina de cuidados já conhecida para a pele? Para esclarecer esta e outras dúvidas, consultamos a médica ginecologista Ana Flávia Cavalcante, de Goiânia, Goiás.

Leia também: Autocuidado: Afinal, o que é, como fazer e benefícios

Cuidados básicos para a pele das partes íntimas

Segundo a profissional, a pele das partes íntimas tem um pH mais baixo que a do restante do corpo.

Desta forma, ela sugere que os cuidados básicos com esta região devem começar com o uso de um sabonete íntimo testado dermatologicamente. O produto, contudo, deve ser de preferência sem aroma ou cor, para não causar alergia.

“A pele da vulva deveria ser lavada com sabão apenas uma vez ao dia, porque é uma área muito delicada. Já a virilha, região perianal e glúteos, podem ser lavados quantas vezes forem necessárias”, orienta.

Além disso, a região da virilha pode ter uma sudorese intensa, portanto também pede cuidado específico.

“Sugiro o uso de desodorante roll on sem álcool para essa região. Ele melhorará bastante o odor no final do dia.”

Leia também: Cuidados que você tem que ter com a saúde íntima

Quais são as queixas mais comuns sobre a pele nestas regiões?

Quando o assunto é a aparência da região íntima, Ana Flávia afirma que a queixa mais comum entre suas pacientes é o escurecimento da região íntima. Isso, segundo ela, inclui a vulva, virilha e região perianal.

“Esse escurecimento é geralmente desencadeado por algum fator agressor local, como depilação, calcinhas e roupas apertadas, alergias crônicas a absorventes, protetores diários e aos tecidos das calcinhas”, explica.

Vale ressaltar que, atualmente, existe o chamado “rejuvenescimento vaginal”, que trata estes e outros incômodos de mulheres quanto a suas partes íntimas.

Dentro das opções de tratamentos, o clareamento é um dos mais desejados, de acordo com profissionais.

Além disso, outro incômodo bastante comum é a foliculite e a hidradenite.

Leia também: Afinal, o que é foliculite? Veja causas, tratamento e como evitar o problema

O primeiro se trata de uma inflamação dos bulbos onde os pelos crescem e, o segundo, uma doença inflamatória do folículo, com surgimento de nódulos em áreas como a virilha.

Para ambos os casos, a profissional afirma que apostar em depilação à laser e usar roupas leves e não tão coladas ao corpo podem ser a solução.

Por fim, também é comum que as pacientes reclamem da falta de volume local, principalmente na vulva. Para este incômodo, a médica indica a aplicação de ácido hialurônico local.

Leia também: Bumbum care: 5 cuidados focados na região dos glúteos

Então, como fazer o skintimate?

Normalmente, o skincare é composto por uma série de etapas, incluindo limpeza, hidratação, esfoliação, cosméticos com ativos, proteção solar, entre outras.

Já quando falamos em cuidados com as partes íntimas, não é necessário nem saudável passar por todos estes passos.

Segundo Ana Flávia, o ideal é higienizar região quantas vezes for preciso. O sabonete íntimo, contudo, deve ser usado apenas uma vez ao dia na vulva.

“Virilha e região do ânus estão liberadas para serem lavadas com sabão íntimo mais vezes se necessário. Já na região glútea pode ser usado qualquer sabão líquido hidratante, para manter a qualidade da pele”, ela sugere.

Leia também: Sabonete íntimo: vale a pena usar? Conheça mais

A profissional explica, ainda, que é possível usar hidratantes nas regiões íntimas. Contudo, o ideal é que os produtos sejam sem cheiro, para evitar irritações e manter a saúde da pele local.

Já quanto à esfoliação, o indicado é fazer apenas na região dos glúteos, de uma ou duas vezes por semana, para não agredir muito a região.

“Existem cremes clareadores excelentes para a área da vulva e virilha, que podem ser usados como skincare diário, mas devem ser prescritos por um médico”, complementa.

Fontes: Ana Flávia Cavalcante, médica ginecologista e membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, de Goiás; Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Sobre o autor

Ana Paula Ferreira
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em beleza e bem-estar.