Introdução alimentar: Dicas de como facilitar o processo

Alimentação Bem-estar Gravidez e maternidade Saúde
06 de Agosto, 2021
Introdução alimentar: Dicas de como facilitar o processo

A introdução alimentar acontece quando é necessário adicionar outros alimentos além do leite materno ao cardápio das crianças. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e com o Ministério da Saúde (MS), esse processo deve ser feito após seis meses de vida.

Assim, para muitos, a introdução alimentar pode ser um bicho de sete cabeças. Mas com algumas dicas, você pode encarar essa fase com tranquilidade. 

A nutricionista Renata Branco diz que o importante é tentar inserir os alimentos na dieta dos pequenos de forma criativa.

Tente a introdução alimentar das crianças aos poucos 

É normal, no início, a criança rejeitar certos alimentos. Isso porque desde a gestação, os pequenos já têm contato com a alimentação da mãe, e essa memória pode ser levada para o resto de sua vida.

“A fase mais comum é nos 2 anos e na fase pré-escolar, pois o processamento sensorial é o responsável por organizar o significado das sensações, seja um toque, um sabor ou um cheiro maravilhoso de um prato” explica a especialista.

Contudo, não desista de apresentá-lo novamente ao ingrediente. Tente aos poucos, mudando a textura, a forma de preparo ou o tempero. Dessa maneira, tenha calma e busque caprichar na introdução alimentar.

Nunca force-os a comer

Por mais que seu filho não queira ingerir alguns alimentos, lembre-se de agir de forma natural, evitando possíveis traumas.

“Se o seu filho recusar algum alimento, não force, ameace ou até mesmo utilize recompensas. Mesmo a criança recusando aquele alimento, não deixe de colocar no prato dele. Muitas mães gostam de fazer misturinhas escondendo os legumes e verduras, não tem problema fazer isso” afirma Renata.

Diga não aos industrializados

Ter uma alimentação equilibrada na infância e na adolescência é determinante para o desenvolvimento saudável de uma criança. Dessa forma, é importante para a prevenção de doenças como anemia, obesidade e cárie dental, além de condições crônicas como doenças cardíacas, diabetes, hipertensão e osteoporose.

Mas para isso, a nutricionista explica que é fundamental que as crianças tenham o mínimo de contato com alimentos industrializados. 

Leia mais em: Saiba como diminuir o colesterol em crianças

“Uma alimentação saudável não significa uma alimentação cara ou de difícil acesso. Fazem parte de uma alimentação de verdade muitos alimentos ‘in natura’, tais como: feijão, arroz, milho, trigo, frutas, legumes, verduras, sementes e castanhas. Eles devem ser consumidos em porções adequadas todos os dias para garantir os nutrientes essenciais ao organismo”, afirma.

Além disso, uma dica é visar descascar mais e desembalar menos.

“Se seu filho não quiser comer, não troque a comida por um lanche (pães, biscoitos, bolos, massas, embutidos) e espere outro momento para oferecer outra refeição saudável”, finaliza Renata.

Alimentos indicados para a introdução alimentar

Veja, abaixo, a lista de alimentos indicados por Renata Branco para a introdução alimentar. Os principais itens incluem carboidratos, proteínas, vitaminas A e C, ferro, zinco e cálcio, fibras e gorduras boas. 

Fonte: Renata Branco, nutricionista.

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.

Leia também:

montagem com as fotos de Wagner
Saúde

Ele já fez mais de 100 doações de sangue e plaquetas: “dar um pouco da minha saúde para quem precisa”

Conheça a história de Wagner Hirata, que tem as doações de sangue e plaquetas como um de seus propósitos de vida

ator Cauã Reymond segurando um garfo e uma faca e usando um babador
Alimentação Bem-estar

Cauã Reymond mostra jantar saudável com sopa, frango e legumes

Ator compartilhou em suas redes socais o que comeu na noite de Dia dos Namorados (12/06). Confira o jantar de Cauã Reymond

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte