Infecção urinária na gravidez: Principais sintomas e riscos

Gravidez e maternidade Saúde
23 de Outubro, 2023
Infecção urinária na gravidez: Principais sintomas e riscos

A infecção urinária precisa de tratamento adequado, especialmente quando se está esperando um bebê. Na gravidez, ocorrem alterações no organismo da mulher que favorecem o desenvolvimento bacteriano no trato urinário. A compressão da bexiga pelo útero que está crescendo e a ação relaxante da progesterona nos ureteres predispõe que bactérias da pele ou do trato gastrointestinal se proliferem no trato urinário, levando à infecção urinária na gravidez. Entenda mais sobre a condição e como tratá-la.

Leia mais: Vacina contra infecção urinária: como funciona e quando tomar

O que é a infecção urinária? 

A infecção do trato urinário (ITU) é definida como a multiplicação de micro-organismos no trato urinário, o que pode causar sintomas. Assim, existem vários agentes responsáveis pela infecção urinária, como Escherichia coli (65-80% dos casos), Klebisiella, Enterococcus faecalis, Streptococcus do grupo B, Ureaplasma urealyticum, entre outros.  

Sintomas de infecção urinária na gravidez

Como consequência da infecção urinária na gravidez, a mulher pode apresentar alguns sintomas. Por exemplo, dor e ardência ao urinar, sensação de não ter feito toda a urina após a micção, vontade frequente de ir ao banheiro e dor no baixo ventre. Além disso, outro sinal que pode ocorrer na infecção urinária é a presença de pequenos feixes de sangue na urina.

Em alguns casos, a infecção urinária também pode acometer além da bexiga, chegando nos rins, situação chamada de pielonefrite. Assim, esse quadro, caracterizado por febre, calafrios, dor lombar e prostração é uma das complicações na gestação. Dessa maneira, quaisquer desses sintomas precisam de atenção e rápida ação.  

Diagnóstico e tratamento da infecção urinária na gravidez

O diagnóstico de ITU é clínico e confirmado laboratorialmente por exames de urina que indicam se há contaminação bacteriana. Desse modo, a condição surge quando há agentes infecciosos na urina, em quantidades superiores a 100.000 unidades por mililitro de urina (ufc/ml). Esta contagem é feita através do exame de urocultura que analisa o crescimento de colônias de bactérias em uma amostra de urina.

Já o tratamento é feito com antibióticos, medicamentos que aliviam as dores e a febre (se houver) e hidratação. Mas, casos complicados podem exigir a internação da gestante e uso de medicamentos endovenosos. Além do tratamento medicamentoso, a gestante deve manter uma boa hidratação, repouso adequado e adotar medidas para aliviar o desconforto, como a aplicação de compressas quentes na região abdominal inferior.

Condição prejudica o bebê? 

Não há nenhum risco para o bebê quando a mãe faz o tratamento adequado; porém, se os sintomas forem desprezados e a gestante não procurar auxílio médico, é possível que a infecção urinária se espalhe pelo organismo e favoreça um parto prematuro ou um aborto.  

Leia também: Descolamento da placenta: afinal, o que é e quais os riscos

Como evitar

  • Redobre os cuidados íntimos. Ou seja, tenha cuidado com a higiene pessoal e sempre que usar o banheiro, primeiro faça a higienização da vagina e depois a do ânus para evitar que as bactérias da região se proliferem na uretra 
  • Beba pelo menos dois litros de água ao dia.
  • Não segure a urina. Vá ao banheiro sempre que sentir vontade.
  • Urine depois das relações sexuais.
  • Prefira usar calcinhas de algodão. Além disso, evite usar roupas apertadas.
  • Por fim, evite duchas vaginais e produtos químicos na região íntima.

Fonte: Priscilla Caldeira (CRM 176077) – graduada em Ginecologia e Obstetrícia, com especialização em Reprodução Humana pela USP. É médica da Maternidade Santa Joana e Pró- Matre Paulista.

Referência: Ministério da Saúde.

Leia também: Afinal, como lidar com a fome excessiva na gravidez?

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte

Reynaldo Gianecchini
Saúde

Reynaldo Gianecchini revela diagnóstico de doença autoimune

A síndrome de Guillain Barré causa fraqueza e dificuldades para mover os braços e as pernas

pés de pessoas calçando botas andando no meio de uma enchente
Saúde

Dengue ou leptospirose? Como diferenciar os sintomas

Após cheias como as do Rio Grande do Sul, as duas doenças podem coexistir e infectar simultaneamente a população; orientação é procurar atendimento médico para o diagnóstico