IMC infantil: Veja dicas de como calcular o peso ideal

20 de agosto, 2019

Você sabe o que é e como calcular o IMC infantil? Seja por razões estéticas ou de saúde, todo mundo quer estar de bem com o peso do corpo. Mas, poucas pessoas sabem exatamente qual é o peso ideal para determinada altura. Criado no século 19 pelo matemático Lambert Quételet, o Índice de Massa Corporal, conhecido pela sigla IMC, é um cálculo simples que permite medir se alguém está ou não com o peso ideal.

Assim, essa é uma das medidas mais utilizadas para definir se uma pessoa está excessivamente magra, saudável ou acima do peso. Ou seja, basta dividir o peso, em quilos, pelo valor da altura, em metros, ao quadrado.

Como calcular o IMC infantil

Porém, para crianças, a avaliação do estado nutricional leva em conta um conjunto maior de parâmetros. Assim, de acordo com o Ministério da Saúde, além da análise do IMC infantil, feita de acordo com a idade, leva-se em conta outros fatores, como estatura para idade, peso em relação à estatura e o peso em relação à idade. Portanto, esses fatores devem ser considerados conforme a faixa etária, assim como ocorre com a tabela de classificação do IMC para esse grupo.

A avaliação do peso em crianças menores de 10 anos é mais complexa, pois utiliza indicadores diferentes para subgrupos diferentes (0 a 2 anos, 2 a 5 anos e 5 a 10 anos). Dessa maneira, para mais informações, busque a orientação de um profissional de saúde.

Além do IMC infantil: Como fazer seu filho ter uma alimentação saudável

Muito além do IMC infantil, uma dieta balanceada é essencial para o bem-estar em todas as fases da vida. Por isso, fazer o filho ter uma alimentação mais saudável deve ser alvo de preocupação dos pais.

Durante a infância, quando o organismo está crescendo e se desenvolvendo, a alimentação tem um papel ainda mais importante. Também, os hábitos alimentares da idade adulta estão relacionados com os do período infantil. Portanto, a promoção de comportamentos alimentares saudáveis deve ser incentivada logo nos primeiros anos, para que permaneçam ao longo dos anos.

Porém, a rotina com filhos é corrida nem sempre é possível priorizar uma alimentação balanceada para a família. Os erros mais comuns na alimentação infantil incluem comer diariamente industrializados, como bolachas, bolos e refrigerante, que são ricos em açúcar e gordura, e comer poucos legumes, verduras e frutas. Contudo, com um cardápio balanceado e colorido, feito com comida de verdade e sem grandes invenções, geralmente a criança conseguirá as quantidade ideais de cada nutriente.

Então, para reverter o cenário e fazer seu filho ter uma alimentação mais saudável não dá para fugir: o exemplo deve vir de casa e partir da família. Veja algumas dicas: 

Seja o melhor modelo de alimentação para seu filho

É importante que as crianças tenham um bom exemplo do que é uma alimentação saudável dentro de casa. Assim, como costumam imitar as atitudes dos pais, é preciso unir a família inteira na mudança dos hábitos alimentares. Ações simples, como não comprar guloseimas para casa e ter sempre salada na mesa do almoço e do jantar fazem a diferença. 

Também, tanto na infância quanto na idade adulta, os princípios de uma vida saudável são os mesmos. Todo mundo precisa dos mesmos tipos de nutrientes – como minerais, carboidratos, gorduras e proteínas. É claro que as porções são diferentes, mas a comida deve ser a mesma para todos.

Leia também: Como voltar ao corpo de antes da gravidez

Comer novos alimentos na frente dos filhos

Para estimular seu filho a provar novos sabores, uma boa estratégia é comer alimentos nutritivos na frente dele, para que veja o quanto são gostosos e saudáveis.

Muitas vezes as crianças não consomem frutas, verdura e preparações diferentes porque os próprios pais também não têm esse hábito. Portanto, é preciso mudar a rotina de alimentação familiar. 

Deixar as crianças participarem da cozinha

Cozinhar é uma prática aliada da alimentação saudável infantil, e, consequentemente, uma importante ferramenta de combate a doenças como obesidade. 

Claro que a falta de tempo faz com que as pessoas cozinhem menos hoje em dia. Mas, é possível fazer coisas simples, em pouco tempo e sem grandes habilidades culinárias. Saladas, bolos caseiros, um lanche gostoso e legumes são algumas opções. 

Da mesma forma, permitir que os filhos ajudem na preparação da comida também é uma ótima forma de estimulá-los a conhecerem os alimentos e experimentar novos sabores. 

Evitar distrações na hora da refeição

Fazer da hora da refeição um momento tranquilo e especial é o que prega o mindful eating, técnica milenar bastante usada na nutrição comportamental e que propõe a conscientização dos sinais e das respostas ao ato de nutrir-se, mantendo a curiosidade no sentido de buscar a percepção das sensações. Com isso, é importante evitar distrações à mesa, como televisão, tablet ou celular, regra que vale tanto para os filhos quanto para os pais. 

Leia também: IMC: Saiba o que é e como calcular

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.