Hipoglicemia: o que é, as causas e os sintomas

25 de maio, 2022

A hipoglicemia é um distúrbio provocado pela baixa concentração de glicose no sangue. Geralmente, o organismo mantém o nível de glicose entre 70 a 110 mg/dl, mas pessoas com a condição não atingem esse valor. A condição não é comum entre pessoas sem diabetes, já que uma de suas principais causas são os efeitos colaterais dos medicamentos para tratar a doença.

Leia mais: Glicemia em jejum: o que é e para que serve o exame

Causas

A causa mais comum da hipoglicemia são os medicamentos tomados para controlar o diabetes. Mais raramente, pode também ser causada por outros medicamentos, além de doença crítica ou insuficiência de órgão, reação a carboidratos (em pessoas suscetíveis), tumor produtor de insulina no pâncreas ou alguns tipos de cirurgia bariátrica (para perda de peso).

Tipos de hipoglicemia

Quando a quantidade de açúcar no sangue vai para baixo de 70mg/dL, é sinal de hipoglicemia. Assim, é caracterizada quando a glicemia é menor que 55 mg/dl com sintomas ou menor que 45 mg/dl sem sintomas. Nesse sentido, existem dois tipos principais: a hipoglicemia de jejum e a pós-prandial (ou reativa). As causas de cada tipo são:

Causas da hipoglicemia de jejum 

  • Produção excessiva de insulina pelo pâncreas;
  • Uso incorreto de medicamentos utilizados no tratamento de diabetes (por exemplo, ao tomar doses maiores que as indicadas);
  • Insuficiência hepática, cardíaca ou renal;
  • Tumores pancreáticos;
  • Consumo de álcool;
  • Excesso de atividade física sem compensação na alimentação;
  • Deficiência dos hormônios que ajudam a liberar glicogênio.

Causas da hipoglicemia reativa

A hipoglicemia pós-prandial ou reativa ocorre por volta de 3 a 5 horas depois das refeições, como resultado do desequilíbrio entre os níveis de glicose e de insulina no sangue. Em geral, ela se manifesta em pessoas predispostas depois da ingestão de alimentos ricos em açúcar, nos pacientes submetidos à cirurgia do estômago e naqueles em fase inicial da resistência à insulina. No entanto, esse tipo de reação é raro.

Leia mais: Hipoglicemia reativa: O que é, como evitar e riscos para a saúde

Sintomas

A queda da glicose no sangue provoca sintomas como fome, sudorese, tremores, fadiga, fraqueza e incapacidade de pensar claramente, enquanto a hipoglicemia grave provoca sintomas, como confusão, convulsões e coma.

Os sintomas raramente se manifestam antes de o nível de glicose no sangue ter caído para menos de 60 mg/dl (3,3 mmol/l). Além disso, algumas pessoas manifestam sintomas quando o valor fica ligeiramente mais alto, especialmente quando os níveis de glicose no sangue diminuem rapidamente, e algumas não apresentam sintomas até que os valores estejam muito baixos.

Consequências da hipoglicemia

Níveis muito baixos de glicose no sangue podem interferir no funcionamento de determinados órgãos. O cérebro, por exemplo, é particularmente sensível aos baixos níveis de glicose, pois o açúcar é sua principal fonte de energia. Para evitar que os níveis de glicose no sangue caiam muito abaixo do intervalo habitual, o cérebro responde estimulando a liberação de adrenalina (epinefrina), cortisol, glucagon e o famoso hormônio do crescimento.

Todos esses hormônios fazem com que o fígado secrete glicose no sangue, mas ainda é insuficiente para superar a hipoglicemia. Ou seja, se o nível de glicose no sangue permanecer muito baixo, o cérebro não recebe energia suficiente, o que resulta em confusão, convulsões ou perda de consciência. Além disso, eu sua forma mais grave e prolongada, pode causar danos permanentes ao cérebro.

Diagnóstico

O diagnóstico toma por base a presença de níveis baixos de glicose no sangue enquanto a pessoa está apresentando sintomas. Assim, exames de sangue são necessários para medir o nível de glicose. Outros exames podem ser solicitados quando a relação entre os sintomas e o nível de glicose no sangue permanecer incerta em uma pessoa que não é diabética. Frequentemente, a etapa seguinte é a medição do nível de glicose no sangue após um período de jejum em um hospital ou em outro ambiente rigorosamente supervisionado. É possível que exames mais abrangentes também sejam necessários.

Tratamento

O tratamento da hipoglicemia inclui o consumo de açúcar para aumentar o nível de glicose no sangue, mudança nas doses do medicamento, bem como na alimentação, que deve incluir pequenas refeições durante o dia e, por fim, cirurgia para remover um tumor. Durante a crise de hipoglicemia, o tratamento recomendado é a ingestão de 15 gramas de carboidrato na forma de sucos, glicose pura ou doces.

Leia mais: Saiba o que fazer em uma crise de hipoglicemia

Referências: MSD Manuals e Sociedade Brasileira de Endocrinologia.

Sobre o autor

Fernanda Lima
Jornalista e Subeditora da Vitat. Especialista em saúde