Exagerar nos alimentos gordurosos pode causar depressão e Alzheimer, segundo estudo

11 de julho, 2022

Uma dieta gordurosa pode causar transtornos psicológicos, é o que mostra um estudo desenvolvido por pesquisadores da University of South Australia e publicado na Metabolic Brain Disease. Para a pesquisa, os cientistas observaram que ratos alimentados com alimentos gordurosos mostraram sinais de declínio cognitivo, depressão, ansiedade e Alzheimer

Leia também: Incapacidade neurológica tem relação com esclerose múltipla

Os ratos foram expostos a uma dieta gordurosa e ficaram em observação durante 30 semanas, tempo equivalente a metade da vida dos roedores. Durante o período, os pesquisadores acompanharam o estado de saúde dos animais. Os animais passaram por testes de tolerância à glicose e insulina e capacidade cognitiva. 

Como funcionou o estudo da dieta gordurosa?

Dois tipos de ratos foram usados para a análise. Assim, os do primeiro grupo tinham uma mutação na proteína tau, presente nos neurônios. Assim como nos humanos, alterações ou deficiências nessa proteína podem gerar o Alzheimer. Já o outro grupo, de controle, não tinha o problema. 

Então, após as 30 semanas com os roedores consumindo alimentos gordurosos, os ratos do grupo de controle ganharam peso. Dessa forma, passaram a ter comportamentos parecidos à ansiedade, além de mostrarem níveis mais altos de tau no cérebro. Assim, essas complicações de tau podem indicar o surgimento do Alzheimer. 

Os ratos do primeiro grupo apresentaram crescimento e desenvolvimento de outros problemas. Após as 30 semanas na dieta gordurosa, os roedores adquiriram intolerância à glicose, sendo assim, pré-diabetes, além de resistência à insulina. Não parou por aí, esse grupo teve mais episódios similares à depressão e ansiedade. A proteína tau do grupo também indicou Alzheimer. 

Por fim, o resultado final do estudo, avaliando também outras pesquisas, é de que a obesidade, diabetes e alimentação rica em gordura podem estar atreladas a transtornos e problemas no sistema nervoso central. 

“Nossas descobertas sublinham a importância de abordar a epidemia global de obesidade. Então, é muito provável que uma combinação de obesidade, idade e diabetes leve a um declínio nas habilidades cognitivas, doença de Alzheimer e outros distúrbios de saúde mental”, comentou Assoc Prof Bobrovskaya, professor e um dos pesquisadores do estudo.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.