Dieta budista: Conheça os pilares e benefícios

23 de abril, 2020

A dieta budista é seguida por adeptos do budismo, uma filosofia ou religião não-teísta que surgiu na Índia há anos. Entretanto, a mesma dieta pode ser adotada por pessoas que não se identifiquem com algumas ou todas as tradições, crenças e práticas do budismo. Afinal, essa é uma dieta balanceada e que pode trazer diversos benefícios para a saúde. 

Como funciona a dieta budista

Para entender a base da dieta budista, é preciso saber que o budismo foi fundado há muitos séculos por Siddharta Gautama, mais conhecido como Buda. Apesar de ter sido fundada na Índia, hoje a filosofia é seguida em todo o mundo. Ainda, existem diversas formas de praticar a crença, pois há diferentes interpretações dos ensinamentos de Buda, inclusive no que diz respeito à alimentação.

Pilares da dieta budista

Vegetarianismo

Primeiramente, um dos ensinamentos mais importantes do budismo é que é proibido tirar a vida de qualquer pessoa ou animal. Por isso, muitos budistas interpretam isso de forma que não é permitido consumir carnes animais.

Sendo assim, budistas adeptos do vegetarianismo costumam consumir poucos produtos de origem animal, apenas o leite e seus derivados, pois esses alimentos não implicam necessariamente no fim da vida do animal. Entretanto, não consomem ovos e nenhum tipo de carne.

Entretanto, há budistas que não são adeptos do vegetarianismo, consumindo carne e produtos de origem animal, desde que sua vida não tenha sido tirada exclusivamente para seu consumo.

Leia também: Maneiras de consumir proteína sem precisar comer carne

Bebidas alcoólicas

Além da restrição ao consumo de carne, a dieta budista também restringe o consumo de bebidas alcoólicas. Essa restrição também se baseia em questões éticas da filosofia e o consumo de álcool é proibido sob o pretexto de que, uma vez intoxicada, a mente perde sua consciência plena. 

Leia também: Mindful drinking: Método aposta no consumo consciente de álcool

Outras restrições

Por fim, a dieta budista também não consome plantas de aroma forte, como alho, cebola, cebolinha, alho-poró e outras. A razão para isso é que, segundo suas crenças, é possível que essas plantas provoquem o aumento do desejo sexual quando consumidas cozidas ou despertar a raiva quando consumidas cruas.

Benefícios da dieta budista

Em princípio, a dieta do Budismo possui uma abordagem “plant-based”, ou seja, consiste majoritariamente de vegetais, oleaginosas, leguminosas, grãos, legumes e frutas. Sendo assim, essa forma de alimentação é altamente nutritiva, visto que esses itens são repletos de vitaminas, minerais, fitonutrientes, como os antioxidantes, e fibras.

Não só, a dieta pode ajudar na perda de peso. Como demonstrado em um estudo promovido por cientistas do Instituto Alemão de Ciências Nutricionais, budistas que seguiram uma dieta vegetariana por um período entre 11 a 34 anos possuíam um menor índice de gordura corporal quando comparados aos que seguiram o vegetarianismo por 10 anos ou menos.

Leia também: Dieta nórdica: Conheça essa forma saudável de emagrecer

Sobre o autor

Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo