Comer queijo todo dia pode reduzir risco de doenças cardíacas

9 de outubro, 2019

Quando o assunto são os alimentos que fazem bem ​​para o coração, é comum lembrarmos de nozes, abacates e frutas vermelhas, por exemplo. Porém, raramente, alguém menciona a mussarela ou o parmesão, não é mesmo? A boa notícia é que o queijo pode sim ser incluído na lista de alimentos amigos do coração.

Pelo menos é o que indica uma pesquisa da Universidade Penn State, nos Estados Unidos. No estudo, participantes foram submetidos a quatro dietas diferentes no períodos de oito dias. Dessa forma, cada uma delas possuía variação na quantidade ingerida de sódio e laticínios. Como resultado, a dieta rica em sódio fez com que os participantes tivessem disfunção dos vasos sanguíneos quando estavam evitando laticínios. Porém, eles não tiveram efeitos negativos na mesma dieta quando estavam sendo alimentados com quatro porções de queijo por dia.

De acordo com Billie Alba, um dos principais autores do estudo, essas descobertas podem ajudar a encontrar um equilíbrio entre comer alimentos saborosos como o queijo, por exemplo, e minimizar os riscos à saúde decorrentes do consumo excessivo de sódio. Assim, os estudiosos acreditam que esse resultado é provavelmente devido a certos antioxidantes encontrados no queijo.

Leia mais: Alimentos que protegem o coração

Outros resultados

Do mesmo modo, uma outra pesquisa realizada em 2017, pelo European Journal of Nutrition, descobriu que ingerir aproximadamente 30 gramas de queijo por dia pode reduzir o risco de ataque cardíaco e derrame. 

No entanto, uma revisão dos estudos do European Journal of Epidemiology encontrou uma associação mais neutra entre as opções de laticínios com alto e baixo teor de gordura, e do risco de doenças e mortalidade relacionadas ao coração. Embora as pesquisas não tenham demonstrado que o consumo de queijo aumente o risco, também não foram capazes de dizer que ele não existe.

Entretanto, ainda precisamos estar atentos à ingestão de gordura saturada e sódio para ter um coração saudável, já que muitas pessoas consomem alimentos com esses ingredientes em excesso. Além disso, pesquisas mostram que consumir muitos alimentos ricos em gordura saturada aumenta o risco de doenças cardíacas.

Assim, a recomendação de consumo de laticínios, de acordo com as diretrizes alimentares atuais, é de cerca de três (ou menos) porções por dia, além da ingestão de 10% ou menos das calorias diárias de gordura saturada.

Confira o ranking nutricional dos queijos mais comuns

Queijo cottage

  • Valor calórico: 41 kcal
  • Gorduras totais: 2,1g
  • Gorduras saturadas: 1,5g
  • Proteínas: 4,5g
  • Sódio: 120 mg
  • Cálcio: 42 mg

Ricota

  • Valor calórico: 52 kcal
  • Gorduras totais: 3,6 g
  • Gorduras saturadas: 2,4 g
  • Proteínas: 3,3g
  • Sódio: 25,2 mg
  • Cálcio: 62,1 mg

Requeijão cremoso light

  • Valor calórico: 77 kcal
  • Gorduras totais: 7g
  • Gorduras saturadas: 4,1g
  • Proteínas: 2,8g
  • Sódio: 167,4mg
  • Cálcio: 77,7mg

Queijo minas frescal

  • Valor calórico: 79 kcal
  • Gorduras totais: 6g
  • Gorduras saturadas: 3,4g
  • Proteínas: 5,2g
  • Sódio: 125 mg
  • Cálcio: 173,7mg

Queijo mussarela

  • Valor calórico: 90 kcal
  • Gorduras totais: 7,5 g
  • Gorduras saturadas: 4,2 g
  • Proteínas: 6,8g
  • Sódio: 174,3 mg
  • Cálcio: 262 mg

Mussarela de búfala

  • Valor calórico: 95 kcal
  • Gorduras totais: 7,2 g
  • Gorduras saturadas: 4,5 g
  • Proteínas: 6,3g
  • Sódio: 124,5 mg
  • Cálcio: 172,5 mg

Queijo Prato

  • Valor calórico: 108 kcal
  • Gorduras totais: 8,7 g
  • Gorduras saturadas: 4,8 g
  • Proteínas: 6,8 g
  • Sódio: 174 mg
  • Cálcio: 282 mg

Benefícios do queijo para a saúde

Entre os benefícios encontrados nos queijos, estão, sobretudo, nutrientes essenciais para a nossa saúde. Nesse sentido, possui nutrientes com funções importantes, como por exemplo, os necessários para fortalecimento dos ossos, proteção do coração e até da saúde mental. Dessa forma, encontramos no queijo vitaminas A, B2, B12, D e K2, sendo que cada uma trabalha de maneira específica no organismo. A vitamina D, por exemplo, é muito importante para a síntese do cálcio. A K2, por outro lado, têm papel importante na manutenção óssea e saúde do coração.

Além disso, o queijo é uma ótima fonte de proteína, ou seja, é rico em aminoácidos essenciais e de ótima digestão. Isso significa que sua absorção ocorre quase completamente na altura do intestino, fornecendo assim ao organismo aminoácidos importantes. Esses aminoácidos promovem a saúde, reduzem a pressão sanguínea e aumentam a absorção de minerais a partir do trato digestivo.

O queijo também é rico em mineirais importantes para a saúde, como o cálcio, fósforo, selênio, zinco e sódio, por exemplo. O cálcio é importante na saúde dos ossos, inclusive dos dentes. Já o zinco é importante no sistema imunológico. O selênio, por sua vez, têm propriedades antioxidantes, essenciais para combater os radicais livres que danificam as células.

Melhores proteínas para a saúde cardiovascular

Peixes

carne de peixe é uma das melhores escolhas para quem deseja diminuir os riscos de doenças cardiovasculares. Por isso, segundo o periódico Circulation, da Associação Americana do Coração, o ideal é comer peixe duas vezes na semana.

Oleaginosas e leguminosas

Estudos afirmam que as oleaginosas são as melhores fontes proteicas para a saúde do coração. Dessa forma, o que não faltam são opções. As nozes, por exemplo, ajudam a reduz a pressão arterial. Outras que também são amigas do coração são as amêndoas, castanha de caju, noz Pecan, amendoim, dentre outras. Quanto às leguminosas, integram a lista todos os tipos de feijão, como a lentilha e o grão de bico, por exemplo.

Leia mais: Pasta de amendoim ajuda a emagrecer?

Aves

Além dos peixes, a carne de aves também é uma boa opção de proteína, pois possui baixos níveis de gordura. Nesse sentido, o frango e o peru, por exemplo, são fontes de proteínas que beneficiam a saúde cardiovascular. Além disso, estudos indicam que quem consome uma porção de carne de ave por dia tem 19% menos risco de desenvolver doenças cardiovasculares. O mesmo beneficio, no entanto, não foi constatado em pessoas que consomem a mesma quantidade de carne vermelha processada diariamente.

Derivados do leite

Além do queijo, outros derivados do leite com baixos teores de gordura são os preferidos quando o assunto são as fontes proteicas. Algumas opções são leite desnatado, queijos brancos, iogurtes, como o grego, por exemplo, além do creme azedo, também chamado de sour cream.

Laticínios ajudam a prevenir diabetes e hipertensão

De acordo com um estudo da da Universidade de Saúde Hamilton e McMaster, aumentar a ingestão de laticínios pode ajudar a prevenir diabetes e hipertensão. Dessa forma além dos queijos, leite e iogurte também promovem benefícios à saúde. 

Os cientistas analisaram mais de mil pacientes a fim de entender quais os possíveis efeitos positivos do consumo de laticínios. Ao todo, pessoas de 21 países foram analisadas, todas com idades entre 35 a 70 anos. Por fim, os pesquisadores concluíram que o maior consumo de laticínios está associado a menor risco de sofrer de síndrome metabólica, um conjunto de condições que aumentam o risco de doença cardíaca, acidente vascular cerebral e diabetes.

Além disso, é importante ressaltar que outros laticínios, como o creme de leite e a manteiga, não foram analisados. 

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.