Cinco hábitos para evitar o efeito sanfona

Alimentação Bem-estar
20 de Abril, 2023
Cinco hábitos para evitar o efeito sanfona

Muitas dietas prometem fórmulas de emagrecimento rápido. Houve, ainda, um aumento da busca por medicamentos que podem auxiliar neste processo, como o Ozempic. No entanto, é importante manter a atenção nos hábitos diários para que isso aconteça de forma efetiva e duradoura, evitando o famoso efeito sanfona”. Marcado pelo vaivém cíclico de perda de peso, este efeito de rebote pode acontecer em decorrência de dietas muito restritivas ou uma rotina desalinhada com os objetivos do paciente. Por isso, veja agora cinco hábitos para evitar o efeito sanfona.

Leia mais: Efeito sanfona pode aumentar riscos de doenças cardíacas e diabetes

Cinco hábitos para evitar o efeito sanfona

De acordo com o Dr. Gabriel Almeida, existem cinco hábitos essenciais para evitar o efeito sanfona de maneira efetiva.

1. Jamais fazer dietas da moda

Dietas restritivas são indicadas apenas com orientação médica Além disso, deve ser feita de acordo com as reais necessidades de seu corpo e de modo que promova mudanças necessárias no seu modo de vida.

2. Aprenda a consumir alimentos saudáveis

É fundamental que no processo de emagrecimento você passe por um processo de reeducação alimentar. Ou seja, aprender a comer os alimentos certos, com mais cuidado na preparação e quantidades. Desse modo, a alimentação saudável contém uma proporção equilibrada de carboidratos, proteínas, gorduras boas, vitaminas e minerais. Essa combinação entre macro e micronutrientes atende todas as necessidades do organismo: proporcionar energia, facilitar o trânsito intestinal, construir células, evitar doenças e regular os hormônios.

Cinco hábitos para evitar o efeito sanfona

3. Faça substituições

Nunca substitua um alimento ruim por outro do mesmo nível. Isto porque trocar a pizza pelo lanche e vice-versa é um dos motivos das recaídas que levam ao efeito sanfona. Por isso, é muito importante buscar alternativas para substituir alimentos não saudáveis por saudáveis.

Por exemplo, você pode trocar o refrigerante por águas saborizadas naturalmente, ou chás, o salgadinho industrializado por chips assados de vegetais, a fritura por pratos preparados no forno ou essas fritadeiras que “fritam” com ar, e assim por diante.

4. Cinco hábitos para evitar o efeito sanfona: exercite-se

Nosso corpo não foi feito para ficar parado. O exercício físico é um aliado não só para perder peso e evitar o efeito sanfona. Além disso, também é um aliado perfeito para prevenir doenças, fazer o corpo produzir substâncias que causam sensação de prazer e reduzir a ansiedade.

5. Água, comida na hora certa e vitamina D

Tome muita, muita água. Ela contribui para evitar o efeito sanfona e controlar a sensação de fome, atuando nos processos de regulação do organismo, promovendo uma limpeza interior, melhorando a aparência da pele e facilitando o funcionamento do intestino.

Por fim, é importante também se alimentar nos horários adequados e monitorar os níveis de vitamina D. Isso porque a vitamina ajuda o corpo a manter o nível apropriado de glicose e regula a microbiota, comportamentos fundamentais para quem quer emagrecer com saúde e dar adeus ao efeito sanfona.

Fonte: Dr Gabriel Almeida, médico, coordenador e professor da Pós-graduação de Ciências da Obesidade e Sarcopenia.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

benefícios da banana
Alimentação Bem-estar Saúde

Quais são os benefícios da banana para a saúde? Veja lista e receitas saudáveis

A banana é amiga do intestino, além de ser eficiente na prevenção de cãibras. Veja outros benefícios da fruta!

horário para treinar
Bem-estar Movimento Saúde

Estudo revela melhor horário para pessoas com obesidade treinaram

O estudo da Universidade de Sidney identificou benefícios do treino noturno para a saúde do coração

Chás pré e pós-treino
Alimentação Bem-estar

Chás pré e pós-treino: veja as melhores opções

O chá é a segunda bebida mais consumida mundialmente, depois da água, sendo o Brasil um dos maiores consumidores. De acordo com um balanço da Euromonitor