Ansiedade e beleza: Consequências na pele, cabelo e unhas

Os tempos são difíceis e é completamente normal que tenhamos inquietações em relação ao futuro. Mas, se você já sentiu na pele (literalmente), unhas ou cabelos os efeitos de momentos de ansiedade, saiba que essa percepção está correta. Ela mostra o que está acontecendo dentro do corpo, e a relação ansiedade e beleza existe, podendo desencadear ações capazes de causar acne, melasma e outros problemas dermatológicos e no corpo em geral. 

Assim, vale conhecer as consequências da ansiedade na beleza para, então reverter o cenário. Confira: 

Queda de cabelo

O sintoma mais comum que desencadeia queda de cabelo (fora do comum) é o estresse. Portanto, quando se está passando por um período de ansiedade, é normal que os fios sofram as consequências e enfraqueçam a ponto de cair.

Dito isso, uma maneira de evitar queda de cabelo por estresse é fortalecer o couro cabeludo com ingredientes naturais, como colágeno e biotina. Dessa maneira, há suplementos e alimentos que ajudam na produção desses nutrientes que, além de interromper a queda, proporcionam brilho e suavidade.

Além disso, existem vitaminas que aumentam a beleza e saúde dos fios. Porém, três das mais potentes são:

  • Vitamina A: Fortalece os cabelos, aumenta a elasticidade e ajuda a remover as impurezas.
  • E: Interrompe a queda e ajuda a desenvolver suavidade e brilho.
  • Vitamina C: Previne o envelhecimento e o ressecamento causados ​​pelo estresse.

Leia também: Como a poluição afeta a saúde do cabelo

Unhas fracas

Muitas pessoas têm uma mania de roer as unhas quando estão ansiosas e acreditam que isso é comum ou sem importância. A verdade é que esse hábito, involuntário em vários casos, é um distúrbio chamado onicofagia, que busca controlar impulsos ou escapar da situação. Isso faz com que as unhas fiquem fracas, parem de crescer e pareçam esteticamente ruins, mas também pode causar problemas de saúde mais graves, como infecções.

Leia também: Ficar um tempo sem esmalte faz bem para a saúde das unhas?

Acne

De acordo com a biomédica Gabriela Silveira, proprietária da Clínica Slim Santé, em São Paulo, essas reações acontecem graças à diminuição da imunidade da própria pele gerada pelo estresse. “Por isso, passar por uma situação estressante pode fazer, por exemplo, as glândulas sebáceas se descontrolarem, aumentando a produção de sebo, o que cria um ambiente propício para a bactéria do acne se proliferar”, explica. 

A solução? Relaxe, identifique os momentos de ansiedade para não ter contato com o rosto e ser mais rigoroso com sua rotina de limpeza.

Ganho de peso

É um fato. Permitir que a ansiedade controle nossas vidas nos faz ganhar peso por diferentes razões. Uma delas é que altera o metabolismo e reduz a percepção de saciedade, o que aumenta o desejo de comer mais. Outra razão é que a ansiedade faz com que acumulemos mais gordura devido ao desequilíbrio hormonal – mesmo que estejamos comendo bem -, resultando em um processo mais complicado quando se trata de emagrecimento.

A última razão que vale a pena mencionar é que a preocupação faz com que o corpo queira alimentos ricos em açúcar para gerar uma sensação de “prazer e bem-estar”, que só prejudica a saúde. 

O que fazer? Exercícios para controlar a ansiedade em casa, além de recorrer a especialistas em nutrição. 

Envelhecimento precoce

Quando o assunto é ansiedade e beleza, a pele é uma das primeiras a sofrer. Isso porque o estresse psicológico não prejudica apenas seu coração e mente. Também causa danos celulares, promovendo o estresse oxidativo na pele. Logo, se isso persistir, pode dominar as defesas antioxidantes da pele, levando a condições como envelhecimento prematuro.

Além disso, quando você está ansioso, seu corpo coloca a saúde da pele em segundo plano. Pois, o estresse emocional e mental desencadeia uma resposta de luta ou fuga. E se o corpo estiver constantemente nesse estado de estresse, priorizará a sobrevivência. Com isso, a pele sofrerá durante períodos de maior estresse, pois ter uma pele bonita não é uma alta prioridade para o corpo neste cenário.

Por fim, além do aumento de glândulas sebáceas, o estresse também acelera a produção de radicais livres, das enzimas que degradam o colágeno, elastina e ácido hialurônico, deixando a pele com menor sustentação, menos elasticidade e desidratada.

Leia também: Os melhores alimentos anti-idade para colocar na dieta

Sobre o autor

Amanda Figueiredo
Amanda Figueiredo
Jornalista e nutricionista. Editora-chefe e coordenadora de comunicação da Vitat. Especialista em saúde, alimentação saudável/nutrição, fitness, beleza e bem-estar.