Alfa-arbutin, um queridinho quando o assunto é clarear manchas

7 de February, 2022

Apesar de seu nome ser um pouco complicado, o alfa-arbutin tem uma função bastante objetiva – e que atende aos desejos de muita gente por aí: clarear diferentes tipos de manchinhas que surgem, sobretudo, no rosto. 

Isso é possível porque o ativo tem um alto poder de atuação sobre a enzima que produz a melanina, proteína responsável pela coloração da pele. Porém, em excesso, a melanina provoca lesões mais escuras que sua tonalidade natural.

Conheça as características do alfa-arbutin

A dermatologista Patrícia Mafra, membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica que o alfa-arbutin é um ativo utilizado no tratamento tópico de clareamento de hipercromias, ou seja, manchas de pele que podem ser causadas pelos mais diversos agentes, entre eles sol e herança genética. Melasma, sardas e aquelas marquinhas de acne são exemplos desse tipo de problema.    

Para criar o alfa-arbutin, a indústria utiliza o composto químico mais eficiente do arbutin, um derivado da hidroquinona. Esse é um produto muito famoso no mercado por sua ação despigmentante, mas que apresenta inúmeros inconvenientes e efeitos colaterais, como instabilidade na presença da luz e potencial para irritar a pele.

Já o alfa-arbutin é capaz de clarear e uniformizar o tom de todos os tipos de pele ao mesmo tempo em que não representa perigo para as células do tecido cutâneo. “O alfa-arbutin atua inibindo a produção da melanina. Ele inibe a oxidação enzimática da tirosina, a DOPA, uma etapa fundamental na biossíntese desse pigmento. É eficaz em manchas pré-existentes e reduz o grau de bronzeamento da pele após exposição ao sol”, afirma Patrícia. Essa particularidade é importante porque ajuda, principalmente, a frear um possível efeito rebote do melasma no verão.

Indicações de uso

Patrícia informa que o alfa-arbutin – produzido tanto de forma sintética quanto a partir de ervas medicinais – é bem tolerado por todos os tipos de pele, além de ser totalmente seguro no tratamento das manchas. “Ele pode ser utilizado para o tratamento de diversas hipercromias, como melasma, hiperpigmentações pós-inflamatórias e melanoses solares.”

A princípio, a médica diz que o alfa-arbutin não apresenta contraindicação e pode ser usado, inclusive, por gestantes e lactantes. No entanto, o ideal é sempre contar com a ajuda de um dermatologista para avaliar a melhor recomendação de tratamento. 

“Quando tratamos manchas, nunca utilizamos um único clareador, até para pegar todas as etapas da produção de melanina. A gente faz uma associação de vários ativos clareadores, dificilmente será usado apenas o alfa-arbutin, e esses outros ativos podem ter contraindicação”, alerta. Assim, a dica é consultar um médico para ter acesso ao tratamento mais eficaz e com o mínimo possível de efeitos colaterais e contraindicações.

Fonte: Patrícia Mafra, dermatologista e membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.