Você pode estar comendo açúcar “escondido” sem saber

Alimentação Bem-estar
31 de Julho, 2019
Você pode estar comendo açúcar “escondido” sem saber

Que açúcar em excesso é um dos inimigos de quem está tentando emagrecer  e se manter saudável não é novidade. Mas, o que pouca gente sabe é que alguns alimentos presentes no cardápio até de quem está de dieta podem conter açúcar sem que a pessoa sequer desconfie. 

“O açúcar pode estar descrito na lista de ingredientes com esse mesmo nome. Porém, também pode ser encontrado com outras nomeações”, explica a nutricionista Isabella Correia, do Rio de Janeiro. Segundo a profissional, o ingrediente também pode aparecer no rótulo dos alimentos com as denominações abaixo: 

  • Sacarose; 
  • Xarope (de todos os tipos);
  • Melado;
  • Mel; 
  • Agave;
  • Maple syrup;
  • Glucose/glicose; 
  • Frutose; 
  • Maltose; 
  • Dextrose; 
  • Açúcar invertido .

“Assim, por mais que tenham mínimas diferenças entre si, todos são açúcar, e acabam da mesma forma dentro do nosso organismo”, alerta a especialista. 

Leia também: Por que você sente compulsão por doces?

Outra curiosidade é que comidas como lasanha congelada, camarão empanado, peito de peru, patê de presunto, caldo de carne e outros salgados também levam açúcar na composição – que é acrescentado durante o processo de fabricação. 

A indústria geralmente adiciona açúcar aos alimentos processados para torná-los mais apetitosos. Quando a gordura é removida de comida processada, por exemplo, o açúcar é adicionado para balancear o sabor. O resultado é que comemos muito mais açúcar do que deveríamos e que também nosso corpo consegue processar.

Como saber quanto açúcar estamos ingerindo?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), no máximo 10% das calorias diárias devem ser provenientes do consumo de açúcar. Portanto, considerando uma dieta de 2000 calorias, essa taxa equivale a 50 gramas de açúcar por dia (cerca de dez colheres de chá).

No entanto, reduzir essa porcentagem para 5% (25 gramas ou 5 colheres de chá) é ainda melhor para sua saúde. 

A primeira coisa a se fazer para identificar a quantidade de açúcar é ler a parte de trás das embalagens e procurar a tabela nutricional. Confira quanto carboidrato o alimento possui. Muitas embalagens especificam as gramas de açúcares neste tópico. Também, dê preferência aos carboidratos complexos, como pães e massas integrais.

Outra dica é procurar a lista de ingredientes. Pelas leis brasileiras, os ingredientes utilizados precisam estar em ordem de quantidade. Ou seja, os primeiros da lista são os que mais compõem o alimento.

Passos simples para diminuir o consumo de açúcar

Tente comer doces naturais

“Frutas secas como, damasco, tâmara e uva passas são excelentes opções”, indica a nutricionista Isabella Correia, do Rio de Janeiro.  “Chocolate amargo com teor acima de 70%, bananada sem açúcar e bolos funcionais ricos em fibras, como aveia e farinha de coco, também podem ser consumidos, porém, sem exageros”, complementa. 

Opte por adoçantes naturais

Se precisar de um adoçante, sempre escolha os naturais à base de estévia, xilitol e eritritol. “Porém, também devem ser consumidos com moderação”, alerta a nutricionista. 

Inclua carboidratos complexos em sua dieta

Não precisa cortar todos os carboidratos da sua vida. No entanto, inclua carboidratos complexos, que são digeridos e absorvidos lentamente, ocasionando aumento pequeno e gradual da glicemia. Com isso, a sensação de saciedade dura mais tempo, e por consequência, colabora no processo de emagrecimento. “São ótimos exemplos os grãos e cereais integrais, tubérculos como aipim, inhame e batata doce, além de  leguminosas”, indica Isabella. 

Evite alimentos processados

Comidas como lasanha congelada, camarão empanado, peito de peru, patê de presunto, caldo de carne e outros salgados também levam açúcar na composição – que é acrescentado durante o processo de fabricação. A indústria geralmente adiciona açúcar aos alimentos processados para torná-los mais apetitosos. Quando a gordura é removida de comida processada, por exemplo, o açúcar é adicionado para balancear o sabor.

Reduza o açúcar aos poucos

A restrição severa está associada a comportamentos perigosos, como a compulsão alimentar. Assim, a falta de outros carboidratos – comum em planos de emagrecimento – também pode gerar o efeito rebote, ou seja, mais vontade de comer doce.

Leia os rótulos

A primeira coisa a se fazer para identificar a quantidade de açúcar é ler a parte de trás das embalagens e procurar a tabela nutricional. Confira quanto carboidrato o alimento possui. Muitas embalagens especificam as gramas de açúcares neste tópico. Dê preferência aos carboidratos complexos, como pães e massas integrais.

Leia também: Gelatina é saudável? Especialistas esclarecem

Sobre o autor

Amanda Figueiredo
Amanda Figueiredo é nutricionista clínica pela USP (Universidade de São Paulo), pós-graduada em Saúde da Mulher e Reprodução Humana pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) e especialista em emagrecimento e nutrição estética CRN-3 77456 Também é jornalista e editora-chefe da Vitat.

Leia também:

ator Cauã Reymond segurando um garfo e uma faca e usando um babador
Alimentação Bem-estar

Cauã Reymond mostra jantar saudável com sopa, frango e legumes

Ator compartilhou em suas redes socais o que comeu na noite de Dia dos Namorados (12/06). Confira o jantar de Cauã Reymond

personal ajudando aluno a fazer o exercício crucifixo inclinado na academia
Bem-estar Movimento

Crucifixo inclinado: como fazer corretamente para evitar dores

A posição do banco no crucifixo inclinado faz com que o exercício enfatize bem os músculos do peitoral. Confira o passo a passo

criança nadando na piscina
Bem-estar Movimento

Crianças podem (e devem) fazer natação no inverno!

Prática deve ser contínua mesmo no frio, pois aumenta imunidade e o gasto calórico. Veja os benefícios da natação no inverno para as crianças!