Por que você sente compulsão por doces?

Alimentação Bem-estar
23 de Julho, 2019
Por que você sente compulsão por doces?

Quem é fã de doces sabe que é difícil se manter longe dessas delícias – mesmo quando se está de dieta. E tudo bem, afinal, um pecado por dia não vai arruinar o seu plano de manter a fita métrica estável. 

Porém, o problema começa quando a necessidade de comer alimentos açucarados se torna incontrolável e frequente – aquela vontade que faz a gente devorar a caixa inteira de bombom em segundos. 

Com a ingestão exagerada de doces, o organismo torna-se vítima de um efeito gangorra, no qual os níveis de açúcar no sangue sobem e descem desequilibradamente.

O açúcar provocam aumento rápido da glicose e, consequentemente, uma queda rápida também. Isso faz aumentar a vontade de ingerir mais desses alimentos, gerando a chamada compulsividade

Para quem não fica sem um docinho, é preciso tentar controlar a quantidade, mas o primeiro passo não é simplesmente cortar o açúcar, e sim descobrir a causa, ou seja, o motivo(s) de sentir tanta necessidade dele. Confira as razões mais comuns: 

Hábito

“Todo hábito é criado através de repetição, e se você acostumou o seu organismo a comer doces todos os dias ou após uma refeição, você sempre terá essa vontade”, explica a nutricionista Fernanda Scheer, de São Paulo. “Não vejo problema algum em comer um docinho nutritivo, como fruta ou um chocolate rico em cacau, todos os dias. Mas se esse hábito está atrapalhando seus resultados, experimente diminuir gradativamente ou cortar por uns dias para mudar esse padrão”, completa. 

Carências nutricionais

A falta de alguns nutrientes como magnésio e cromo aumentam o desejo por doces. “Que tal aumentar o consumo de alimentos ricos nesses nutrientes para ver o que acontece? Cacau em pó, amêndoas, grão de bico e sementes são algumas fontes”, sugere a especialista. 

Excesso de carboidratos refinados 

Uma alimentação rica em alimentos refinados pode causar desequilíbrios nos níveis de glicose no sangue, aumentando o desejo por açúcar. “Dê preferência ao carboidrato das raízes, como batata doce, que são nutritivos e promovem um aumento gradual de glicose”, explica Fernanda. 

Baixo consumo de gorduras ou proteínas

Equilibre suas refeições para que tenham sempre boas fontes de gorduras boas, como azeite, abacate e castanhas, e fontes proteicas como peixe, ovo, quinoa e grão de bico. Assim, seu corpo estará sempre nutrido e saciado.

Ansiedade

“Se você está comendo doces por pura ansiedade, já está mais do que na hora de arregaçar a manga e trabalhar essa questão. Que tal um trabalho de terapia, acupuntura, homeopatia ou floral para começar?”, aponta a nutricionista. 

Você segue uma dieta muito restrita

Segundo Fernanda Scheer, todos excesso é ruim, e a restrição alimentar geralmente gera compulsão. Aprenda a arte de equilibrar e não restringir. 

Leia também: 8 alimentos que ajudam a combater a ansiedade

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

ator Cauã Reymond segurando um garfo e uma faca e usando um babador
Alimentação Bem-estar

Cauã Reymond mostra jantar saudável com sopa, frango e legumes

Ator compartilhou em suas redes socais o que comeu na noite de Dia dos Namorados (12/06). Confira o jantar de Cauã Reymond

personal ajudando aluno a fazer o exercício crucifixo inclinado na academia
Bem-estar Movimento

Crucifixo inclinado: como fazer corretamente para evitar dores

A posição do banco no crucifixo inclinado faz com que o exercício enfatize bem os músculos do peitoral. Confira o passo a passo

criança nadando na piscina
Bem-estar Movimento

Crianças podem (e devem) fazer natação no inverno!

Prática deve ser contínua mesmo no frio, pois aumenta imunidade e o gasto calórico. Veja os benefícios da natação no inverno para as crianças!