Vitamina D e cálcio: entenda a relação

25 de julho, 2022

O cálcio é um mineral essencial para o corpo humano, e cerca de 99% dele está presente nos nossos ossos e dentes. Além disso, bons níveis de cálcio contribuem para melhoras na força, na construção muscular, na integridade do sistema nervoso, no equilíbrio e na coagulação sanguínea. Mas você sabia que a vitamina D é essencial para manter o equilíbrio de cálcio no organismo?

Isso mesmo! A vitamina acelera a absorção do nutriente pelo intestino, reduzindo a sua perda pela urina e evitando a retirada da reserva mantida nos ossos.

A osteoporose, por exemplo, é uma doença caracterizada pela perda da massa óssea e pela alteração da microarquitetura dos ossos — que se tornam frágeis e quebradiços, condição que aumenta o risco de fraturas. Muitos fatores podem acelerar o problema, como idade, genética, sexo feminino, sedentarismo, tabagismo, abuso de bebidas alcóolicas e dieta alimentar.

Uma alimentação rica em cálcio ajuda a evitar a perda óssea e a reduzir as taxas de fraturas. A associação com vitamina D traz benefícios ainda maiores.

“Exposição solar adequada, dieta alimentar rica em cálcio e atividade física regular são determinantes para a manutenção das saúdes óssea e muscular”, explica Odair Albano, ginecologista, obstetra e consultor em saúde.

Leia também: Overdose de vitamina D: médicos do Reino Unido alertam para os riscos

Principais fontes de vitamina D e cálcio

A principal fonte de vitamina D é a luz do sol. No entanto, 10% da vitamina D do organismo vem de alimentos como salmão, óleo de fígado de peixe, gema de ovo e frutos do mar. Por outro lado, é possível encontrar o cálcio no leite e seus derivados, assim como em vegetais com folhas escuras (couve, brócolis, espinafre, etc), peixes e ovos.

Por meio de avaliações clínica e laboratorial, o médico pode detectar se os níveis de cálcio e vitamina D estão adequados. Em caso de estarem insuficientes, o especialista pode indicar a suplementação para que o paciente alcance os níveis recomendados.

“Os níveis ideais de vitamina D no sangue em adultos são entre 20 e 60 ng/ml. Na presença de fatores de risco (idade, história de fraturas, gestação, por exemplo), o recomendado é entre 30 e 60 ng/ml. A dose indicada para suplementação da vitamina D com cápsulas ou comprimidos vai depender da análise individual”, complementa Albano.

Fonte: Odair Albano, ginecologista, obstetra e consultor em saúde.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.