Vacina contra o HPV ganha nova recomendação da OMS

12 de maio, 2022

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) compartilhou uma nova diretriz de aplicação para a vacina contra o HPV. Agora, segundo a organização, uma única dose do imunizante é o suficiente para a prevenção contra o vírus HPV. Para formular a nova recomendação, o órgão realizou uma série de estudos e revisões sobre a quantidade de doses da vacina contra o HPV.

Um dos dados analisados foi a quantidade de mulheres que tomou uma única dose versus outras que receberam duas ou três aplicações. Como resultado, concluíram que apenas uma aplicação é tão segura quanto repetir o esquema vacinal, dependendo da idade e da condição da pessoa.

Veja também: Ouça nosso podcast e aprenda a se prevenir contra o HPV

O que a vacina contra o HPV previne?

O HPV é um vírus sexualmente transmissível e afeta mais mulheres do que os homens. Silenciosa nos estágios iniciais, a infecção pelo HPV possui diversos tipos e seus sintomas são variados. Por exemplo, a mulher pode sentir dor durante o sexo, sensibilidade no órgão genital (pênis, vagina e ânus) ou na garganta e verrugas no local de contaminação.

Atualmente, o principal desafio é conscientizar homens e mulheres sobre a importância da vacina contra o HPV. Afinal, sem tratamento, a infecção pode evoluir para um câncer, como o de próstata e do colo do útero, um dos mais mortais entre as mulheres. Especialmente nos países subdesenvolvidos, cuja educação sexual ainda é um desafio.

Quem pode se vacinar?

A nova recomendação trouxe ânimo para o avanço do tratamento contra o HPV, mas ainda não vale para todos os países. No Brasil, por exemplo, a vacina contra o HPV continua sendo oferecida pelo SUS em duas doses e protege contra quatro tipos do vírus. A recomendação do Ministério da Saúde é que meninos e meninas dos 9 aos 14 anos sejam vacinados, faixa etária que a vida sexual dá os primeiros passos. Homens e mulheres de até 26 anos vivendo com HIV ou AIDS, e transplantados ou em tratamento contra o câncer também podem tomar a vacina.

Além da disponibilidade gratuita, é possível se vacinar em clínicas particulares. Nesse caso, o serviço se estende a pessoas de idades superiores e a quem faz tratamento ou já teve infecção pelo HPV, já que pode proteger contra outros tipos e prevenir novas verrugas genitais.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.