Pimenta caiena: A especiaria cheia de benefícios

20 de fevereiro, 2020

A pimenta caiena é uma das mais benéficas para a saúde, especialmente para o sistema imunológico e intestinal. É nativa da Guiana Francesa, especificamente da cidade de Caiena. Ainda, pode ser consumida in natura, entretanto, é mais comumente consumida em forma de pó.

O condimento possui capsaicina, substância que dá o sabor ardido para as pimentas e que tem muitos benefícios. Entre eles estão a proteção cardiovascular e o poder de analgésico natural para alívio de dores.

Entre suas ricas propriedades, seu potencial antioxidante e seu poder analgésico devem ser destacados. Além disso, é abundante em vitaminas, especialmente a vitamina A e a C, bem como minerais, a exemplo do potássio

Benefícios da pimenta caiena

Estimula a libido

Além de fortalecer a imunidade, devido às propriedades antioxidantes, a pimenta também ajuda no estímulo e aumento da libido, ou seja, potencializa o apetite sexual.

Leia mais: Alimentos que impulsionam a libido

Previne a constipação

Promove a melhora da digestão, ou seja, auxilia o funcionamento intestinal. Dessa forma, evita a constipação, previne a sensação de inchaço e facilita o emagrecimento.

Leia também: Quer emagrecer? Cuide do seu intestino

Promove uma pele saudável

Devido à abundância em vitamina A, essa variedade de pimenta promove a limpeza e boa aparência da pele, de forma que mantém-a com aspecto jovial e livre de espinhas, causadas, entre outros fatores, por toxinas presentes no organismo.

Ação termogênica

Por conter capsaicina, ela aumenta a temperatura corporal. Essa dissipação do calor faz nosso organismo utilizar com mais eficiência a gordura marrom, aumentando assim o gasto calórico.

Leia mais: Vitamina A ajuda a combater câncer de pele

Ademais, outros benefícios dessa especiaria são:

  • Acelera o metabolismo
  • Protege a saúde do coração
  • Previne alergias

Como consumir a pimenta caiena

Em princípio, a pimenta caiena pode ser consumida como um condimento, temperando diversas receitas, mas pode também ser aproveitada ainda in natura. 

Cuidados no consumo

  • Deve ser evitada em pacientes de gastrite
  • Em excesso, pode causar irritação intestinal 

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo