Paxlovid: Anvisa libera venda de pílula contra a COVID em farmácias

Saúde
21 de Novembro, 2022
Paxlovid: Anvisa libera venda de pílula contra a COVID em farmácias

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a venda do medicamento Paxlovid, utilizado no tratamento da Covid-19, em farmácias do país. No entanto, a venda em farmácias deve ser feita sob prescrição médica. Segundo a Anvisa, a autorização prevê ainda que o fabricante deve manter e priorizar o abastecimento para o programa do Sistema Único de Saúde (SUS).

Em março, a agência reguladora já havia aprovado o uso emergencial da pílula contra a Covid. O medicamento é composto por comprimidos de nirmatrelvir e ritonavir embalados e administrados juntos. A indicação é para o tratamento da Covid-19 em adultos que não requerem oxigênio suplementar e que apresentam risco aumentado de agravamento da doença.

De acordo com a farmacêutica que criou o medicamento, o comprimido experimental reduz em 89% risco de hospitalizações e mortes pela Covid. Além disso, segundo os cientistas, quando usado nos primeiros três a cinco dias de manifestação dos sintomas da doença, pode reduzir a gravidade da infecção, ou seja, evita 9 de 10 internações, além de salvar vidas.

Leia mais: Nova onda de Covid e máscaras: Afinal, onde usar?

Brasileiro recebeu o remédio em Israel

Em janeiro, o medicamento começou a ser distribuído em Israel. O brasileiro Simcha Neumark, de 33 anos, foi o primeiro paciente de Covid-19 a tomá-lo. Neumark tomou cinco doses da vacina, mas como tem uma doença autoimune, seu corpo não desenvolveu anticorpos contra o vírus. 

Segundo o brasileiro, o remédio dá uma sensação de cansaço, mas elimina os sintomas da Covid-19. “No meu caso clínico, em questão de 15 horas houve uma melhora muito grande. Eu estava com febre de 39.5ºC, que parou; uma dor de garganta forte, que parou, e as enxaquecas pararam. Eu sinto um cansaço, como se fosse uma (recuperação) pós-gripe”, disse em entrevista ao portal de notícias G1.

Além desses sintomas, especialistas informam que o medicamento também pode causar efeitos colaterais como a diminuição do paladar, diarreia, hipertensão e dores musculares.

Leia mais: Resfriado, influenza ou COVID-19? Saiba diferenciá-los

Como funciona o Paxlovid

O Paxlovid é um antiviral experimental que bloqueia uma enzima que o coronavírus precisa para se replicar. O comprimido foi dado aos pacientes junto com uma dose baixa de outro antiviral, o ritonavir. Esse segundo remédio ajuda a desacelerar o metabolismo ou a quebra do Paxlovid, para que ele permaneça ativo no corpo por períodos mais longos em concentrações mais altas, ajudando a combater o vírus.

Além disso, o ritonavir é também é usado em combinação com o antiviral lopinavir para tratamento do HIV, no medicamento conhecido como Kaletra. 

Orientações gerais sobre a medicação

De acordo com a agência de saúde americana Food and Drug Administration (FDA), o Paxlovid é indicado para o tratamento da Covid-19 leve a moderada em adultos e crianças (a partir dos 12 anos e que pesem, pelo menos, 40kg). A agência ressaltou ainda que a indicação inclui casos que apresentam alto risco de progressão para Covid-19 grave, como hospitalização ou morte. Além disso:

  • O Paxlovid não está autorizado para a prevenção ou pós-exposição de Covid-19, tampouco para o tratamento de pessoas já hospitalizadas com Covid-19 em estado grave ou crítico;
  • O medicamento não é um substituto da vacinação, ainda é considerada a maior forma de prevenção da doença.
  • Com relação ao início do tratamento, a agência orientou que o paciente comece o uso imediatamente após o diagnóstico e dentro de cinco dias após o início dos sintomas.

Fonte: PEBMED

Sobre o autor

Fernanda Lima
Jornalista e Subeditora da Vitat. Especialista em saúde

Leia também:

foto de uma caderneta de vacinação com uma seringa
Saúde

Caderneta de vacinação em dia ajuda a evitar surtos de doenças

Especialistas alertam que a vacinação é um pacto de saúde coletivo

Chá de folha de mamão e dengue
Saúde

Chá de folha de mamão e dengue: é falso que bebida combate a doença

Não existem evidências científicas de que a bebida possui propriedades medicinais no tratamento da doença

vitamina B e dengue
Saúde

Vitamina B previne a picada do mosquito da dengue?

Sem comprovação científica, a técnica popular pode levar a população a uma falsa sensação de segurança