Ozempic e Wegovy: qual a diferença entre os fármacos de semaglutida?

Saúde
05 de Janeiro, 2023
Ozempic e Wegovy: qual a diferença entre os fármacos de semaglutida?

Nesta primeira semana de janeiro, a notícia de um novo medicamento para tratar a obesidade e o sobrepeso animou a comunidade médica. Afinal, a obesidade é uma doença que cresce mundialmente a cada ano, o que requer tratamentos para controlar o quadro. Aprovado pela Anvisa, o Wegovy é um medicamento à base de semaglutida, assim como o Ozempic, o que pode causar uma dúvida comum. Qual a diferença entre ambos, afinal?

Ricardo Barroso, endocrinologista e diretor da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional São Paulo – SBEM-SP explica que a dosagem difere um remédio do outro.

“Tanto o Ozempic como o Wegovy são compostos pela semaglutida. Mas, enquanto o Ozempic possui 1 mg da substância e serve para controle do diabetes tipo 2, o Wegovy tem posologia de até 2,4 mg por dose semanal. Além disso, a dosagem maior da semaglutida tem aprovação para o tratamento da obesidade e do sobrepeso”, esclarece o médico.

Segundo o especialista, a semaglutida é um análogo do GLP1. Ou seja, confere a sensação de saciedade, o que reduz o apetite e a vontade de comer. Dessa forma, age como um coadjuvante na perda de peso.

“É importante receber a aprovação do Wegovy no tratamento para a obesidade. Assim, é possível orientar o uso do fármaco para dosagens maiores para alguns pacientes, se for necessário”, opina.

Veja também: Conheça os sinais da abstinência de cafeína

Wegovy e Ozempic precisam de prescrição médica

No ano passado, surgiu uma trend no TikTok sobre a experiência de usuários com a aplicação do Ozempic para emagrecer. Contudo, boa parte das pessoas utilizaram o medicamento sem orientação profissional, prática desaconselhada pelos médicos.

Tudo começou em junho de 2021, quando a semaglutida recebeu aprovação da FDA (a “Anvisa dos Estados Unidos) para tratar sobrepeso e obesidade. No entanto, o uso era indicado se o indivíduo tivesse uma das três comorbidades: hipertensão, diabetes do tipo 2 e colesterol alto.

O problema é que o Ozempic não é indicado para todo mundo, pois controlar o apetite pode não ser a única solução para a perda de peso. Principalmente pela indicação do fármaco: ele é aprovado para tratamento do diabetes tipo 2.

O mesmo vale para o novo Wegovy. “O acompanhamento médico é fundamental para manejar a eficiência do medicamento, bem como a alimentação. Além disso, a semaglutida pode causar efeitos colaterais. Por exemplo náuseas, distensão abdominal, constipação, azia, queimação, refluxo… Então, em dose maiores, os efeitos podem ser mais desconfortáveis”, alerta Barroso.

Mais sobre o Wegovy

De acordo a Novo Nordisk, responsável pela produção do Wegovy, ainda não há data de comercialização no Brasil.

A recomendação para o tratamento são aplicações semanais de 0,25 mg. Ao longo de 16 semanas, a posologia aumenta gradualmente, até atingir a dose de manutenção de 2,4 mg por semana.

Outro requisito é a prescrição. O medicamento se aplica apenas a indivíduos com IMC maior ou igual a 30 kg/m² (obesidade); ou maior ou igual a 27 kg/m² (excesso de peso) na presença de pelo menos uma comorbidade relacionada ao peso.

“O aval se baseou nos resultados do programa de ensaios clínicos STEP (Semaglutide Treatment Effect in People with Obesity). Os pacientes que utilizaram Wegovy (semaglutida 2,4 mg) conseguiram uma perda de peso média de 17%, em 68 semanas, contra 2,4% do grupo placebo”, disse a farmacêutica em comunicado oficial.

Nesse sentido, um em cada três pacientes perdeu 20% de seu peso corporal e 83,5% dos participantes alcançaram uma redução de 5% ou mais com a utilização do medicamento.

 

 

Sobre o autor

Amanda Preto
Jornalista especializada em saúde, bem-estar, movimento e professora de yoga há 10 anos.

Leia também:

montagem com as fotos de Wagner
Saúde

Ele já fez mais de 100 doações de sangue e plaquetas: “dar um pouco da minha saúde para quem precisa?”

Conheça a história de Wagner Hirata, que tem as doações de sangue e plaquetas como um de seus propósitos de vida

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte

Reynaldo Gianecchini
Saúde

Reynaldo Gianecchini revela diagnóstico de doença autoimune

A síndrome de Guillain Barré causa fraqueza e dificuldades para mover os braços e as pernas