Intoxicação infantil: mãe alerta sobre perigo da filha ter bebido Neosoro

2 de agosto, 2022

Com crianças pequenas em casa, é preciso redobrar os cuidados sobre onde os produtos, que podem vir a ser tóxicos para elas, estão guardados. No Instagram, Paula Soares, influenciadora digital, usou a rede social para fazer esse alerta sobre intoxicação infantil. Isso porque sua filha, de dois anos, acabou ingerindo Neosoro sem que a mãe soubesse.

De acordo com o relato da influenciadora na internet, a pequena Maria seguia uma rotina normal. Ela havia brincado, mamado, tomado banho e, então, foi descansar. “Só que logo que acordou, começou a passar mal. Ela estava extremamente fria, mas suando muito. Só queria ficar deitada, o que para ela que é uma criança espevitada, que interage, ali eu já sabia que tinha algo errado, e fui ao plantão do hospital”, escreveu Paula.

Ao dar entrada no pronto-socorro, Maria foi colocada no oxigênio. No entanto, seus batimentos cardíacos continuavam caindo bem como sua temperatura corporal. A solução médica, então, foi transferi-la para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

“Lá, o médico fez a avaliação e veio conversar comigo, perguntado se eu era usuária de remédio de nariz (uso Neosoro há um tempo). Foi então que ele chegou ao diagnóstico de que ela teria ingerido Nafazolina, principal componente do descongestionante nasal”, explicou a mãe.

Nos comentários, os seguidores ficaram em dúvida se Paula aplicava o medicamento na filha ou se o componente do remédio havia passado para a pequena pelo leito materno, por exemplo. Foi, então, que a influenciadora digital explicou que Maria provavelmente pegou o frasco do Neosoro e tomou pelo menos metade do líquido, segundo o que o médico a informou.

Leia mais: Acidentes domésticos com crianças: conheça os perigos

Sintomas de intoxicação infantil

De acordo com a ONG Criança Segura, a intoxicação ou envenenamento infantil é a quinta maior causa de internação por motivos acidentais entre crianças de zero a 14 anos. Com isso em mente, é importante que os pais estejam alertas aos principais indicativos do quadro.

Conforme as orientações da Secretaria da Saúde, do Governo do Estado do Paraná, os principais sinais de intoxicação infantil são:

  • Dor;
  • Vômito;
  • Convulsão;
  • Diarreia;
  • Paralisia;
  • Respiração difícil;
  • Confusão mental;
  • Mudança na cor dos lábios;
  • Sensação de queimação na boca, garganta ou estômago.

Em suma, esses sintomas podem ocorrer devido a intoxicação por produtos de limpeza, agrotóxicos, plantas tóxicas, além de medicamentos – como foi o caso de Maria. Diante de qualquer um destes sinais de envenenamento, os pais devem buscar pelo pronto-atendimento.

Leia mais: Qual a diferença entre intoxicação e infecção alimentar?

Como prevenir este quadro infantil?

Para evitar a intoxicação infantil por qualquer um dos itens citados acima, a ONG Criança Segura traz orientações importantes aos pais. Embora muitas vezes passe despercebida, a primeira recomendação é manter desde produtos de limpeza a medicamentos em locais altos, fora do alcance dos pequenos. A indicação vale mesmo para aqueles remédios que são de uso diário dos pais. Logo, elas só devem ser de fácil acesso para adultos!

Deve-se também manter os produtos sempre em suas embalagens originais para não confundir as crianças. Inclusive, os melhores recipientes são aqueles que possuem tampa de segurança a prova de abertura pelos menores.

Ainda sobre remédios, pais não devem oferecê-los como “doces” para tentar convencer o filho a consumi-lo. A atitude, a longo prazo, pode fazer com que o pequeno busque pelo medicamento quando quiser consumir açúcar, por exemplo.

Referências:

ONG Criança Segura

Secretaria da Saúde – Governo do Estado do Paraná