Flacidez na barriga: cremes, tratamentos e exercícios para tratar

2 de agosto, 2022

A flacidez na barriga é uma das queixas mais comuns quando se fala em cuidados com o corpo – especialmente entre as mulheres.

Apesar de gerar bastante incômodo, trata-se de um processo natural e que normalmente é causado pelo envelhecimento. Portanto, qualquer pessoa pode passar por isso.

O que ocorre é que, com o passar dos anos, o corpo diminui a produção de colágeno, que é responsável por promover a firmeza, a sustentação e a elasticidade da pele, fazendo com que ela fique flácida.

Leia também: Flacidez na barriga: conheça as principais causas e como evitar que aconteça

“A faixa de idade mais comum é depois dos 50 anos com a chegada da menopausa, pois perdermos a proteção hormonal”, explica a dermatologista Fernanda Bombonatti, de São Paulo.

Além disso, a mudança de peso muito frequente, a gestação e a perda de elasticidade da pele também são outras causas comuns para o problema.

A boa notícia, contudo, é que existem algumas formas de amenizar ou acabar de vez com a flacidez. Saiba mais!

Leia também: Flacidez após emagrecer: afinal, como eliminar o excesso de pele?

Tratamentos para a flacidez da barriga

De acordo com Fernanda, para tratar uma flacidez já existente, é preciso fazer uma combinação de cremes tópicos, nutraceuticos orais, procedimentos estéticos e exercícios físicos.

Leia também: Flacidez corporal tem tratamento: Saiba quais os melhores

Desta forma, é indispensável que os pacientes busquem profissionais especializados – de preferência dermatologista e personal trainer – para que seja indicado um tratamento individualizado de acordo com as necessidades de cada pessoa.

Ainda assim, existem alguns procedimentos e medicações que são usados com mais frequência quando se fala em cuidados para flacidez. A seguir, Fernanda indica quais são eles

Leia também: Afinal, como emagrecer sem flacidez? Dicas para perder peso e manter a pele firme

Descubra se seu peso está saudável Em minutos, você saberá se seu peso atual é saudável, com a ajuda grátis da Vitat.

Procedimentos estéticos

Bioestimuladores

Trata-se de substâncias que são injetadas para estimular as células do corpo a produzir colágeno.

Normalmente, o procedimento é feito através de aplicações rápidas e sem a necessidade de internação, portanto ele não costuma atrapalhar as atividades do dia a dia do paciente.

Ultrassom microfocado

Não invasivo, este procedimento oferece um efeito lifting para a pele através do uso do calor para promover a melhora da flacidez.

Isso acontece porque as ondas do ultrassom atingem e aquecem as camadas mais profundas da pele, estimulando a contração do colágeno e, assim, levando a um efeito de reestruturação em suas fibras.

Fios de PDO

Aqui, são inseridos por baixo da pele os fios feitos à base de polidioxanona, com o objetivo de dar mais sustentação à região aplicada.

O procedimento é feito com anestesia local e em consultório médico, através de uma agulha bem fina que leva o fio até o local do corpo onde ele deve sair para, então, “levantar” a pele.

“O fio de PDO ajuda na estimulação do colágeno e ajuda no reposicionamento do tecido”, explica a dermatologista.

Outros benefícios da técnica são: tratamento de assimetrias, melhora do contorno e da sustentação da pele e a ação antienvelhecimento da pele.

Tratamentos orais ou com cremes

  • Ácido hialurônico: estimula a produção de colágeno, hidrata e sustenta a pele.
  • Centella asiática: com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, aumenta a produção de colágeno.
  • Silício orgânico: estimula a síntese de colágeno e elastina.
  • Colágeno e elastina: proteínas responsáveis pela elasticidade e firmeza da pele. Ajudam a regenerar a pele, melhorando sua textura e elasticidade.
  • Q10: Ação antioxidante. Combate os radicais livres e previne a queda do colágeno, combatendo o envelhecimento da pele.
  • DMAE: Tem efeito lifting, combate a flacidez, hidrata e tem ação antienvelhecimento.

Leia também: Conheça os alimentos e ervas que aumentam a produção de colágeno e saiba porque eles funcionam

Exercícios físicos para flacidez da barriga

Apesar de existir uma série de exercícios para a região do abdômen, nenhum deles é capaz de tratar diretamente a flacidez da barriga.

Ainda assim, de acordo com o personal trainer Manoel Rangel, de São Paulo, é possível apostar em movimentos que ajudam a melhorar o tônus muscular desta região, deixando-a mais rígida.

São eles:

Prancha

Deite-se com a barriga para baixo e apoie os antebraços no chão. Mantenha o corpo alinhado dos pés à cabeça, com o quadril firme e sem deixar a coluna curvar.

Para garantir mais estabilidade, você pode deixar os pés um pouco mais afastados, mas sem prejudicar a postura do exercício. E não esqueça de contrair o abdômen.

Fique nesta posição pelo tempo que conseguir sustentá-la da forma correta.

Leia também: Porque você não consegue fazer prancha: saiba os erros mais comuns

Prancha lateral

Deite-se de lado, estique as pernas e se apoie usando apenas o antebraço do lado que está em contato com o chão. Depois, levante o quadril, deixando apenas os pés e o antebraço apoiados.

Observe se sua cabeça está alinhada com a coluna e seu braço esquerdo com o lado esquerdo do seu corpo.

Mantenha a posição pelo tempo em que conseguir sustentá-la e, depois, repita com o outro lado.

Leia também: Afinal, para que serve e quais são os benefícios da prancha lateral?

Abdominal remador

Deite-se sobre um colchonete e, com a barriga virada para cima, estique seus braços e pernas.

Em seguida, dobre as pernas ao mesmo tempo que contrai o abdômen para subir em direção a seus joelhos, abraçando-os. Depois, volte para a posição inicial, esticando novamente os braços e pernas.

Leia também: Conheça os erros que estão fazendo o seu abdominal ser menos eficiente e porque você os comete

Abdominal infra

Deite de costas no chão, com as pernas estendidas e os braços ao lado do corpo.

Com as mãos apoiadas no solo, faça força com o abdômen para levantar as pernas esticadas em direção ao teto.

Volte à posição inicial mantendo as pernas esticadas e, depois, repita o movimento.

Leia também: Afinal, quais benefícios o abdominal infra oferece?

Fontes: Fernanda Bombonatti, dermatologista, de São Paulo; Manoel Rangel, personal trainer, de São Paulo.

Sobre o autor

Ana Paula Ferreira
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em beleza e bem-estar.