Exercícios quem tem obesidade: conheca os melhores para combater a doença

9 de setembro, 2019

Recentemente, uma pesquisa revelou os melhores exercícios para quem tem obesidade. Vale lembrar que essa é uma doença complexa, que faz parte das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT). De um modo geral, podemos dizer que ela é caracterizada por um acúmulo excessivo de gordura corporal. Como resultado, tal acúmulo pode levar a outras enfermidades como doenças cardiovasculares, dislipidemia, diabetes tipo 2, síndrome metabólica, além de alguns tipos de câncer.

Em 2019, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou os dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS). De acordo com a pesquisa, 6 em cada 10 brasileiros apresentam excesso de peso. Em outras palavras, cerca de 96 milhões de pessoas estão acima do peso. Se focarmos o olhar exclusivamente para a porcentagem de adultos com obesidade, veremos que ela mais do que dobrou nesse mesmo período, indo de 12,2% para 26,8%.

Pesquisa indicou os melhores exercícios para pessoas com obesidade

Apesar da obesidade ser resultado de uma interação complexa entre estilo de vida e genes, a predisposição genética de uma pessoa para a condição desempenha um papel central, e pesquisadores estão começando a entender a influência que tais genes exercem no excesso de peso corporal.

A Universidade Nacional de Taiwan liderou recentemente um estudo revisando os tipos de exercícios para pessoas com obesidade que são mais eficazes. Dessa forma, pesquisadores examinaram dados de 18.424 adultos entre 30 e 70 anos de idade. Em seguida, analisaram cinco medidas de obesidade: IMC, percentual de gordura corporal, circunferência da cintura e do quadril e razão da medida cintura-quadril. A equipe também usou parâmetros internos para criar pontuações para cada uma das cinco medidas de obesidade. O estudo incluiu ainda dados auto-relatados dos participantes sobre os tipos de exercícios que eles faziam regularmente.

Leia mais: Benefícios das terapias cognitivas e comportamentais no tratamento da obesidade

Um cruzamento das interações entre a pontuação de risco genético de uma pessoa e sua rotina de exercícios revelou que correr foi a melhor atividade para reduzir a obesidade desse grupo de pessoas. Além da corrida, ciclismo, caminhada, dança tradicional, yoga e alpinismo também atenuaram os efeitos genéticos no IMC e se mostraram eficazes no combate a esse distúrbio.

Nesse sentido, universidade declarou que as descobertas mostram que os efeitos genéticos nas medidas da obesidade podem ser reduzidos em vários níveis, realizando diferentes tipos de exercícios. Por fim, a pesquisa mostrou que os benefícios do exercício físico são mais impactantes em indivíduos mais predisposto.

Leia também: Dicas para começar uma rotina de exercícios

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.