Excesso de pelos no corpo feminino, como em Gretchen: veja causas

2 de junho, 2022

Recentemente, a cantora Gretchen virou assunto ao compartilhar uma foto de biquíni. A publicação, que poderia ser apenas mais uma no enorme celeiro das redes sociais, chamou a atenção devido aos pelos da cantora na região do peitoral, colo, braços, ombros e barriga. Mas quais são as possíveis causas do excesso de pelos no corpo feminino e quando a condição pode ser motivo de problemas de saúde?

Veja também: Sequelas do AVC: entenda o que causou a morte de Milton Gonçalves

Possíveis razões para o excesso de pelos no corpo feminino

Na situação de Gretchen, não há como saber o motivo, pois é necessária uma análise detalhada por meio de exames, estilo de vida e fatores genéticos. Apesar de causar surpresa nas pessoas, o crescimento exacerbado de pelos em locais pouco comuns ao corpo da mulher é normal em algumas regiões do mundo. Por exemplo, mulheres árabes, portuguesas e espanholas podem ser mais peludas naturalmente. Logo, a hereditariedade é um dos fatores que influenciam nessa característica de uma geração para outra. Contudo, o excesso de pelos no corpo feminino também é um sinal de que algo não vai bem com a saúde. Dessa forma, é fundamental consultar um médico endocrinologista ou ginecologista para entender o que está havendo. Principalmente se os pelos não são uma característica da pessoa e surgiram subitamente. Veja outras prováveis razões:

Hirsutismo

O hirsutismo é a presença de pelos em áreas como as de Gretchen, inclusive no rosto, bumbum, coxas e costas e costumam ser espessos e fartos. Segundo Claudia Chang, pós-doutora em endocrinologia e metabologia pela USP e Membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), a principal causa é hormonal. Nas mulheres, os hormônios masculinos são formados nos ovários e nas adrenais ou suprarrenais. “Quando há determinadas disfunções nestes órgãos, pode haver crescimento exagerado de pelos mais grossos”, esclarece. Logo, muitas mulheres com hirsutismo também possuem Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP). O distúrbio aumenta a produção dos hormônios sexuais masculinos e provoca múltiplos cistos no ovário. Além dos pelos a mulher pode ter menstruação irregular, infertilidade, resistência à insulina, diabetes e obesidade.

Hipertricose

A condição é rara, e consiste no desenvolvimento de pelos muito acima do normal. Por essa razão, a doença também é conhecida por “síndrome do lobisomem”, pois o rosto e outras partes do corpo são tomadas pelo crescimento de pelos, exceto nas mãos e pés. A princípio, existem alguns fatores que desencadeiam o problema: o primeiro é genético. Nesse caso, a família pode ter um ou mais membros com a condição, causada por uma provável mutação de genes. Outra causa está relacionada ao uso de determinados medicamentos ou, ainda, devido a um câncer. A hipertricose não tem cura, mas há controle por meio de sessões de laser, que removem os pelos por um tempo.

Fonte: Claudia Chang, pós-doutora em endocrinologia e metabologia pela USP e Membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). Referência: National Library of Medicine (EUA).