Estudo sobre varíola dos macacos alerta fatalidade em pessoas com HIV ou baixa imunidade

Saúde
28 de Outubro, 2022
Estudo sobre varíola dos macacos alerta fatalidade em pessoas com HIV ou baixa imunidade

Um estudo sobre a varíola dos macacos, feito com 57 pacientes com HIV ou sistema imunológico fraco, mostrou que esses grupos, quando infectados pela varíola, apresentam sintomas graves ou até mesmo morrem. Os dados são de um estudo estadunidense. 

Leia também: Lesões da monkeypox: dá para diferenciá-las de outras doenças?

Como funcionou o estudo sobre varíola dos macacos em pessoas com imunidade fraca? 

Os pacientes analisados estavam hospitalizados com complicações severas da varíola dos macacos. Então, 83% deles tinha o sistema imunológico fraco, sendo em grande maioria devido ao HIV. Notou-se que uma grande quantidade dessas pessoas não estavam se tratando contra o vírus causador da Aids. 

“A varíola e o HIV colidiram com efeitos trágicos. O relatório de hoje lembra a todos nós que o acesso à prevenção e tratamento da varíola e do HIV é importante — para a vida das pessoas e para a saúde pública”, disse Dr. Jonathan Mermin, líder da resposta à varíola dos EUA para os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), em comunicado.

Nos Estados Unidos, mais de 28.000 pessoas contraíram o vírus desde maio de 2022. Assim, o pico da enfermidade foi atingido no meio de agosto, caindo acentualmente com a liberação das vacinas. 

Dessa forma, o estudo mostra que as autoridades de saúde do país analisaram casos mais graves da doença. Assim, descobriu-se que 47 dos indivíduos participantes da pesquisa também convivem com o vírus do HIV. No entanto, apenas quatro deles estavam em terapia antirretroviral, que mantêm o vírus sob controle. 

95% dos participantes eram do sexo masculino e 68% negros. Assim, a análise conta que 17 pacientes precisaram de cuidados em uma unidade de terapia intensiva (UTI) e 12 morreram, sendo 5 casos em que a varíola foi um fator atenuante ou causa confirmada da morte.

Pesquisadores pediram que os profissionais de saúde testassem os pacientes sexualmente ativos. Assim, os indivíduos foram testados para a varíola e o HIV num mesmo momento, menos os que já sabiam serem portadores do vírus HIV. Dessa forma, quem testou positivo para o vírus da imunodeficiência pode iniciar o tratamento com urgência, mesmo antes da infecção da varíola dos macacos ser confirmada.

Sobre o autor

Gabriela Ferreira
Jornalista e Repórter da Vitat.

Leia também:

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Medir a pressão arterial
Saúde

Medir a pressão arterial: veja novas recomendações

Veja novas recomendações da Sociedade Brasileira de Cardiologia

mulher se consultando com um médico
Bem-estar Saúde

Preparação para a bariátrica vai além dos exames e envolve mudanças de vida

Antes de entrar no centro cirúrgico, o candidato à cirurgia bariátrica percorre um caminho de preparação que promete mais do que a perda de peso: uma