Erva-de-Bicho: entenda para que serve e como usar

25 de março, 2022

A erva-de-bicho é muito utilizada na medicina chinesa. De acordo com o Dr. André Augusto Pinto, cirurgião geral e cirurgião bariátrico da Clínica Gastro ABC, a planta medicinal tem propriedades cicatrizantes e vasoconstritoras, muito utilizada para tratamento de cicatrização de feridas de pele e das hemorroidas

“Geralmente, essa planta é utilizada no preparo de chá, pomada ou banhos de assento, mas também pode ser encontrada na apresentação de cápsulas e comprimidos”, explica o especialista. 

Assim, a Erva-de-Bicho pode ser comprada em lojas de produtos naturais ou farmácias de manipulação, sempre com prescrição médica.

Para que serve a Erva-de-Bicho?

Segundo o cirurgião bariátrico, as ações medicinais da Erva-de-Bicho servem para auxiliar no tratamento das hemorroidas, prevenir a má circulação, cicatrização de feridas da pele, diminuir a retenção de líquidos do corpo, aliviar as cólicas menstruais e reduzir a dor.

“Existem também o chá de Erva-de-Bicho, utilizado para auxiliar nos problemas da má circulação, artrite, reumatismo e dor muscular. Já o banho de assento com essa planta é utilizado no tratamento de hemorroidas externas”, acrescenta o especialista.

Além disso, o médico lembra que a pomada de Erva-de-Bicho pode ser usada para problemas de pele, feridas e úlceras de pele, varizes e também nas hemorroidas externas.

Por outro lado, os comprimidos ou cápsulas dessa planta também podem ser usados no tratamento das hemorroidas internas, varizes e má circulação. “Sempre tomando cuidado com as concentrações dos comprimidos, por isso, sempre com acompanhamento médico”, recomenda o Dr. André Augusto Pinto.

Benefícios

O Dr. Adalberto Villalba Mezacasa, especialista em plantas e cosméticos naturais, afirma que os maiores benefícios da Erva-de-Bicho incluem:

  • Ação anti-inflamatória e cicatrizante;
  • Pode ser utilizada no tratamento de alergias contra picadas de insetos, sarna e acnes;
  • Possui ação vasoconstritora, portanto, pode ser utilizada no tratamento de hemorroidas externas;
  • A pomada de Erva-de-Bicho é rica em taninos, por isso, pode ser uma opção para o tratamento de lesões superficiais na pele ou mucosa.

Efeitos colaterais

Apesar do especialista em plantas e cosméticos naturais, ter costume de trabalhar com extratos de Erva-de-Bicho e ter um retorno positivo quanto a sua utilização em cosméticos e produtos de higiene pessoal, é preciso ficar atento aos possíveis efeitos colaterais.

“Os efeitos colaterais desta planta podem estar associados a intolerância ou a alergia a alguns dos seus ativos. Mas no uso tópico, raramente ocorre algum efeito colateral”, comenta o médico. 

Dessa forma, o Dr. Adalberto Villalba Mezacasa ressalta novamente que, antes de qualquer tratamento alternativo, o médico deve ser consultado porque possui conhecimento e reconhecimento dessa planta. “Além disso, se for adquirir a Erva-de-Bicho, é importante procurar lojas especializadas para garantir a compra de um produto ou planta de maneira correta”, finaliza. 

Leia também: Como conservar coentro, salsinha e cebolinha? Dicas práticas

Erva-de-Bicho é indicado para hemorroidas?

A recomendação mais popular da Erva-de-Bicho é para o tratamento de hemorroidas. Nós conversamos também com o Dr. Murilo Leandro Marcos, médico da família e comunidade, além de especialista em plantas medicinais, para falar a respeito desse assunto.

“Sim, na ciência ou na cultura popular, a Erva-de-Bicho é muito conhecida por ser útil nos casos de hemorroidas, hemorragias internas, fibromas uterinos e varizes. Isso porque supostamente sua ação hemostática possui capacidade de estancar ou diminuir sangramentos, além da sua ação cicatrizante”, relembra o médico. 

Além disso, o especialista em plantas medicinais inclui que a Erva-de-Bicho possui propriedades adstringente, antitérmica, estimulante, diurética, vermicida, indicada para tratamento de úlceras e diarreias sanguinolentas. “Externamente, é usada para reumatismo, erisipela e artrite”, reforça.

Cuidados ao utilizar produtos com Erva-de-Bicho

O Dr. Murilo Leandro Marcos indica alguns cuidados que todos os pacientes precisam ter antes de usar produtos com Erva-de-Bicho. Assim, saiba quais são:  

  • Leia os rótulos e bulas: saiba qual ou quais componentes estão presentes nas formulações.
  • Questione: se tiver dúvida, converse com um profissional de confiança.
  • Uso tópico: dê preferência ao uso externo (pomadas, banhos de assento e compressas);
  • Evite dose alta: dose de até 250 mg/kg por via oral não foram observados efeitos tóxicos.
  • Se atente ao uso prolongado: não ultrapassar 15 dias seguidos.
  • Uso interno: prefira tintura, cápsulas ou comprimidos.

O especialista explica porque recomenda tomar alguns cuidados quanto ao uso da Erva-de-Bicho: “é muito importante salientar que não existem muitos estudos científicos sobre essa planta, sendo assim, as ações, a eficácia e a segurança de uso (principalmente o uso interno) não estão validadas pelo conhecimento científico atual. Mas isso não quer dizer que ela não funcione ou que irá fazer mal, mas sugiro cautela no uso”, enfatiza. 

Formas de uso

É possível escolher o formato para consumir a Erva-de-Bicho, pois as suas propriedades medicinais são utilizadas na formulação de pomadas, comprimidos, tinturas, extrato fluido, cápsulas e chás. 

O especialista em plantas medicinais, Dr. Murilo Leandro Marcos, explica como consumir a Erva-de-Bicho. Portanto, confira: 

Uso interno

  • Infusão de chá: coloque 3 colheres de sopa da planta fresca em 1 litro de água fervente. Aguarde por 15 minutos e, em seguida, tome 3 xícaras de chá ao dia, por no máximo 15 dias.
  • Tintura: coloque 15 gotas de extrato de Erva-de-Bicho em 1 copo d’água. Tome 3 vezes ao dia, por no máximo 15 dias.

Uso externo

  • Compressas: coloque 3 colheres de sopa da planta seca em meio litro de água fervente. Aguarde 15 minutos, embebeda em gaze/compressa e aplique sobre o ferimento.
  • Banhos: faça a infusão de 30g da planta fresca ou seca em 1 litro de água. Logo depois, tome 2 banhos diários com essa água infusionada.

Fontes: Dr. André Augusto Pinto, cirurgião geral e cirurgião bariátrico da Clínica Gastro ABC. Dr. Adalberto Villalba Mezacasa, especialista em plantas e cosméticos naturais. Dr. Murilo Leandro Marcos, médico da família e comunidade, além de especialista em plantas medicinais. 

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.