Erosão dentária: o que é, causas e formas de tratamento

9 de maio, 2022

Com a mudança de hábitos e de estilo de vida, a população começou a sofrer com novos problemas de saúde. A erosão dentária é um deles, porque afeta a saúde bucal e a rotina da pessoa se não for tratada.

Veja também: Tártaro nos dentes: o que é e como remover

O que é a erosão dentária?

De acordo com a cirurgiã dentista Bruna Conde, a erosão dentária é o desgaste do esmalte dos dentes causado pelo contato com ácidos ou quelante. Como resultado, essas substâncias afetam os dentes e deixam as extremidades transparentes. Isso aumenta o risco de cáries, infecções e inflamações.

Causas da erosão dentária

Antes de mais nada, os dentes possuem camadas de tecido, cada qual com sua função. Uma delas, a dentina, fica logo abaixo da superfície do esmalte. Os túbulos que passam pela dentina ajudam a perceber as sensações de temperatura e textura. Embora façam parte da função normal dos dentes, podem surgir problemas com diversas origens. Por exemplo, dietas ácidas, escovação inadequada, interferências oclusais, uso de substâncias que desgastam os dentes, contaminação bacteriana, recessão gengival, entre outros. Cada causa provoca certos tipos de erosão dentária, que são:

Erosão extrínseca

Nossa alimentação pode ser uma das responsáveis pelo distúrbio da saúde bucal. Principalmente frutas, suco de frutas e refrigerantes, pois contêm diversos ácidos danosos ao dentes. Também estamos sujeitos à ação de outros ácidos presentes no ar, piscinas com monitoramento do pH deficiente e até em medicamentos. 

Erosão intrínseca

Provocada por transtornos como bulimia e anorexia, que mexem com a flora bucal e aumentam o contato com a acidez estomacal. Alcoolismo, problemas gastrointestinais como refluxo gastroesofágico e gastrite são outros causadores da erosão intrínseca.

Erosão idiopática

É o tipo de erosão sem causa definida, quando os exames clínicos ou análise médica não conseguem identificá-la.

Sintomas da erosão dentária

A princípio, os sinais da erosão dentária são fáceis de se perceber. “A hiperssensibilidade dentária é um deles e vem com dores de curta duração, aguda e súbita, devido ao contato com um alimento quente ou muito gelado”, explica a especialista. Outro sintoma é a transparência nas pontas dos dentes, sobretudo os da frente. Quanto maior o nível de desgaste, maior a chance de se formarem fissuras nos dentes, pois a dentina desgastada leva ao enfraquecimento do osso.

E se a erosão dentária não for tratada?

Às vezes, é comum adiar a visita ao dentista por falta de tempo ou conhecimento. Dor ao mastigar, sensibilidade intensa e incômodo ao morder algo podem parecer inofensivos. Em contrapartida, a falta de tratamento poderá causar quebra dos dentes, infecções, cáries e outros problemas dolorosos e que precisam de intervenções complexas.

Diagnóstico da erosão dentária

O dentista fará um estudo para identificar as possíveis razões do problema. Dessa forma, estilo de vida, alimentação, uso de remédios e transtornos alimentares fazem parte da consulta. A análise clínica da aparência e da saúde dos dentes e exames como o ultrassom também ajudam a fechar o diagnóstico.

Tratamento

O profissional fará o tratamento de acordo com a causa. Então, se a origem for a alimentação, é importante diminuir ou eliminar o consumo de alimentos ácidos. Mas se houver alguma doença alimentar ou gastrointestinal, ela deverá ser tratada com os dentes. Outra recomendação é fazer bochechos com flúor e usar cremes dentais especiais, pois ajudam a prevenir a sensibilidade dos dentes. Se o desgaste estiver alto, será preciso fazer uma intervenção estética ou funcional para recuperar o dente.

Como prevenir a erosão dentária?

Os cuidados são básicos e não são caros. Veja:

  • Escove os dentes corretamente e com frequência: usar a escova ideal e fazer movimentos delicados e circulares são fundamentais. Faça a higiene bucal após as refeições e não se esqueça do fio dental. Quer saber como escolher a melhor escova de dente para o seu dia a dia? Veja aqui.
  • Modere o consumo de bebidas e alimentos ácidos: os ultraprocessados são os principais vilões dos dentes. Refrigerantes e alimentos ricos em açúcares causam não só a erosão dentária, mas outros problemas. Sem falar nas demais substâncias, como corantes e conservantes, que possuem o mesmo poder corrosivo.
  • Faça check-ups regulares: um problema de saúde em outra parte do corpo interfere na saúde da boca. Por isso, não deixe de fazer consultas de rotina com seu médico e dentista.
  • Incentive seus filhos a cuidar dos dentes: um estudo da USP avaliou 967 crianças de três e quatro anos de idade, que ainda possuíam os dentes de leite. Entre elas, 51,6% apresentaram erosão, sendo que a maioria das lesões estava no início. Portanto, se você tem crianças em casa, ensine a importância de cuidar dos dentes desde cedo para evitar esse e outros problemas.
  • Evite outros hábitos que prejudicam os dentes. Roer as unhas, mastigar alimentos muito duros e chicletes são alguns maus exemplos. Veja o que mais pode afetar sua saúde bucal.

Fonte: Bruna Conde, cirurgiã dentista. CRO-SP 102038.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.