Engolir chiclete faz mal? Saiba se o alimento permanece no organismo

Saúde
18 de Maio, 2022
Engolir chiclete faz mal? Saiba se o alimento permanece no organismo

O chiclete é um ótimo aliado quando queremos um docinho ou para melhorar o hálito após uma refeição. Sua popularidade já levantou diversas questões de segurança. Por exemplo, há quem diga que a goma pode demorar 7 anos para ser digerida e, em alguns casos, que se movimenta dentro do corpo até chegar ao coração. Afinal, engolir chiclete faz mal para a saúde? A resposta é: depende. Veja os mitos e verdades.

Leia mais: Chiclete de menta no parto pode aliviar dores, diz estudo

Engolir chiclete faz mal, se o hábito for frequente

De acordo com a Cleveland Clinic, centro médico e acadêmico referência no Canadá e em outros países, não há problema em engolir o chiclete de vez em quando. Contudo, fazer isso sempre, como mascar e engolir a goma por dias seguidos, pode causar problemas. O motivo é que o chiclete é feito de substâncias sintéticas. Ou seja, sua base não é um ingrediente alimentar que o corpo consegue digerir adequadamente. Por essa razão, pode haver o risco da goma se instalar na parede intestinal e provocar uma obstrução. Para isso acontecer, são necessários mais de um chiclete acumulado no tubo digestivo. O hospital Sírio-Libanês reforça a atenção ao hábito, que deve ser monitorado principalmente entre as crianças.

É verdade que o chiclete permanece por anos no organismo?

Provavelmente essa história nasceu para desencorajar alguém a não engolir um chiclete. De qualquer forma, a afirmação é falsa. Apesar do organismo não digerir o chiclete, ele passa pelo sistema digestivo como qualquer alimento que consumimos. Beth Czerwony, nutricionista da Cleveland Clinic, esclarece que o chiclete pode demorar um pouco mais para sair na fezes, mas que é impossível ele permanecer por anos no organismo. “Para isso acontecer [o fato do chiclete não sair nas fezes], você precisa ter algum problema de saúde raro. Normalmente, o chiclete não demora mais do que 40 horas para ser expelido pelo corpo”, alega.

Se pararmos para refletir, nossa alimentação é rica em alimentos que o corpo não consegue decompor. Por exemplo, milho, sementes cruas e alguns vegetais folhosos costumam sair intactos nas fezes. E não se preocupe: o chiclete também não irá passear pelo seu corpo até chegar ao coração. Afinal, segue a mesma lógica dos demais alimentos que ingerimos pela boca, que passa por todo o fluxo do complexo gastrointestinal.

O que fazer se eu passar mal?

Antes de mais nada, é importante buscar ajuda médica. A princípio, a gastroenterologia é a especialidade que cuida da saúde e de distúrbios gastrointestinais. Caso o problema esteja relacionado ao acúmulo de chiclete, os sinais de obstrução intestinal podem ser:

Caso você não seja do time que engole o chiclete, mas não abre mão de mascá-lo sempre, preste atenção: o excesso de goma de mascar pode estimular a alta produção de suco gástrico. Como resultado, podem surgir desconfortos como a gastrite, um tipo de inflamação do estômago que tem a queimação como um dos desconfortos.

Referências: Hospital Sírio-Libanês; e Cleveland Clinic.

Sobre o autor

Amanda Preto
Jornalista especializada em saúde, bem-estar, movimento e professora de yoga há 10 anos.

Leia também:

mulher se consultando com um médico
Bem-estar Saúde

Preparação para a bariátrica vai além dos exames e envolve mudanças de vida

Antes de entrar no centro cirúrgico, o candidato à cirurgia bariátrica percorre um caminho de preparação que promete mais do que a perda de peso: uma

tempo em frente às telas
Alimentação Bem-estar Equilíbrio Saúde

Maior tempo em frente às telas está associado à piora da dieta de adolescentes

Pesquisa brasileira avaliou dados de 1,2 mil adolescentes e constatou que a maioria gasta mais de 2 horas de tempo em frente as telas

corredor abaixado segurando a perna aparentemente com dor
Bem-estar Movimento Saúde

Será que eu estou com canelite? Médico destaca principais sinais

A condição é uma das principais preocupações entre os corredores. Ortopedista explica como identificar os sintomas característicos da canelite