Sim, é possível preparar um empanado saudável! Veja trocas inteligentes

Alimentação Bem-estar
16 de Maio, 2022
Sim, é possível preparar um empanado saudável! Veja trocas inteligentes

Difícil encontrar alguém que não ame um alimento empanado, não é mesmo? Essa nossa preferência por comidas mais crocantes e sequinhas tem uma possível explicação científica: um estudo conduzido por Charles Spence, da Universidade de Oxford, e divulgado pela revista Flavour, afirma que o som da comida tem uma grande influência na percepção do paladar durante o processo de comer.

De acordo com o autor, se a refeição provocar sons altos e crocantes, o cérebro automaticamente agregará mais intensidade ao sabor da mesma. Da mesma forma, ele afirma que se o prato não gerar sons, provavelmente a pessoa achará o gosto “normal”.

Isso acontece porque não comemos apenas com a boca — olhos, nariz e ouvido também participam ativamente do processo de alimentação. Afinal, quem nunca percebeu o estômago roncar ao sentir o cheiro de algo que acabou de sair do forno, ao ver uma receita sendo preparada na televisão ou ao escutar o som de algo crocante sendo partido ao meio?

O problema do empanado

Um alimento empanado perfeito pede alguns processos: primeiro, passar o item na farinha de trigo; depois, nos ovos batidos; em seguida, na farinha de rosca. Por fim, basta fritar o ingrediente no óleo.

Contudo, você já deve saber que a fritura é um método de preparo nada saudável para o organismo. Ela torna o alimento mais calórico, já que, ao ser frito, ele perde água e absorve gordura saturada (nutriente que concentra boas quantidades de calorias).

E se o ingrediente for ultraprocessado, pior ainda. Ele pode conter altas doses de gorduras trans, cujo consumo excessivo está relacionado ao “colesterol alto”, a doenças cardíacas, ao diabetes tipo 2 e até ao câncer.

Leia também: Como o horário das refeições influencia no refluxo?

Como preparar um empanado mais saudável?

A boa notícia é que existem alternativas para deixar o seu empanado mais saudável, mas igualmente crocante e delicioso. Confira algumas dicas:

Mude a forma de preparo

Troque a fritura em óleo por uma fritadeira sem óleo (a famosa air fryer). Essa máquina funciona circulando ar extremamente quente ao redor dos alimentos, que ficam crocantes por fora e muito úmidos por dentro, semelhantes aos alimentos tradicionalmente fritos, mas usando de 70 a 80% menos óleo.

Outra opção é o tradicional forno. O truque, aqui, é assar o item a uma temperatura bem alta (cerca de 232°C).

Nada de farinha branca

A farinha de trigo branca, usada na primeira etapa do processo, pode dar lugar à farinha de trigo integral, à farinha de aveia, e até a castanhas bem trituradas. A quinoa processada também pode ser uma alternativa.

Já o ovo não precisa ser substituído se você não quiser, afinal, ele é um bom ingrediente para a saúde. Contudo, se você não pode consumi-lo ou quer reduzir as calorias do prato, aposte na água na hora de umedecer.

Mix de nuts e grãos

Grãos e castanhas, quando bem triturados, garantem o efeito crocante da farinha de rosca. Invista em uma mistura de:

  • Sementes de linhaça;
  • Sementes de chia;
  • Castanhas diversas;
  • Amaranto;
  • Gergelim.

Referência: Eating with our ears: assessing the importance of the sounds of consumption on our perception and enjoyment of multisensory flavour experiences.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

ator Cauã Reymond segurando um garfo e uma faca e usando um babador
Alimentação Bem-estar

Cauã Reymond mostra jantar saudável com sopa, frango e legumes

Ator compartilhou em suas redes socais o que comeu na noite de Dia dos Namorados (12/06). Confira o jantar de Cauã Reymond

personal ajudando aluno a fazer o exercício crucifixo inclinado na academia
Bem-estar Movimento

Crucifixo inclinado: como fazer corretamente para evitar dores

A posição do banco no crucifixo inclinado faz com que o exercício enfatize bem os músculos do peitoral. Confira o passo a passo

criança nadando na piscina
Bem-estar Movimento

Crianças podem (e devem) fazer natação no inverno!

Prática deve ser contínua mesmo no frio, pois aumenta imunidade e o gasto calórico. Veja os benefícios da natação no inverno para as crianças!