Dispneia na gravidez: É normal sentir falta de ar? O que fazer?

A falta de ar ou dificuldade em respirar sem razão aparente é chamada de dispneia. Durante a dispneia na gravidez, com o crescimento do bebê, os órgãos perdem espaço e ficam mais apertados. Por isso que as idas ao banheiro aumentam, devido à compressão da bexiga; e no caso da falta de ar, a expansão da caixa torácica também torna-se limitada. 

Logo, a dificuldade em respirar é normal por causa de todas essas mudanças. Além disso, os vasos sanguíneos se dilatam mais por causa do aumento do fluxo de sangue. Esse trabalho extra do organismo também pode causar falta de ar, pois promove mais esforço do coração e dos pulmões para dar conta dessa demanda. 

Leia também: Descolamento da placenta: Entenda o que é e quais os riscos

Dispneia na gravidez: O que fazer para evitar a falta de ar

A dispneia na gravidez é uma consequência de uma alteração física, que é o crescimento do bebê dentro do útero. Não é possível frear esse processo, mas você pode amenizar o desconforto da falta de ar. Veja como:

Pratique yoga e pilates: ambas as modalidades priorizam a conexão entre movimento e respiração. Por essa razão, as práticas aumentam a consciência corporal e melhoram a qualidade da respiração. Os pranayamas (exercícios respiratórios) que integram o yoga trazem muitos benefícios.

Faça exercícios cárdio: uma caminhada rápida ou uma atividade mais intensa aumenta a capacidade cardiorrespiratória e mantém o condicionamento físico. Mas, lembre-se: faça atividade física com orientação profissional, principalmente se estiver grávida.

Evite se estressar ou passar por situações que despertam a ansiedade: quando estamos nervosos ou ansiosos, a respiração fica mais curta e descompassada, o que pode aumentar a sensação de falta de ar. Respire fundo, literalmente! 

Outras causas da falta de ar

Se a falta de ar não estiver ligada à mudança fisiológica, existem outras razões: alergias, doenças respiratórias e obesidade podem ser a origem do sintoma. Observe se a falta de ar está acompanhada de algum outro desconforto, como tosse e pulmões “chiando”, por exemplo. Sempre que você tiver dúvidas em relação ao que está sentindo, é importante consultar seu médico. A gravidez pode trazer muitas inseguranças em relação a sua saúde e a do bebê. Por fim, não hesite em compartilhar essas informações com um profissional! 

Fonte: Leopoldo Cruz Vieira,  ginecologista e obstetra da coordenação da maternidade do hospital HSANP em São Paulo/SP.

Leia também: Como lidar com a fome excessiva na gravidez?

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.