Dieta dissociada: O que é, como fazer e seus benefícios

Alimentação Bem-estar
11 de Março, 2021
Dieta dissociada: O que é, como fazer e seus benefícios

A dieta dissociada promove a ideia de que não se deve misturar carboidratos e proteínas na mesma refeição. Basicamente, ela defende que a combinação dos dois macronutrientes pode fazer com que o corpo produza ácido digestivo em excesso.

Ou seja, nesse estilo alimentar não se deve combinar, na mesma refeição, alimentos ricos em proteína, como a carne e os ovos, com alimentos do grupo dos carboidratos, como macarrão ou pão.

Sendo assim, poderia causar problemas para a saúde do estômago e dificultar a digestão. Ainda, também por esse motivo, a dieta recomenda o consumo de alimentos alcalinos, como é o caso dos vegetais.

Leia também: Dieta alcalina: O que é, como fazer e cardápio

Como seguir a dieta dissociada

A princípio, a dieta dissociada ajuda a distribuir e melhor planejar sua alimentação. Por isso, ela é feita com base na separação de dois macronutrientes entre as refeições: os carboidratos e as proteínas. A ideia principal é que, se consumidos separadamente, eles promovem maior sensação de saciedade, o que facilita a perda de peso. Por isso, essa é uma dieta especialmente indicada para o momento em que o corpo sofre do “efeito platô” – quando se adapta à metodologia e o metabolismo desacelera.

Porém, essa separação não se aplica para todos os tipos de carboidratos, mas sim para os simples. Ou seja, é possível consumir proteínas junto aos carboidratos complexos (verduras e legumes, por exemplo).

Leia mais: Dieta Macro: Como contar os macronutrientes para emagrecer

A importância dos carboidratos e das proteínas

Ambos são dois dos macronutrintes importantes para o corpo. Por isso, o consumo dos dois é essencial para a saúde física e mental-emocional. Em resumo, no que diz respeito à saúde física especificamente, o carboidrato é necessário principalmente para dar energia ao corpo. Já a proteína, é importante para o controle hormonal do corpo, para a saúde muscular e cardiovascular.

Cardápio da dieta dissociada

Pela manhã, a recomendação é de que os carboidratos sejam priorizados, afinal, eles darão energia para o restante do dia, até o momento da próxima refeição. No almoço, eles também pode ser incluídos. No entanto, no fim do dia, momento em que o metabolismo está mais lento, o consumo de proteínas deve ser a prioridade.

Por isso, no jantar e na ceia, opte por alimentos ricos em aminoácidos, como o leite, seus derivados, as leguminosas e as carnes. As proteínas são ainda mais importantes na parte da noite, pois é durante o sono que os músculos se recuperam do exercício físico. Recomenda-se seguir a dieta por ao menos 3 meses.

Fontes de carboidratos complexos

  • Grãos integrais
  • Cereais
  • Legumes
  • Vegetais crucíferos
  • Folhas

Fontes de proteínas

  • Carnes brancas (peixes, peru, frango e frutos do mar)
  • Carnes vermelhas
  • Leite
  • Iogurte
  • Queijos
  • Kefir
  • Leguminosas

Leia também: Dietas ricas em proteínas vegetais podem reduzir o risco de morte

Sobre o autor

Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo

Leia também:

Por quanto tempo tomar glutamina
Alimentação Bem-estar Saúde

Por quanto tempo devo tomar glutamina?

Veja recomendações importantes sobre o consumo prolongado

mulher correndo ao ar livre em uma ponte em cima de um rio
Bem-estar Movimento

Quando aumentar a distância na corrida?

Sente que os treinos estão ficando cada vez mais fáceis de completar? Talvez seja a hora de aumentar a distância na corrida. Entenda

Alimentação e hipertensão
Alimentação Bem-estar Saúde

Alimentação e hipertensão: o que priorizar e o que evitar?

O ideal é utilizar temperos naturais, como ervas e especiarias. Veja outras dicas