Desenvolvimento da fala do bebê: o que esperar de cada mês

Gravidez e maternidade Saúde
21 de Junho, 2022
Desenvolvimento da fala do bebê: o que esperar de cada mês

Ouvir o pequeno dizer as suas primeiras palavras está, sem sombra de dúvidas, entre as conquistas tão aguardadas pelos pais. No entanto, vale ter em mente que a sua comunicação com a família é iniciada bem antes, com a sua chegada no mundo. Com isso em mente, confira este guia de desenvolvimento da fala do bebê e descubra o que está previsto para cada fase da vida do seu filho:

Até os três meses

“Muito tempo antes de poderem utilizar as palavras, os bebês comunicam suas necessidades e seus sentimentos através da emissão de sons que evoluem do choro para gorjeios e balbucios. Além disso, eles também se manifestam através do seu corpo”, explica a fonoaudióloga Denise Lopes Madureira, coordenadora de fonoaudiologia do Sabará Hospital Infantil.

Neste momento, inclusive, a presença de pais atenciosos e munidos de afeto mostra-se ainda mais importante. Afinal, eles serão os responsáveis por conseguirem diferenciar o significado de cada choro e acolherem o pequeno diante de suas necessidades.

Dessa forma, quando estão com carências supridas, os bebês tendem a expressar seus sentimentos com sons mais agudos, como se estivesse fazendo gargarejo, além de conseguirem emitir algumas vogais como “/ah/”.  

Ainda segundo a especialista, recomenda-se que os cuidadores variem a entonação da voz para atrair a atenção do pequeno neste fase. Como resultado, ocorrerá uma troca efetiva entre pais e filhos.

Leia mais: Pode deixar o bebê chorar até dormir? Entenda

Dos três aos seis meses

Já entre o terceiro e sexto mês de vida, percebe-se que os pequenos passam a reconhecer padrões sonoros que ouvem com frequência. Por exemplo, eles assimilam seus próprios nomes, além de expressões como “mamãe” e “papai”.  “Isso sugere que eles estão começando a associar som e significado, pelo menos em relação a pessoas próximas e com quem desenvolvem relação de afeto”, completa Denise.

Além disso, esta fase é marcada pela existência de mecanismos gestuais, sonoros e movimentos corporais que são colocados em prática para que o pequeno seja reconhecido por quem está ao seu redor. Assim, esta necessidade de ser percebido é suprida e ele consegue estabelecer uma relação com o próximo.

A partir dos seis meses, inicia-se também a introdução alimentar do bebê. Segundo a fonoaudióloga, este período amplia “as possibilidades de movimentação dos órgãos que também respondem pela articulação da fala como lábios, língua, palato duro, palato mole e bochechas”.

Leia mais: Pele do bebê no inverno: afinal, quais são os cuidados necessários?

Desenvolvimento da fala do bebê: dos seis aos dez meses

Já o percurso do sexto ao décimo mês de vida do bebê faz com que ele seja capaz de balbuciar sequências de consoantes e vogais. Além de conseguir imitar sons. Já em relação a parte gestual, o pequeno passa a apontar para o que deseja bem como usufrui de gestos convencionais, como dar tchau e movimentar a cabeça para dizer que “sim” ou que “não”.

“Nesta etapa do desenvolvimento, o bebê inicia o engatinhar. Isso o confere a possibilidade de dissociação de ações, que se estende para a região oral e garante ainda mais precisão e extensão de movimentos e combinações”, completa Denise.

Leia mais: Bebê prematuro: desenvolvimento, cuidados e alimentação

Dos dez aos 12 meses

Com a proximidade do bebê completar o seu primeiro ano de vida, ele tende a viver o importante e esperado marco de emitir a sua primeira palavra. Normalmente, ela é dita quando o pequeno está nomeando algo ou alguém.

“Neste período é muito comum também que uma mesma palavra tenha vários significados como “mamãe” para tia e avó e “au-au” para todos os animais”, exemplifica a fonoaudióloga. Além disso, a criança passa a utilizar gestos de representação para se comunicar. Por exemplo, ela levanta os braços para mostrar que quer que alguém a pegue no colo ou leva uma xícara vazia à boca para dizer que está com sede.

Por fim, vale saber que é neste intervalo que o bebê passa pelo desenvolvimento da marcha. “Isso o confere uma grande autonomia e possibilidade de exploração”, completa Denise.

Leia mais: Conversar com bebês em tom mais alto e exagerando a pronúncia ajudaria na produção da fala, diz estudo

Como incentivar o desenvolvimento da fala do bebê?

Como dito anteriormente, a presença de pais atentos a cada fase do pequeno o ajudará a se desenvolver ainda mais e não é diferente com o seu falar. Veja algumas dicas de como contribuir com esta jornada do bebê:

  • Na fase do balbucio, repita os sons emitidos pelo o pequeno;
  • Nomeie e apresente objetos e pessoas para ele;
  • Ao ouvi-lo dizer suas primeiras palavras, não esqueça de corrigi-las quando for repeti-las;
  • Use situações do cotidiano para inserir novas palavras no seu vocabulário;
  • Crie o hábito de ler para o seu bebê;
  • Ouça músicas para entretê-lo e ensiná-lo ao mesmo tempo.

Fonte: Denise Lopes Madureira, fonoaudióloga coordenadora de fonoaudiologia do Sabará Hospital Infantil e Instituto NeuroSaber.

Leia também:

Por quanto tempo devo tomar vitamina C
Alimentação Bem-estar Saúde

Por quanto tempo devo tomar vitamina C?

Aliada a imunidade e a beleza, a vitamina C está ligada a uma série de benefícios para a saúde. Veja recomendações sobre o consumo prolongado

montagem com as fotos de Wagner
Saúde

Ele já fez mais de 100 doações de sangue e plaquetas: “dar um pouco da minha saúde para quem precisa”

Conheça a história de Wagner Hirata, que tem as doações de sangue e plaquetas como um de seus propósitos de vida

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte