Dengue: conheça as causas, sintomas e como prevenir

Saúde
20 de Fevereiro, 2024
Dengue: conheça as causas, sintomas e como prevenir

A dengue é uma doença infecciosa, comum em países de clima tropical. O vírus causador da enfermidade, classificado no meio científico como um arbovírus, é transmitido pela fêmea do mosquito Aedes aegypti, que também transmite a chikungunya, febre amarela e Zika.

Leia mais: Hidratação no tratamento da dengue: a importância de beber água

Causas

A infecção é transmitida através da picada do mosquito. Portanto, não há outra forma de contrair a condição. A doença atinge qualquer faixa etária, mas pessoas mais velhas tendem a ter maior risco da infecção.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), o período do ano com maior transmissão da doença ocorre nos meses mais chuvosos de cada região, geralmente entre novembro e maio. O acúmulo de água parada contribui para a proliferação do mosquito, portanto, é importante adotar medidas que evitem a dengue no dia a dia.

Sintomas da dengue

A dengue pode ter diferentes apresentações clínicas. Dessa forma, os primeiros sintomas aparecem de quatro a 10 dias depois da picada do mosquito infectado. A doença começa forte e se assemelha a uma síndrome gripal grave caracterizada por febre alta, dor no corpo e nas articulações, incômodo atrás dos olhos, mal-estar, falta de apetite, dor de cabeça e manchas vermelhas no corpo. Contudo, enquanto alguns podem apresentar quadros mais graves da doença, em outros casos, ela pode ser assintomática.

Leia também: Vacina da dengue: Quando tomar, doses e efeitos

Dengue grave (hemorrágica)

A dengue grave ou hemorrágica é uma complicação que acontece com a coagulação sanguínea alterada. No entanto, a condição acontece em sua maioria nas pessoas que se infectam pelo vírus pela segunda vez. Entre os sintomas estão:

  • Dor abdominal intensa e contínua;
  • Náuseas;
  • Vômitos persistentes;
  • Sangramento de mucosas;
  • Urina com sangue;
  • Sangramento do nariz, boca, gengiva ou intestino.

Neste caso, é preciso ir ao hospital de imediato, pois os sinais são relacionados a hemorragias, que podem causar choque grave e levar ao óbito.

Diagnóstico

Geralmente, o diagnóstico da dengue é feito mediante sorologia para determinar a presença de anticorpos contra o vírus no sangue. Mas mesmo assim, não determina especificamente qual é o tipo de vírus responsável pela infecção. Entretanto, métodos de biologia molecular mais elaborados podem ser utilizados para detectar a cepa em questão.

Como funciona o tratamento

Em casos leves e moderados, a recuperação da dengue envolve alguns hábitos que ajudam o próprio sistema de defesa do corpo a combater o vírus. Por exemplo:

Casos também leves precisar de internação para receber hidratação venosa. Em qualquer tipo de dengue, não se deve praticar a automedicação, pois remédios antitérmicos com ácido acetilsalicílico ou anti-inflamatórios podem interferir na coagulação do sangue.

Leia também: Fake News: suco de inhame não cura dengue

A princípio, a infecção curada torna o paciente imune contra o tipo do vírus responsável pelo quadro. No entanto, existem quatro tipos diferentes da doença (DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4). Dessa forma, para estar totalmente imunizado, seria necessário ter tido contato com todos eles. Portanto, a cada contágio com um novo tipo de vírus, os sintomas são mais intensos e o risco de desenvolver a dengue grave é mais alto.

Quais profissionais procurar?

Independente da gravidade do caso, é importante ir a um pronto atendimento. Então, o clínico geral irá avaliar o estado da doença e sugerir o tratamento mais apropriado.

Como prevenir a dengue

A vacina é a melhor forma de prevenir a dengue. Desde o fim de 2015, a primeira vacina contra a dengue teve registro em diferentes países para a aplicação em indivíduos de 9 a 45 anos vivendo em áreas endêmicas ou de risco. Outras opções com diferentes tipos do vírus se encontram em período de desenvolvimento. De modo geral, os imunizantes mostram uma boa efetividade (até 90%), dependendo do tipo de vírus que causa a infecção e pessoas vacinadas.

Além disso, ações simples podem ajudar no combate ao mosquito Aedes aegypti. Assim, o segredo está nos cuidados com os diferentes ambientes frequentados, principalmente no quintal de casa. Algumas medidas são:

  • Evitar água parada em pequenos objetos, pneus, garrafas e vasos de plantas;
  • Manter a caixa d’água sempre fechada e realizar limpezas periódicas;
  • Vedar poços e cisternas;
  • Descartar o lixo de forma adequada.

Perguntas frequentes sobre a dengue

Quanto tempo duram os sintomas?

Geralmente, os sintomas da dengue duram entre três e sete dias. Esse período varia de acordo com o estado de saúde de cada paciente antes de contrair o vírus.

A dengue é contagiosa?

Não. Uma pessoa só contrai a doença se tiver contato direto com o mosquito Aedes aegypti. Ou seja, mesmo se beber ou comer algo que algum infectado tocou, o indivíduo não contrai a dengue.

Devo me preocupar ao contrair dengue na gravidez?

A infecção com o vírus é perigosa no primeiro trimestre da gestação, pois pode promover o aborto. Se a pessoa gestante contrair a dengue, o bebê pode nascer infectado ou também adquirir a doença durante o parto.

Fonte: Fiocruz, Instituto Butantã e Ministério da Saúde.

Dengue
Estou com dengue, e agora? Baixe o app da Vitat e veja dicas de alimentação, alongamentos e outras recomendações para fazer caso esteja com dengue
 

Sobre o autor

Fernanda Lima
Jornalista e Subeditora da Vitat. Especialista em saúde

Leia também:

selfie do ex-jogador de vôlei, Tande
Saúde

Tande, do vôlei, sofre infarto e é internado em hospital

Tande, ex-jogador da seleção brasileira de vôlei, revelou ter tido 98% de entupimento em uma de suas veias e sofrido um infarto

benefícios da banana
Alimentação Bem-estar Saúde

Quais são os benefícios da banana para a saúde? Veja lista e receitas saudáveis

A banana é amiga do intestino, além de ser eficiente na prevenção de cãibras. Veja outros benefícios da fruta!

horário para treinar
Bem-estar Movimento Saúde

Estudo revela melhor horário para pessoas com obesidade treinaram

O estudo da Universidade de Sidney identificou benefícios do treino noturno para a saúde do coração