Dicas de como decorar a casa a favor da saúde mental

Bem-estar Casa
03 de Junho, 2022
Dicas de como decorar a casa a favor da saúde mental

Cada vez mais, saber como cuidar da saúde mental é importante para ter uma boa qualidade de vida e bem-estar. Se o psicológico vai ruim, ele pode afetar diversas áreas da vida, e também ter reflexos em doenças físicas. Por isso, vale usar tudo a favor desse cuidado, até mesmo a decoração da casa! Manter o seu lar organizado e aconchegante tem uma função imensa nessa questão. Isso porque a decoração e a saúde mental também estão ligadas.

De acordo com Fátima Rocha, professora do curso de Psicologia da Estácio, é importante que a casa seja um lugar seguro, confortável e que proporcione prazer e felicidade para quem mora no ambiente. “Se pensarmos historicamente nos espaços onde as pessoas viviam, a insalubridade fazia com que elas adoecessem mais. Então, o espaço em si tem que ser saudável e salubre o bastante para que a saúde física e mental das pessoas fique em dia”, pontua. 

Itens de decoração

No quesito decoração e saúde mental, há muitos objetos que trazem uma imagem de conforto, como explica André Sato, professor de Arquitetura e Urbanismo da Estácio. Ele conta que é possível investir em objetos que oferecem conforto visual e são luminosos, como lustes e pendentes. Além disso, dá para apostar naqueles que fornecem a sensação de aconchego, como plantas, almofadas, tapetes e quadros. 

Se o espaço for pequeno, usar espelhos é uma dica de ouro para que o local pareça maior. “Além disso, é importante prestar atenção no tipo de material e na cor desses objetos. Madeiras e tecidos de cores claras tendem a passar a sensação de um ambiente mais leve, o que pode ser um grande aliado para descansar e relaxar”, afirma. 

Vale, ainda, investir em quadros e objetos divertidos, que deixam a ambientação da casa mais descontraída, melhorando o humor —mesmo que inconscientemente. Fotos reveladas e dispostas em móveis e paredes também são ótimas opções para recordar bons momentos com a família e os amigos. 

Leia também: Como deixar a casa mais acessível? Conheça a arquitetura inclusiva

Decoração e saúde mental: Cores em casa 

A psicóloga Fátima Rocha explica que existe a psicologia das cores. Isso é, como cada cor pode nos influenciar, especialmente as cores das paredes. Ela ressalta que a questão da arquitetura e da psicologia não segue necessariamente uma regra. Então, o que importa é que o ambiente te faça bem! 

“A sua casa tem que ter a sua cara e muitas casas refletem como a pessoa é ou como a pessoas está. Então, quando a pessoa se sente pertencendo ao seu lugar e gosta dele, ela cuida. A casa é quase como uma extensão da pessoa. E é importante que você exista naquele lugar, que não seja inóspito, em branco, sem vida e sem objetos pessoais. Sem coisas que façam sentido para a pessoa”, afirma.

O arquiteto André Sato ressalta que as cores têm potencial de evocar sensações e emoções nos seres humanos. Então, embora a percepção de diferentes tonalidades seja individual, a sensação é universal. Para uma casa com cara mais feliz, ele recomenda investir em cores claras e tonalidades de amarelo — cor mais vibrante em um círculo cromático. Ele ainda conta que nesse sentido, evita-se o uso de cores escuras e muito frias, como roxo, cinza e preto. Elas remetem a dias cinzas e desanimados. 

Leia também: Cromoterapia: Os benefícios da terapia das cores

Plantas deixam o espaço mais aconchegante 

Sato conta que as plantas deixam o ambiente mais confortável, pois atrelamos o verde e a presença da natureza com sentimentos bucólicos e de relaxamento, que fazem falta em dias cinzas. Ele relembra que durante o período mais pesado da pandemia, muitas pessoas se tornaram “pais e mães de planta”, justamente por essa ligação.

O tempo que levamos para cuidar das plantas ajuda a manter a mente mais ocupada. “Isso tem uma implicação muito grande no bem-estar e na saúde mental das pessoas. Precisamos manter o contato com a natureza para ficarmos bem, pois isso é algo ancestral que está impresso no nosso DNA enquanto seres humanos. Dessa maneira, as plantas são uma maneira de levar para dentro dos espaços a calmaria e as emoções positivas de um campo, uma zona rural ou até uma floresta”, diz.   

Decoração e saúde mental: organização

A organização traz aquela sensação de paz, certo? Alguns objetos ajudam a deixar o ambiente sempre arrumado. A dica do professor André Sato é investir em uma boa marcenaria, que forneça espaços adequados para guardar as coisas de forma mais organizada. Assim, buscar por projetos de rack ou armários com prateleiras e nichos é uma boa indicação. 

Mas se a marcenaria não for uma opção, não se preocupe! A organização pode ser feita com o uso de estantes desmontáveis, que possibilitam regular a altura das divisões. Além disso, prateleiras nas paredes, caixas e cestos de plástico ou madeira, divisores de gaveta e “porta-objetos” cumprem muito bem o papel de deixar o ambiente organizado. 

“Outra recomendação final é possuir móveis e objetos que sejam versáteis. Essa questão de adaptabilidade de uso se mostrou bem favorável em termos de saúde mental, visto que a possibilidade de modificarmos o nosso ambiente de acordo com os nossos próprios desejos e necessidades faz com que gostemos mais de permanecer em casa”, completa o professor André Sato. 

A importância de cuidar da saúde mental em casa 

Por fim, a psicóloga Fátima Rocha conta que a importância de cuidar da saúde mental em casa está diretamente relacionada a quão produtivo você pode ser. “Se a casa estiver organizada, habitável e com senso de ordem, esvazia sua mente da bagunça e você consegue focar no que você tem que fazer. Estar num lugar organizado te faz se sentir bem, o caos te deixa incomodado, o caos que está fora pode refletir em caos interno. A casa ser um espaço saudável, seguro e prazeroso é importante para saúde mental porque o ser humano precisa de abrigo e tem muito prazer visual. Você ter prazer de estar naquele lugar faz você se sentir bem.”

Leia também: Arquitetas contam como deixar a casa quentinha no frio

Sobre o autor

Gabriela Ferreira
Jornalista e Repórter da Vitat.

Leia também:

ator Cauã Reymond segurando um garfo e uma faca e usando um babador
Alimentação Bem-estar

Cauã Reymond mostra jantar saudável com sopa, frango e legumes

Ator compartilhou em suas redes socais o que comeu na noite de Dia dos Namorados (12/06). Confira o jantar de Cauã Reymond

personal ajudando aluno a fazer o exercício crucifixo inclinado na academia
Bem-estar Movimento

Crucifixo inclinado: como fazer corretamente para evitar dores

A posição do banco no crucifixo inclinado faz com que o exercício enfatize bem os músculos do peitoral. Confira o passo a passo

criança nadando na piscina
Bem-estar Movimento

Crianças podem (e devem) fazer natação no inverno!

Prática deve ser contínua mesmo no frio, pois aumenta imunidade e o gasto calórico. Veja os benefícios da natação no inverno para as crianças!