Auriculoterapia e sono: pontos na orelha ajudam a dormir melhor

27 de maio, 2022

Os brasileiros não dormem bem e a pandemia agravou ainda mais esse quadro. É o que revela um estudo da plataforma Global Sanofi Consumer Healthcare (CHC) e do Instituto IPSOS, divulgado em fevereiro de 2022. Segundo o levantamento, 8 em cada 10 entrevistados classificaram as noites de sono como regular ou ruim. No entanto, apenas 34% dos brasileiros que participaram da pesquisa buscaram tratamento para o problema. Para a Dra. Lirane Suliano, cirurgiã dentista, a auriculoterapia e sono andam juntas, ou seja, a técnica é um recurso terapêutico eficiente no combate à insônia.

“Apenas em 2018 os brasileiros consumiram mais de 56 milhões de caixas de benzodiazepínicos, medicamentos usualmente prescritos para quadros de ansiedade e insônia. Porém, eles causam efeitos colaterais como dependência e aumentam o risco de morte, sendo essencial que o paciente possa ter acesso a tratamentos naturais para casos como a insônia, por exemplo”, explica.

Leia mais: Insônia: O que é, sintomas, causas e tratamento

O que é a auriculoterapia?

Segundo a Dra. Lirane Suliano, a auriculoterapia consiste na estimulação mecânica de pontos específicos da orelha, mais especificamente do pavilhão auricular. O estímulo desencadeia a produção e liberação de hormônios que geram equilíbrio no organismo, além de relaxar e contribuir para uma melhora do sono. A grande vantagem da técnica é que ela não utiliza medicamentos.

A especialista ressalta ainda que a terapia auricular é reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e está disponível pelo Sistema Único de Saúde (SUS) desde 2006, por meio das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS).

Auriculoterapia e sono: técnica ajuda no tratamento da insônia?

De acordo com a especialista, existem diversas técnicas de auriculoterapia para fazer as pessoas dormirem melhor. “Para isso, recorremos a tratamentos no pavilhão auricular, com laser, sementes, agulhas e eletroestimulação. Para a insônia relacionada a maus hábitos, o resultado costuma ser rápido e muitos pacientes já percebem os resultados na primeira sessão”, explica.

Contudo, além da técnica, é fundamental abandonar hábitos que atrapalham o sono, ou seja, criar uma rotina de horários e se alimentar nos horários adequados. “Já para a insônia crônica, é necessário um acompanhamento individualizado, mas em geral o paciente após 5 sessões já apresenta respostas muito positivas no seu sono”, completa Lirane Suliano.

A importância do dormir bem à noite

De acordo com a especialista, dormir bem à noite é fundamental. “À noite o organismo libera hormônios essenciais para a reconstrução dos danos causados durante o dia pelo estresse, má alimentação e esforço físico”, explica.

Dessa forma, a liberação da melatonina no começo da noite nos permite relaxar e iniciar a preparação para um sono mais profundo. Na sequência, há a liberação de outras substâncias, como o hormônio do crescimento, essencial para o ganho de massa muscular e redução da gordura subcutânea.

“Muitas pessoas não sabem, mas o sono de qualidade é um dos principais fatores de equilíbrio do organismo, porque está diretamente relacionado com muitas das respostas que o corpo terá no dia seguinte”, completa a especialista.

Leia mais: Acupressão: Pontos de pressão que ajudam a dormir melhor

Fonte: Dra. Lirane Suliano, cirurgiã-dentista, mestre e doutora pela UFPR. Especialista em Acupuntura e docente da pós-graduação nas áreas de Auriculoterapia, Eletroacupuntura e Laserpuntura.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.