Anisaquíase (verme do sushi): o que é, sintomas e como tratar

8 de abril, 2022

Muitas pessoas se perguntam se o consumo de peixe cru pode trazer malefícios à saúde. Ricos em proteínas e ômega-3, esses alimentos tão comuns na culinária oriental são bastante nutritivos. Mas, é verdade que também é preciso cuidado para prevenir uma contaminação, uma vez que não são cozidos. Mais precisamente, quando falamos nesses pratos um dos maiores riscos está em contrair anisaquíase. Ou seja, o verme do sushi. Saiba mais.

O que é anisaquíase?

Conhecida popularmente como verme do sushi, trata-se de uma infecção causada por um parasita do gênero Anisakis sp.. Assim, a fama relacionada ao prato oriental é que esse parasita é encontrado principalmente em peixes e frutos do mar, como crustáceos e lula.

Inclusive, a infecção é mais comum em culturas que têm como hábito o consumo de comida crua. Pois, basta ingerir um alimento contaminado para contrair anisaquíase, cujos sintomas podem aparecer horas depois.

Leia também: Comida japonesa: Melhores escolhas para não sair da dieta

Sintomas

Os mais comuns são:

  • dor abdominal forte;
  • febre abaixo de 39 ºC constante;
  • sangue nas fezes;
  • náuseas e vômitos;
  • por fim, mal-estar geral.

Além disso, algumas pessoas podem desenvolver sintomas típicos de reações alérgicas. Ou seja, como coceira e vermelhidão na pele, inchaço no rosto ou dificuldade para respirar.

Assim, se desconfiar do quadro, procure um médico, que concluirá o diagnóstico a partir da avaliação dos sintomas e história clínica do paciente e da realização de uma endoscopia.

Como tratar anisaquíase

Na maior parte dos casos, na própria endoscopia é feita a retirada dos vermes, que vão parar no estômago e no intestino delgado. Mas, em outros, pode ser necessário tomar vermífugo.

Dá pra prevenir?

Cozinhar os alimentos que podem ser acometidos pelo parasita, em temperatura superior a 65° C, é a melhor forma de evitar anisaquíase. Mas, calma, se você é fã de comida japonesa, não é preciso abrir mão dela. A dica aqui é ter cuidados no armazenamento: congelados e guardados a -20° C, esses alimentos duram até sete dias. Porém, se a temperatura estiver no -35° C, o consumo deve ser feito em menos de 15 horas. 

Por fim, caso vá a um restaurante, prefira os já conhecidos ou atente-se às avaliações!

Fonte: Adélia S. Carmen, médica gastroenterologista e primeira-secretária da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG)

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.