Água sempre faz bem para a saúde?

Saúde
22 de Março, 2023
Água sempre faz bem para a saúde?

O consumo de água é indicado desde a infância até a fase adulta, afinal, mais de 70% do corpo humano é composto por ela. O H2O ajuda a hidratar, transportar nutrientes até as células e auxilia na eliminação de toxinas do corpo através do suor e da urina. Mas será que a água sempre faz bem para o organismo? E as águas com mais ingredientes, são aliadas ou vilãs para uma vida saudável? Entenda.

Leia mais: Consumo de água por dia: valores e dicas para evitar retenção de líquidos

Afinal, água sempre faz bem?

De acordo com especialistas, em alguns casos, o consumo de água pode fazer mal. Isso porque o líquido pode estar contaminado por substâncias químicas ou microorganismos patogênicos (causadores de doenças em seres humanos).

Por isso, é importante que seja observada sua origem e, caso não tenha água tratada em casa, lembrar sempre de fervê-la antes do uso/consumo. Já pessoas com problemas renais, idosos e atletas de alta performance devem ter sua ingesta hídrica acompanhada por um médico e/ou nutricionista.

“A água pode ser prejudicial para o corpo humano em dois momentos: primeiramente, quando há algum tipo de contaminação. E em segundo lugar, em excesso, o que pode gerar um distúrbio dos eletrólitos no sangue, principalmente do sódio. Isso é mais comum em pacientes idosos e com doenças renais e pode gerar sintomas neurológicos e até levar a morte”, conta o Dr. Ábner Prado, médico supervisor do pronto socorro do Instituto de Neurologia de Goiânia.

Água com gás é saudável?

Já nas variações, o especialista explica que, como potencial de hidratação, a água com gás hidrata tanto quanto a água mineral. Porém, segundo ele, existe uma diferença: a água mineral tem flúor em sua composição, que reduz a chance de cáries. Além disso, com relação a outros fatores, o médico conta que a versão gaseificada pode não ser tão benéfica assim.

“Há dois prejuízos potenciais para a saúde na água com gás. O primeiro é que o pH é mais baixo devido ao gás carbônico diluído em sua composição, prejudicando pacientes com problemas estomacais (gastrite, refluxo e úlceras). O segundo é que o gás contido na bebida dilata o tamanho do estômago retardando a saciedade e como consequência aumentando a ingestão de alimentos desnecessariamente”, explica Ábner.

Afinal, sucos e chás substituem a água?

De acordo com o médico, o consumo de sucos e chás não substituem o consumo da água, apesar de a terem como principal ingrediente em sua composição. Ele explica que essas bebidas costumam ser preparadas com açúcar e, se industrializados, acabam contendo substâncias químicas prejudiciais à saúde. Segundo ele, uma boa opção são os sucos e chás naturais que auxiliam na hidratação de pessoas que possuem dificuldades de tomarem água pura.

“Outra alternativa para essas pessoas é a água saborizada. Essa bebida é um bom veículo para aumentar a hidratação e para se ingerir as substâncias benéficas contidas nas frutas e vegetais. Pessoas que têm dificuldade de tomar água pura, podem lançar mão dessa alternativa para se hidratarem. Mas é preciso ficar atento e tomar cuidado com a quantidade de açúcar diluído nessas bebidas”, explica Prado.

Desidratação

Conforme vimos até aqui, o excesso de água faz mal para o corpo. Mas e o baixo consumo? Primeiramente, é preciso entender o que é a desidratação. Trata-se, então, da baixa concentração não só de água, mas também de sais minerais no corpo.

Ou seja, quando o líquido é eliminado pelo organismo pelo suor, urina, fezes ou outras formas, ele não é reposto na quantidade ideal para o seu funcionamento. Por isso, a desidratação é muito comum no verão, quando há maior perda de água através da transpiração, ou depois de um episódio de diarreia e vômito, por exemplo.

“A sede não é o único sinal de desidratação. Não ingerir a quantidade de água suficiente pode ter sintomas como intestino preso, a pele seca, inchaço (retenção de líquido), fome, cansaço, fadiga, pedra nos rins e dores de cabeça. A hidratação é uma grande aliada, uma vez que ajuda a reduzir a fome e acelerar o metabolismo”, explica Patrícia Maira, clínica médica do Hospital Anchieta de Brasília.

A especialista faz um alerta para as pessoas que têm problemas de saúde. “Quem tem problemas cardíacos, renais e hepáticos graves pode ter restrição à hidratação, mas isso deve ser determinado pelo médico. Se o paciente não estiver conseguindo beber líquido o suficiente ou com sintomas como náuseas, vômitos, diarreia, mucosite, pode ser necessária a hidratação na veia com soro.”

Leia mais: Água não tratada: confira os riscos do consumo para a saúde

Fontes: Dr. Ábner Prado, médico supervisor do pronto socorro do Instituto de Neurologia de Goiânia; e Dra. Patrícia Maira, clínica médica do Hospital Anchieta de Brasília.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

vitamina B e dengue
Saúde

Vitamina B previne a picada do mosquito da dengue?

Sem comprovação científica, a técnica popular pode levar a população a uma falsa sensação de segurança

Efeitos da vacina de Covid
Saúde

Efeitos da vacina da Covid: primeiro grande estudo mostra resultados

Segundo estudo, os efeitos da vacina são menores do que a infecção pela doença

disuria
Saúde

Disúria: entenda as causas, sintomas e tratamentos da dor ao urinar

O sintoma, popularmente chamado de dor ao urinar, pode ter diversas causas, sendo a infecção urinária a principal