O que é a vacina BCG e para que ela serve?

Gravidez e maternidade Saúde
01 de Julho, 2022
O que é a vacina BCG e para que ela serve?

A vacina BCG, sigla que abrevia o nome Bacilo de Calmette e Guérin, é uma das imunizações recomendadas ainda nas primeiras 12 horas de vida do bebê. Ela é responsável pela proteção contra a tuberculose, provocada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis.

Embora a vacina não seja 100% eficaz em evitar a tuberculose pulmonar, a sua aplicação em massa evita as formas mais graves da doença. Entre elas, cita-se principalmente a proteção contra a meningite tuberculosa e a tuberculose miliar (forma disseminada).

“A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, nos países onde a tuberculose é frequente e a vacina integra o programa de vacinação infantil, previna-se mais de 40 mil casos anuais de meningite tuberculosa. Impacto como este depende de alta cobertura vacinal, razão pela qual é tão importante que toda criança receba a vacina BCG”, detalha o Ministério da Saúde.

Ainda de acordo com o MS, além do público infantil, recomenda-se aplicar o imunizante em quem convive com portadores de hanseníase (lepra) bem como estrangeiros que estão se mudando para o Brasil e ainda não foram vacinados.  

Leia mais: Vacinas para crianças: afinal, quais são as principais?

Os efeitos colaterais do imunizante

O esquema vacinal da vacina BCG é de apenas uma dose. Deve-se aplicá-la de forma intradérmica, normalmente no braço direito. Assim, o seu principal efeito adverso é a reação local. “Ela começa com uma mancha vermelha elevada no local da aplicação. Depois, evolui para pequena úlcera, que produz secreção até que vai cicatrizando”, relata o documento da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

Embora os pais tenham a preocupação do que fazer diante da ferida, não é recomendado passar nenhuma pomada ou tomar medicamentos para que ela cicatrize mais rápido. Portanto, é necessário esperar o seu processo natural!  

Em entrevista anterior à Vitat, o pediatra Renato Kfouri, presidente do Departamento Científico de Imunizações da SBP, explicou que esta pega da BCG acomete 95% do público imunizado. No entanto, aqueles que não a desenvolverem não precisam se preocupar.

Desde fevereiro de 2019, o MS não recomenda mais a revacinação destes 5%. “Isso porque não há relação entre não ter a cicatriz e a vacina não ter pego ou não”, esclarece Kfouri.

Leia mais: Entidades médicas alertam sobre a falta da vacina BCG no Brasil

Não se deve aplicar a vacina BCG caso…

Ainda de acordo com as orientações da SBIm, a aplicação da vacina BCG não deve acontecer em três circunstâncias:

  • Se a mãe tiver tomado algum remédio, durante a gestação, que possa ter causado imunodepressão do feto;
  • Caso o bebê seja prematuro, com menos de dois quilos;
  • Se a pessoa for imunodeprimida.

Referências:

Ministério da Saúde

Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm)

Biblioteca Virtual em Saúde – Ministério da Saúde

Leia também:

insulina oral
Saúde

Insulina oral: Pesquisadores desenvolvem novo tratamento para diabetes

A nova versão se mostrou mais prática e deve gerar menos efeitos colaterais

Ivete Sangalo pneumonia
Saúde

Ivete Sangalo é internada com pneumonia. Entenda o quadro

A pneumonia é uma infecção respiratória que causa tosse com muco ou pus, febre e dificuldade respiratória

foto de uma caderneta de vacinação com uma seringa
Saúde

Caderneta de vacinação em dia ajuda a evitar surtos de doenças

Especialistas alertam que a vacinação é um pacto de saúde coletivo