Urocultura: o que é, para que serve e quando fazer

19 de maio, 2022

A urocultura, como o próprio nome sugere, é um exame de urina para diagnosticar variados tipos de infecção urinária. Saiba tudo sobre o teste e como se preparar para a coleta.

Veja também: Afinal, quantas vezes devemos fazer xixi ao dia?

Para que serve a urocultura?

Se você já teve infecção urinária, provavelmente o seu médico solicitou o exame para identificar a presença de bactérias causadoras do problema. Também chamado cultura de urina ou urinocultura, esse teste pode ser feito com o antibiograma, que ajuda a avaliar os antibióticos mais adequados para o determinado tipo de bactéria.

Infecções mais comuns identificadas pela urocultura

A princípio, a cultura de urina detecta a maioria das infecções do sistema urinário, tais como a pielonefrite, cistite e uretrite.

Em quais casos preciso fazer o exame de urocultura?

Quando houver suspeita das doenças citadas acima, sendo necessária recomendação médica e apresentar alguns desconfortos. Por exemplo:

  • Coceira ou irritação nas genitais.
  • Dor que causa dificuldade para urinar.
  • Pouca quantidade de urina.
  • Sensação de bexiga cheia, mesmo após urinar.
  • Corrimento de coloração amarelada, esverdeada ou acinzentada.
  • Urina escura, com sangue ou cheiro forte.

Como fazer a cultura de urina

Normalmente, o exame deve conter a primeira urina do dia, que está mais concentrada para a análise laboratorial. Antes, é importante desprezar o primeiro jato e inserir o restante no pote de coleta.

Basta encher o recipiente com a quantidade indicada (em geral, 30 ou 40 mL) e fechar bem para não vazar. Além disso, é essencial higienizar antes a área íntima com água e sabão neutro e entregar a coleta no laboratório o mais rápido possível. Assim, evita-se alterações no exame que dificultam o diagnóstico.

Urocultura em pronto-socorro

Muitas pessoas que têm queixas relacionadas a uma possível infecção urinária recorrem ao pronto atendimento em busca de um tratamento mais ágil. Portanto, não há problema em realizar a urocultura com o xixi do decorrer do dia.

Coleta da urina em UTI ou internação

Além da coleta tradicional, alguns pacientes internados sob cuidados intensivos podem fazer a urocultura por sonda, por meio de uma técnica chamada cateterismo vesical. No entanto, o método é indicado apenas para pessoas acamadas e muito debilitadas, a fim de evitar contaminações durante o exame.

Como interpretar o resultado da cultura de urina

O laudo do exame é bastante intuitivo, e normalmente os indicadores são:

  • Normal ou negativo: significa que não há a presença relevante de bactérias na urina para causar uma infecção.
  • Positivo: se houver mais de 100 mil colônias de bactérias, representa algum tipo de infecção urinária, cujo tipo é sinalizado no próprio exame.

Resultados inconclusivos da urocultura

Além dos indicadores comuns, há duas variáveis que podem surgir se a amostra tiver algum tipo de problema. Dessa forma, é preciso repetir o exame ou fazer outros testes para auxiliar na conclusão do quadro. São elas:

  • Falso positivo: ocorre quando a urina está contaminada por algum agente externo. Por exemplo, outros micro-organismos, sangue e outros fluidos que atrapalham a análise.
  • Falso negativo: aparece no laudo se o pH (nível de acidez) da urina estiver abaixo de 6. Ou seja, muito ácido para a avaliação laboratorial. Frequentemente, esse resultado pode aparecer se a pessoa estiver tomando antibióticos ou medicamentos diuréticos.

Perguntas frequentes

Grávidas podem fazer a cultura de urina?

Sim, inclusive devem realizar o exame se houver indícios de infecção urinária. Afinal, o problema pode gerar complicações para a gestante e o bebê se não receber o tratamento adequado.

Quanto tempo leva para sair o laudo da urocultura?

Em geral, o resultado fica disponível em 72h após a entrega da coleta. Mas alguns laboratórios podem entregar antes desse período.

Existem outros exames de urina para descobrir infecções?

Há uma lista de testes que ajudam no diagnóstico de infecções, como o Urina tipo 1 e EAS. Eles têm a função de mapear outros elementos da urina: leucócitos, alguns tipos de bactérias, sangue, nitrito, células epiteliais, entre outros. Em casos urgentes, nos quais a pessoa vai ao pronto-socorro, o médico pode solicitar esses exames e dispensar a urocultura, pois ficam prontos em algumas horas. Todavia, a conduta depende da análise dos sintomas em conjunto com os resultados dos exames.

É permitido fazer a urocultura em bebês?

Não há contraindicações, pelo contrário: os bebês são mais suscetíveis a diversos tipos de infecção, sobretudo a urinária. Principalmente no período do uso de fraldas, cuja contaminação cruzada se torna mais fácil. Para fazer o exame, o laboratório ou hospital considera a idade e o estado de saúde do bebê. De acordo com essas informações, é escolhida a melhor forma de coleta, como a estimulação vesical e a bolsa adesiva perineal.

Referência: Rede D’Or São Luiz; Biblioteca Virtual de Saúde; e Revista Brasileira de Análises Clínicas (RBAC).