Sono e enxaqueca: qual a relação? Dormir ajuda ou atrapalha?

2 de dezembro, 2021

Para muita gente, sono e enxaqueca andam de mãos dadas. Isso porque a enxaqueca é o tipo de dor de cabeça que mais prejudica a qualidade de vida das pessoas. Quem convive com o problema pode sofrer crises constantes, com dores latejantes na região da cabeça, que impedem até tarefas simples do dia a dia. Dessa forma, para muita gente a solução é deitar, fechar os olhos e dormir.

Além da dor propriamente dita, a enxaqueca pode ainda causar náuseas e tonturas. As causas dos problemas podem ser várias: histórico familiar, por exemplo, é um fator importante, mas outros problemas como doenças na coluna cervical também favorecem o desenvolvimento das dores de cabeça crônicas. 

De qualquer forma, um fator muito importante associado às possíveis causas da enxaqueca é o estilo de vida. Uma rotina saudável, sem tabagismo e consumo excessivo de álcool e alimentação correta são capazes de prevenir não apenas a enxaqueca, mas muitas outras doenças. O sono, em especial, pode ser o elemento-chave para agravar ou melhorar as crises dolorosas. 

Qual a relação entre sono e enxaqueca?

Embora não exista consenso científico sobre quais aspectos do sono são gatilhos para a enxaqueca, é fato que dormir mal e ter doenças relacionadas ao sono favorecem a enxaqueca. Um estudo realizado pelo Brigham and Women’s Hospital e pelo Beth Israel Deaconess Medical Center, ambos atrelados à Universidade Harvard, nos Estados Unidos, mostrou que acordar muitas vezes à noite é um prato cheio para episódios dolorosos de enxaqueca. Isso pode acontecer por causa da apneia do sono, de uma vida estressante ou um estilo de vida sem rotina definida. 

Como perceber que o sono não vai bem

Muita gente dorme direto durante a noite, mas acorda sem energia ou permanece com sono durante o dia. Se você se identifica com a situação, é sinal de que está com um sono de má qualidade. Ou seja, o tempo de permanência do sono profundo, momento que o corpo descansa e relaxa completamente, é curto demais. Uma sequência de noites mal dormidas prejudica o equilíbrio hormonal, o humor, a concentração e as atividades do sistema nervoso. Logo, a enxaqueca pode ser uma consequência desse distúrbio (muitas vezes associada a outros fatores).

Leia mais: Como acabar com a insônia e dormir melhor

Como melhorar as crises de sono e enxaqueca

A primeira providência é não se automedicar e ir a um médico para investigar as causas. O especialista fará uma análise do seu histórico para descobrir os gatilhos das crises. Para isso, poderá ser necessário fazer um exame detalhado da qualidade do sono e mudar alguns hábitos. Evitar alimentos que estimulam o problema, como chocolate e café, e cortar o álcool são algumas recomendações. 

Leia mais: Enxaqueca: Alimentos que ajudam a aliviar a dor

Quanto ao sono, dependendo da sua qualidade, será necessário estabelecer uma rotina para ajustá-lo, com ou sem uso de medicamentos para ajudar o processo. Todas as medidas serão aconselhadas pelo médico de acordo com as causas identificadas. 

O que você pode fazer em paralelo ao tratamento

  • Evitar alimentos pesados à noite, pois eles atrapalham o sono.
  • Desligar o celular e aparelhos eletrônicos pelo menos 2 horas antes de dormir. 
  • Praticar atividades relaxantes no período noturno (tomar um banho quente, assistir amenidades ou ler um livro, por exemplo).
  • Meditar, pois a prática alivia o estresse do dia. 

Fonte: Willian Rezende do Carmo, médico neurologista especializado em distúrbios do movimento, neurologia cognitiva, dor e sono. CRM-SP 160.140 | RQE 50.546

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.