Quem tem diabetes pode amamentar?

A maioria dos especialistas em saúde afirma que o aleitamento é a melhor maneira de alimentar o seu bebê. Geralmente, recomenda-se que o pequeno receba o leite materno exclusivamente até os seis meses de idade, e que a partir daí, que seja iniciada a introdução alimentar. Mas e quem tem diabetes, pode amamentar? Veja a resposta:

Quem tem diabetes pode amamentar?

Boa notícia: sim! O ato pode trazer benefícios para ambos, sabia?

Contudo, a gente sabe que a amamentação nem sempre é um processo fácil, e as mulheres com diabetes precisarão de uma preparação especial.

Vantagens do aleitamento materno

Recém-nascidos que são amamentados (tenha a mãe diabetes ou não) tendem a desenvolver menos problemas de saúde, incluindo infecções respiratórias e de ouvido, doenças digestivas, alergias e asma. Além disso, eles têm menos risco de desenvolver diabetes tipo 1 e 2.

Se você, por outro lado, sofre com o diabetes gestacional (quando a doença aparece na gravidez), é bem provável que os seus níveis de açúcar no sangue voltem ao normal após o parto — se houver o controle adequado da enfermidade, é claro.

Contudo, mesmo assim, ainda há mais chance de o diabetes tipo 2 aparecer futuramente. O aleitamento pode diminuir a glicose no sangue imediatamente, o que reduz esse risco. Sem contar que o ato ajuda a mamãe a perder os quilos acumulados nos últimos 9 meses, ótimo para a saúde.

Leia também: Veja os melhores suplementos para a mulher que vai amamentar

Quem tem diabetes pode amamentar: Dificuldades

É normal que algumas mulheres tenham que enfrentar alguns empecilhos com relação à amamentação — sejam elas diabéticas ou não. Infelizmente, a doença pode trazer mais incômodos ainda, como uma menor produção de leite. Estar acima do peso piora ainda mais a situação, especialmente logo após o nascimento.

Nesse caso, o mais indicado é recorrer ao médico, ou então a um especialista em aleitamento, para entender como aumentar essa fabricação e se as fórmulas são boas saídas.

Mas e os remédios para o diabetes: Podem fazer mal para o pequeno?

No geral, se você usou o medicamento na gravidez, pode continuar tomando durante a amamentação sem perigo nenhum. Mas lembrando que o indicado é sempre perguntar ao seu médico, ok?

A metformina, por exemplo, é recomendada nessa situação, juntamente com doses de insulina adequadas (para o tipo 1). Aliás, em alguns casos, o aleitamento pode até diminuir a quantidade de hormônio que você precisa aplicar.

Geralmente, mamães com diabetes recorrem a vários especialistas e a exames frequentes para garantir que a glicemia (taxa de glicose na corrente sanguínea) esteja equilibrada.

Leia também: Relactação: Entenda como funciona a técnica para voltar a amamentar

Quem tem diabetes pode amamentar: Risco de hipoglicemia

Como já dito anteriormente, amamentar pode fazer com que a sua glicemia diminua. Isso porque o leite materno é rico em lactose, um tipo de açúcar. Então, quando você o oferta para o seu bebê, seus níveis de açúcar no organismo podem cair em até 25% (e causar um quadro de hipoglicemia).

Portanto, mulheres com diabetes devem aumentar a frequência de medições de glicemia e planejar com antecedência o cardápio a fim de evitar o problema. Geralmente, é uma boa ideia fazer um lanchinho antes do ato — além de deixar um suco por perto durante o processo. Por fim, beber bastante água é fundamental.

Outros cuidados

Não importa o tipo da doença, você precisará contar com a ajuda de uma rede de apoio — de familiares, amigos e profissionais. Isso porque você não poderá descuidar da alimentação e do tratamento, além de dormir bem. Ter diabetes não controlado aumenta a probabilidade de infecções por fungos, que podem causar coceira nos mamilos.

Leia também: Dieta rica em fibras pode prevenir doenças do coração e diabetes

Referência: Australian Breastfeeding Association, Breastfeeding and Diabetes, Type 1 and 2, Agosto de 2019. Disponível em: https://www.breastfeeding.asn.au/bfinfo/breastfeeding-and-diabetes-type-1-and-2.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.