SP terá quarta dose da vacina contra a Covid para a população em geral

9 de fevereiro, 2022

Se até pouco tempo aplicar a quarta dose da vacina contra covid era algo distante ou destinado apenas para pessoas com comorbidades, em breve, algumas pessoas poderão contar com o quarto reforço do imunizante. Isso porque o governador do estado de SP, João Dória, anunciou, recentemente, que fará a aplicação da quarta dose da vacina contra covid para todos as pessoas “independentemente de haver, ou não, recomendação do Ministério da Saúde”.

“Avançando na segunda dose, nós poderemos avançar na dose de reforço, a quarta dose, seguindo uma ordem de faixa etária”, disse à Rádio Eldorado. A data de início da aplicação da quarta dose, no entanto, ainda não foi definida. Mas, ainda segundo o governador, a vacinação já foi confirmada pelo comitê científico e o estado está preparado para começar.

Outros estados também já planejam aplicar a quarta dose. No Mato Grosso do Sul, por exemplo, pessoas com 60 anos ou mais e profissionais da saúde também já começaram a ser vacinados, assim como no Rio de Janeiro.

O que diz o Ministério da Saúde sobre a quarta dose

Embora a aplicação da quarta dose esteja avançando no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, a recomendação continua sendo apenas para grupos específicos de pessoas. Além disso, em nota técnica, a pasta afirma que não há dados suficientes para a necessidade de aplicação da quarta dose da vacina.

“Antes de avançarmos rumo a novas indicações no calendário do PNO [Plano Nacional de Operacionalizações], se faz necessário compreender o cenário epidemiológico com maior detalhamento quanto às hospitalizações, óbitos e infecções pela Covid-19 entre determinados grupos etários e sua relação com o status de vacinação (vacinados x não vacinados)”, diz a nota técnica publicada.

Nesse sentido, a recomendação até o momento é que a quarta dose continue sendo aplicada em imunocomprometidos. O grupo começou a receber mais uma dose do imunizante em dezembro do ano passado. Estão inclusos nesta categoria, de acordo com a pasta, pessoas vivendo com HIV; pacientes em hemodiálise; em tratamento com quimioterapia para câncer; com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas; transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) uso de drogas imunossupressoras; entre outras.

Variante Ômicron avança no mundo

Após o surgimento da variante ômicron, meio milhão de mortes por Covid-19 foram registradas no mundo. O balanço é “mais do que trágico”, segundo a Organização Mundial da Saúde.

“Enquanto todos diziam que a ômicron era mais leve, não percebiam que meio milhão de pessoas morriam desde que a variante foi detectada”, disse o gerente de incidentes da OMS, Abdi Mahamud. “Na era das vacinas eficazes, meio milhão de pessoas morrem, isso é realmente algo mais do que trágico”, acrescentou. Segundo Mahamud, já foram registrados 130 milhões de casos e 500 mil mortes no mundo desde que a Ômicron foi considerada preocupante pela OMS, no fim de novembro.

Sobre o autor

Fernanda Lima
Fernanda Lima
Jornalista e Subeditora da Vitat. Especialista em saúde