Prótese dentária: saiba quando é indicada e como manter a sua

16 de maio, 2022

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 39 milhões de pessoas usam prótese no Brasil e 16 milhões já perderam todos os dentes. As razões para a perda dentária são diversas: desde condições genéticas à falta de cuidados adequados. Apesar dos dados preocupantes — afinal, a higiene bucal ainda é um privilégio e questão de saúde pública — perder os dentes não é mais um grande problema quando há condições para tratamentos adequados. Atualmente, há diversas opções de próteses que devolvem a autoconfiança e, sobretudo, a qualidade de vida. Saiba mais sobre as indicações de uso, detalhes da confecção e como cuidar da prótese dentária.

Veja também: Dentes do siso: o que você precisa saber sobre eles

Quem pode usar uma prótese dentária?

Fernanda Oliani Marur, consultora técnica da clínica Oral Sin, explica que a prótese dentária é indicada em caso da perda de um ou mais dentes, ou quando o dente original está comprometido e a estética e a função precisam ser restabelecidas. Além disso, é possível planejar uma prótese nos casos de anomalia congênita como a agenesia dentária, condição na qual se nasce sem um ou mais dentes na arcada.

“A princípio, é preciso agendar uma avaliação para realizarmos a anamnese (questionário sobre o histórico médico e odontológico do paciente) e exame clínico. Nesse meio tempo, podemos solicitar exames como raio-X panorâmico, tomografia computadorizada e laboratoriais para o fechamento do diagnóstico e planejamento do tratamento”, explica a cirurgiã-dentista.

Principais tipos

Cada situação possui alternativas distintas, e todas ajudam a recuperar a autoestima e a funcionalidade do sorriso. Veja as principais.

Prótese dentária fixa

Indicada para a perda de um único dente, na qual a prótese pode ser parafusada ou cimentada sobre o implante (dispositivo instalado na boca do paciente que substitui a antiga raiz do dente e dá suporte à prótese, que é a parte visível do dente).

Prótese múltipla

Recomendada quando o paciente perdeu de dois a quatro dentes próximos um do outro. É uma prótese parcial que pode ser confeccionada com um número menor de implantes. “Há casos em é possível produzir uma prótese de três ou quatro dentes (coroas) para apenas dois implantes, sem a necessidade de realizar um implante para cada coroa” afirma Fernanda.

Prótese protocolo

Ideal para quem perdeu todos os dentes e deseja ter os dentes “fixos” de volta; ou para aqueles cujo uso da dentadura torna-se desconfortável e até dolorido. “Para o procedimento, instalamos de quatro a seis implantes e parafusamos uma prótese total (com todos os dentes) sobre os implantes”, ensina.

Como é o procedimento para colocar uma prótese dentária?

Os implantes são colocados por meio de um procedimento cirúrgico. “Antes, fazemos uma consulta para as orientações e prescrições de medicamentos. Então, instalamos o implante com total segurança, em ambiente cirúrgico seguindo todo o protocolo de biossegurança. Logo após o período de cicatrização, confeccionamos a prótese final seguindo as etapas protéticas de moldagem, registro, seleção das características dos dentes e por fim, a colocação”, detalha Fernanda. Segundo a especialista, esse tipo de prótese só sai com a ajuda de um dentista. “Como resultado, a prótese proporciona conforto e segurança na fala e mastigação, além de possuir ótima qualidade estética”, comenta.

Leia mais: Veja quais hábitos prejudicam os dentes

Afinal, os parafusos do implante dentário doem?

Felizmente, a odontologia evoluiu muito nos últimos anos. A utilização de anestesia local, o surgimento de novas técnicas e medicamentos contribuíram para a experiência positiva com os implantes dentários. Apesar dessas melhorias e do alto índice de sucesso, ainda se trata de um procedimento cirúrgica. Portanto, a região pode ficar dolorida e as recomendações no pós-operatório devem ser seguidas para a segurança do tratamento.

Além disso, nos casos em que a interação entre o implante recém-aplicado e o osso possui grande resistência, é possível realizar a técnica de carga imediata. Ou seja, o cirurgião instala a prótese nos implantes em um curto período após a cirurgia. Contudo, a boa “fixação” depende de diversos fatores, como a condição de saúde e anatomia do paciente e da técnica aplicada. Uma avaliação especializada e exames de imagem são necessários para determinar se um caso possui indicação.

Cuidados com a prótese

A higiene bucal é o primeiro requisito para evitar complicações no pós-operatório. Dessa forma, é fundamental seguir os cuidados e a utilização correta dos medicamentos prescritos até a entrega da prótese final. “Para a higienização oral da prótese em boca, o bom e velho kit com escova de dentes, pasta e fio dental continua presente. Também indicamos escovas interdentais, o passa-fio (para auxiliar a ‘passagem’ do fio dental sob a prótese) e o irrigador oral, que é mais eficaz em comparação ao bochecho”, recomenda a especialista.

Por sua vez, as consultas precisam ser de uma a duas vezes ao ano. Durante a visita, o dentista remove as próteses e as higieniza fora da boca. Além disso, os implantes e componentes da prótese são avaliados para prevenir ou diagnosticar possíveis problemas.

Fonte: Fernanda Oliani Marur, cirurgiã-dentista e consultora técnica da clínica Oral Sin.