Prolactina alterada: causas e tratamentos

Gravidez e maternidade Saúde
22 de Março, 2022
Prolactina alterada: causas e tratamentos

É possível que as mamães saibam bem o que é prolactina. Conhecido como o “hormônio da amamentação”, é uma substância bastante comum (e esperada) em mulheres grávidas, mas que pode atingir um pico fora do período gestacional, se tornando assim a prolactina alterada. É a chamada hiperprolactinemia. 

O que é a prolactina? 

“A prolactina é um hormônio produzido na hipófise, uma glândula que fica localizada logo acima do nariz, no cérebro, e que aumenta durante o período gestacional e no pós-parto, para auxiliar na amamentação”, explica a Dra. Maria Fernanda Barca, doutora em endocrinologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. 

Importante notar que essa glândula (bem como a sua produção hormonal), existe em homens e em mulheres e a sua alteração, a hiperprolactinemia, acomete os dois sexos, em idade adulta e fértil, entre os 20 e 50 anos. 

Leia também: Saco de dormir para bebê: veja como escolher um modelo seguro

Excesso de prolactina = mais leite? 

Exatamente. A hiperprolactinemia tem um efeito adverso bastante comum: a produção de leite. Chamada galactorreia, é uma condição em que há produção de leite em homens ou em mulheres que não estão amamentando. 

De acordo com a médica, não necessariamente o leite vai “escorrer” pelo mamilo, como vemos em alguns filmes de comédia. Isso pode, sim, acontecer, mas, muitas vezes, a secreção aparece apenas quando o mamilo é espremido. 

Principais causas de prolactina alterada

A prolactina alterada no organismo tem um motivo, claro. Em geral, costuma ser uma resposta ao hipotireoidismo primário, principalmente pela Doença de Hashimoto. A tireoide “preguiçosa”, provocada pela condição, mexe com a produção hormonal no corpo. Assim, altera o sistema de feedback negativo que regula a liberação de hormônios, afetando também a hipófise e, por consequência, a produção de prolactina. 

“Na Síndrome dos Ovários Policísticos também é comum”, diz. “A pessoa pode ter ou não múltiplos cistos nos ovários, mas pode ter também um quadro de aumento dos hormônios masculinos, irregularidade menstrual, resistência à insulina e esse aumento da prolactina também.”

Traumas ou lesões na região torácica também são uma causa da hiperprolactinemia, assim como o estímulo proposital dos mamilos — quando a própria pessoa estimula a região ou quando um parceiro ou parceira o faz. Questões de saúde mental, como o estresse, podem acarretar num aumento dessa produção hormonal, assim como o uso de alguns medicamentos, como antidepressivos.  

Como acontece o tratamento da prolactina alterada? 

O principal ponto, de acordo com a endocrinologista, é afastar as possíveis causas até encontrar um responsável pela variação hormonal. Descartar causas sistêmicas, de uso de medicamentos, traumas, quadros de Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) ou até tumores na região da hipófise é essencial para determinar o tratamento adequado. 

Fontes: Maria Fernanda Barca, doutora em endocrinologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Medir a pressão arterial
Saúde

Medir a pressão arterial: veja novas recomendações

Veja novas recomendações da Sociedade Brasileira de Cardiologia

mulher se consultando com um médico
Bem-estar Saúde

Preparação para a bariátrica vai além dos exames e envolve mudanças de vida

Antes de entrar no centro cirúrgico, o candidato à cirurgia bariátrica percorre um caminho de preparação que promete mais do que a perda de peso: uma