Conheça os benefícios dos probióticos para quem tem diabetes

Alimentação Bem-estar
28 de Julho, 2021
Conheça os benefícios dos probióticos para quem tem diabetes

Os probióticos podem ser grandes aliados de quem sofre com diabetes tipo 2. Isso porque uma revisão de estudos recente mostrou que eles podem influenciar positivamente a microbiota intestinal, favorecendo o metabolismo da glicose e ajudando a reduzir a glicemia (nível de açúcar no sangue) em jejum.

Os resultados do trabalho mostram, por exemplo, que esses micro-organismos podem contribuir para o tratamento de pacientes com diabetes. Saiba mais a seguir:

O que são os probióticos?

Também chamados de bactérias do “bem”, os probióticos são micro-organismos vivos benéficos para a saúde humana. “Quando estão em equilíbrio, ajudam a manter a microbiota intestinal saudável, colaborando para o bom funcionamento do corpo”, diz a nutricionista Dayse Paravidino.

Os probióticos são essenciais para a digestão dos alimentos. Além disso, são capazes de neutralizar vírus causadores de doenças e ajudam a produzir certas vitaminas. Eles podem ser encontrados em alguns alimentos (iogurte, kefir, kombucha e chucrute, por exemplo) e em forma de suplementos.

Dentre os muitos benefícios desses bichinhos, estão o alívio da constipação, a recuperação da saúde intestinal após o uso de antibióticos e o fortalecimento do sistema imunológico.

Probióticos para quem tem diabetes

A profissional explica que tudo o que comemos impacta (positiva ou negativamente) a nossa flora intestinal. Desse modo, uma dieta rica em carboidratos refinados, como a farinha e o açúcar, destrói as bactérias saudáveis, permitindo a presença de micro-organismos maléficos e de toxinas no organismo. “Isso gera um processo inflamatório que, por sua vez, possibilita o surgimento de problemas como o desequilíbrio da tireoide e o ganho de peso — fatores de risco para o diabetes”, finaliza Dayse.

Ademais, para garantir que a microbiota funcione bem, é necessário apostar também no consumo de outro grupo: os prebióticos. Eles nada mais são do que itens ricos em fibras que funcionam como “alimento” para os probióticos. “O acompanhamento médico ou nutricional poderá ser útil na elaboração de um cardápio que contemple a individualidade da pessoa”, ressalta a nutricionista.

Leia também: Alimentos ricos em probióticos – além do iogurte

https://www.youtube.com/watch?v=ftIHSprosIo&t=387s

Sobre o autor

Amanda Panteri
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em alimentação saudável.

Leia também:

ator Cauã Reymond segurando um garfo e uma faca e usando um babador
Alimentação Bem-estar

Cauã Reymond mostra jantar saudável com sopa, frango e legumes

Ator compartilhou em suas redes socais o que comeu na noite de Dia dos Namorados (12/06). Confira o jantar de Cauã Reymond

personal ajudando aluno a fazer o exercício crucifixo inclinado na academia
Bem-estar Movimento

Crucifixo inclinado: como fazer corretamente para evitar dores

A posição do banco no crucifixo inclinado faz com que o exercício enfatize bem os músculos do peitoral. Confira o passo a passo

criança nadando na piscina
Bem-estar Movimento

Crianças podem (e devem) fazer natação no inverno!

Prática deve ser contínua mesmo no frio, pois aumenta imunidade e o gasto calórico. Veja os benefícios da natação no inverno para as crianças!