Ascite: o que é, causas, sintomas e tratamentos

22 de novembro, 2021

Mais conhecida como “barriga d’água”, a ascite é o acúmulo excessivo de líquido nas cavidades do abdome, causando assim o aspecto de barriga inchada. Em primeiro lugar, é importante saber que a ascite é um sintoma de várias doenças, que podem ser diagnosticadas a partir da análise do líquido mencionado. Confira, abaixo, as causas, sintomas e tratamentos para o problema.

Causas da ascite

Frequentemente, a ascite se manifesta em casos de cirrose hepática, por exemplo, além de disfunções renais, cardiopatias, certos tipos de câncer, síndrome de Budd-Chiari, desequilíbrios no sistema endócrino, entre outros. O líquido abdominal, chamado de ascítico, é composto principalmente de proteínas, e dependendo do problema de saúde, pode conter suco pancreático, bile e outras substâncias. 

Sintomas da ascite

Embora não seja uma doença, a ascite pode provocar desconfortos estéticos e alterar o bem-estar do indivíduo. Quando se trata de uma ascite volumosa, a pessoa pode sentir dificuldades para respirar, como resultado da pressão do líquido sobre o diafragma. Dores intensas causada pela distensão da parede abdominal também podem ocorrer. Além desses sitomas, confira outros que podem surgir:

  • Ganho de peso sem razão aparente.
  • Inchaço em outras partes do corpo, além do abdome.
  • Perda de apetite.
  • Náusea e vômitos.
  • Indigestão.
  • Perda de peso.
  • Aumento do fígado.
  • Fadiga em excesso.
  • Icterícia.
  • Edemas nos membros inferiores.
  • Sintomas e sinais em outros órgãos, como alterações no ritmo intestinal, por exemplo.

Diagnóstico e tratamento para a ascite

Logo após o surgimento dos sintomas, o médico solicitará uma avaliação por ultrassonografia para definir o local mais seguro da punção, feita habitualmente com anestesia local. 

Por fim, é importante destacar que a ascite tem cura. Todavia, o tratamento depederá da causa associada. Dessa forma, em casos cuja causa seja originária do fígado, como na cirrose ou em problemas renais, a redução do sódio (sal) na dieta é a primeira ação.

Tipos de tratamento mais comuns

  • Ocasionalmente, é necessária a ingestão de medicamentos diuréticos para eliminar o líquido abdominal.
  • Repouso costuma ser indicado.
  • Caso a doença associada seja cirrose hepática, é preciso parar de ingerir bebidas alcoólicas, pois elas acentuam ainda mais o problema.
  • Internação e uso de antibióticos podem ser solicitados pelo médico.
  • Se a ascite não regredir, pode ser necessária a intervenção invasiva, a paracentese abdominal. O procedimento é feito com anestesia local e agulha para extrair o líquido. O procedimento é realizado periodicamente, até que, por meio de tratamento clínico ou cirúrgico, a causa do problema seja resolvida.
  • Em casos de doenças hepáticas irreversíveis com tratamento clínico, o transplante de fígado pode ser indicado.
  • Em casos de doenças hepáticas em que o transplante não está indicado ou mesmo naqueles indicados onde a previsão de espera é longa, pode-se fazer um procedimento pelos vasos sanguíneos, chamado de cateterismo do fígado.

Fonte: Dr. Márcio Dias de Almeida, hepatologista e coordenador do serviço de transplante hepático do Hospital Moriah.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.