Novos casos de varíola dos macacos em SP não têm histórico de viagem

24 de junho, 2022

Nesta última quinta-feira (24), o Ministério da Saúde confirmou três novos casos de varíola dos macacos em São Paulo (SP). Diferentemente dos pacientes diagnosticados, essas pessoas não têm histórico de viagem em países com o vírus confirmado. Os três infectados são homens com idades entre 24 e 37 anos, que estão em isolamento e com estado de saúde estável e sem sintomas graves.

Além disso, os novos casos de varíola dos macacos estão em monitoramento pela secretaria de saúde para tentar descobrir o fator de transmissão. Atualmente o Brasil possui 14 pessoas infectadas com diagnóstico confirmado para o vírus — 10 pertencem a São Paulo, dois ao Rio Grande do Sul e dois ao Rio Janeiro. Desse total, 11 viajaram para a Europa, onde a enfermidade concentra um maior número de infecções.

Veja também: Afinal, o que fazer com a saída da Losartana do mercado?

Com os novos casos de varíola dos macacos, haverá vacinação em massa?

Estados Unidos, Canadá e países da Europa começaram a implementar uma vacinação de bloqueio utilizando a vacina contra a varíola humana. Contudo, o Brasil ainda não possui os imunizantes. Por outro lado, mesmo com o aumento de novos casos de varíola dos macacos, o país seguirá orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e não haverá vacinação em massa. Mas o imunizante será oferecido apenas para pessoas que tiveram contato com alguém infectado.

Sintomas da infecção

De acordo com Ana Karolina Marinho, membro do Departamento Científico de Imunização da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), os sintomas da varíola dos macacos são variados. Por exemplo:

  • Febre e dor de cabeça.
  • Dores musculares e nas costas.
  • Erupções na pele.
  • Calafrios e exaustão.

“A incubação do vírus é de 6 a 13 dias, podendo chegar a 21 dias. O período de transmissão da doença termina quando as lesões na pele desaparecem”, explica.