Não consegue perder gordura da barriga? Pode ser hormonal

Bem-estar Movimento
14 de Outubro, 2019
Não consegue perder gordura da barriga? Pode ser hormonal

Você malha na maioria dos dias da semana e come refeições saudáveis ​​o máximo que pode, mas, mesmo que os ponteiros da balança diminuam, não enxerga sucesso com a gordura da barriga. Sabia que a causa pode ser hormonal? Sim, alguns hormônios podem estar separando você de uma barriga chapada.

O excesso de peso ao redor da cintura pode ser o mais difícil de perder. Mas, se você se enxerga nessa situação, vale saber que o problema pode ser hormonal. Isso porque, à medida que envelhecemos, mesmo uma leve interrupção nos níveis hormonais pode fazer com que a gordura da barriga permaneça – ou aumente.

De fato, pesquisas sugerem que mulheres na pós-menopausa em terapia de reposição hormonal apresentam níveis mais baixos de gordura da barriga do que aquelas que não estão nessa fase. 

A boa notícia é que existem maneiras naturais de reajustar os níveis de hormônios. Reduzir a ingestão de açúcar, eliminar alimentos processados ​​de dieta e evitar laticínios, álcool e cafeína podem ajudar a redefinir os níveis de açúcar no sangue e a insulina.

Leia também: Perder gordura abdominal: 11 dicas para secar a barriga

Não consegue perder gordura da barriga? Pode ser hormonal

Aqui estão cinco sinais de que seus hormônios podem ser culpados da gordura da barriga. Ou seja, a famosa barriga hormonal.

A gordura da barriga é recente

Quem teve um estômago relativamente plano durante a maior parte da vida e, de repente, um pneu apareceu da noite para o dia, pode ser um sinal de que desenvolveu uma barriga hormonal. À medida que envelhecemos, o corpo pode se tornar mais resistente à insulina, levando o corpo a armazenar gordura em vez de queimar. As mulheres também se tornam dominantes em estrogênio conforme avança para a menopausa. O estrogênio promove a resistência à insulina, que causa o acúmulo de gordura na barriga.

Leia também: Saiba a hora do dia em que o corpo mais queima calorias

A vontade de comer aumentou

A resistência à insulina também pode ter alguns efeitos secundários em outros hormônios importantes, como a leptina. A leptina é o hormônio que alerta o corpo quando você está cheio, mas os níveis elevados de insulina também levam ao aumento da leptina.

A leptina elevada não significa que você tem mais chances de largar o garfo e parar de comer. Níveis consistentemente elevados desse hormônio podem levar a uma disfunção de seus receptores. Esses receptores param de enviar sinais ao cérebro para pedir para você parar de comer. Como resultado, você faz exatamente o oposto do que a leptina é projetada para controlar e continua a comer, nunca recebendo o sinal para parar.

Seu humor está oscilando

À medida que as mulheres entram nos anos pré e pós-menopausa, os níveis de estrogênio flutuam frequentemente, o que pode levar a mudanças de humor e ganho de peso ao redor da barriga. De acordo com um estudo da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, é por isso que as mulheres correm um risco maior de desenvolver transtornos de humor do que os homens. O estudo descobriu que os níveis de estrogênio nas mulheres flutuam com mais frequência durante eventos do ciclo reprodutivo e transições na menopausa.

Você se sente constantemente estressada (barriga de estresse)

Outro determinante na gordura da barriga hormonal é o cortisol, popularmente conhecida como barriga de estresse. Muitas vezes chamado de hormônio do estresse, os níveis de cortisol aumentam quando o corpo sente que você está sobrecarregado de ansiedade, o que pode levar a um ganho de peso localizado. Níveis altos de estresse e ansiedade podem enviar o corpo para o modo de sobrevivência, o que aumenta os níveis de cortisol e sinaliza para que o corpo armazene mais gordura.

Você está exausta, mas não consegue dormir

Por fim, insônia e exaustão podem ser sinais reveladores de que os hormônios são responsáveis ​​pelo seu ganho de peso abdominal. A falta de sono causa fadiga, o que leva ao estresse e à insônia. Todas essas coisas vão mexer com os hormônios, especificamente os níveis de cortisol. O alto cortisol pode levar à diminuição dos níveis da tireóide, o que pode causar ganho de peso na cintura. Também pode diminuir os hormônios do crescimento, responsáveis ​​pela construção dos tecidos, crescimento muscular e saúde geral.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

chá de boldo
Alimentação Bem-estar

Chá de boldo: para que serve, benefícios e como fazer

O chá de boldo é utilizado para tratar uma variedade de problemas digestivos, como má digestão, gases, azia, constipação e diarreia

prato com ovos, bacon, espinafre e tomates-cereja, ingredientes típicos da dieta cetogênica
Alimentação Bem-estar

Dieta cetogênica é indicada para emagrecer e desinchar; cardápio de 7 dias

Saiba tudo sobre a estratégia alimentar que conquistou muitas famosas

Creatina na menopausa
Alimentação Bem-estar Saúde

Creatina na menopausa: suplemento ameniza efeitos e promove bem-estar

A suplementação surge como uma alternativa promissora para combater os efeitos negativos da menopausa e promover o bem-estar feminino