Por que as mulheres são mais sujeitas ao Alzheimer?

Saúde
14 de Julho, 2020
Por que as mulheres são mais sujeitas ao Alzheimer?

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa em que ocorre uma deterioração das funções cerebrais, como perda de memória e da linguagem. A idade é o fator mais prejudicial para desenvolver Alzheimer, pois à medida que você envelhece, maior é o risco de desenvolvê-la. No entanto, segundo um estudo publicado na revista acadêmica “Neurology”, da Academia Americana de Neurologia, as mulheres são mais afetadas por essa doença do que os homens.

O estudo contou com 85 mulheres e 36 homens, com idade média de 52 anos e uma saúde estável, sem comprometimento cognitivo. Assim, os participantes realizaram exames de tomografia e ressonância magnética para verificar a existência de biomarcadores associados ao Alzheimer. 

Os homens e mulheres foram comparados em quatro áreas principais para descobrir o risco de biomarcadores de Alzheimer. Como: volumes de substância cinzenta e branca no cérebro, níveis de placas beta-amilóides e a taxa na qual o cérebro metaboliza a glicose, uma indicação de atividade cerebral.

Dito isso, os resultados mostraram nas quatro áreas principais, as mulheres tinham pontuações menores. 

Leia também: Conheça o nutriente que pode prevenir o Alzheimer

Para os pesquisadores, as descobertas sugerem que mulheres de meia-idade podem ter mais riscos de contrair a doença, talvez por causa dos níveis mais baixos do hormônio estrogênio durante e após a menopausa

De acordo com outro estudo, um dos maiores fatores de risco biológico para a doença de Alzheimer vem de um gene chamado APOE4. Desse modo, mulheres com esse gene correm mais riscos de desenvolver a doença do que os homens. Contudo, são necessários mais estudos que acompanhem os participantes durante um período de tempo maior.

Leia também: Como o chá pode prevenir demência e Alzheimer

Sintomas de Alzheimer

  • Memória falha para acontecimentos recentes;
  • Dificuldade para acompanhar conversas ou pensamentos complexos;
  • Incapacidade de elaborar estratégias para resolver problemas;
  • Dificuldade para dirigir automóvel;
  • Irritabilidade;
  • Agressividade;
  • Interpretações erradas de estímulos visuais ou auditivos.

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.

Leia também:

corrida
Bem-estar Movimento Saúde

Como proteger garganta e ouvidos na corrida durante o inverno

É necessário tomar os devidos cuidados para proteger garganta e ouvidos durante a corrida no inverno. Saiba mais!

5 hábitos saudáveis para enxaqueca
Saúde

5 hábitos saudáveis para enxaqueca

A enxaqueca é uma doença crônica que causa um tipo de dor de cabeça latejante

Mortes por AVC
Saúde

Mortes por AVC podem ser associadas às temperaturas extremas

Mais de meio milhão de pessoas tiveram AVC relacionados às temperaturas extremas – muito calor ou muito frio