Mortes precoces por câncer de intestino devem aumentar até 2030, aponta o INCA

Saúde
31 de Janeiro, 2023
Mortes precoces por câncer de intestino devem aumentar até 2030, aponta o INCA

De acordo com uma nova pesquisa do Instituto Nacional do Câncer – INCA, até 2030 os números de mortes precoces por câncer de intestino devem aumentar em 10%. Na prática, isso significa dizer que em 7 anos, cerca de 27 mil pessoas podem morrer em decorrência da condição.  Nesse sentido, é necessário ligar o alerta já que o câncer intestinal pode se desenvolver de modo assintomático, ou seja, sem que o paciente perceba alterações em seu estado de saúde. Continue lendo e saiba mais.

Veja também: Quimioterapia antes da cirurgia: Entenda o tratamento contra o câncer de Preta Gil

Mortes precoces por câncer de intestino

O câncer de intestino em pessoas mais jovens é cada vez mais comum, como é o caso da Preta Gil, 48 anos, e Simony, 46 anos. De acordo com o Atlas da Mortalidade por Câncer, só em 2020 foram registrados 20.245 óbitos por câncer no intestino no Brasil.

Agora a nova pesquisa publicada na revista científica Frontiers in Oncology aponta uma projeção do número de mortes com base no período de 2011 a 2016, indicando que até 2030, o total de óbitos precoces pode chegar a 27 mil óbitos, sendo 14 mil são esperados em homens e 13 mil em mulheres. Assim, o INCA considera morte precoce àquelas ocorridas entre 30 e 69 anos. 

O estudo aborda ainda vários tipos de câncer, no entanto, o câncer de intestino passou a ser o principal alvo do estudo ao apresentar um alto índice de mortalidade em todas as regiões do Brasil. A pesquisadora da Coordenação de Prevenção e Vigilância do INCA Marianna de Camargo Cancela explica o motivo da curva acentuada da pesquisa. “O Brasil passa pelo que chamamos de transição demográfica e epidemiológica, na qual, além do envelhecimento populacional, coexistem fatores de risco tanto para doenças crônicas quanto para infecciosas. O câncer de intestino tem alta incidência em países desenvolvidos, e as regiões mais urbanizadas do país vem apresentando também esta tendência”.

Principais causas 

A maioria dos casos não tem causa conhecida, mas a doença ocorre mais em pessoas que:

  • Têm excesso de gordura corporal;
  • Consomem carnes vermelhas, como carne de vaca, porco e cordeiro, por exemplo, acima da quantidade recomendada;
  • Consomem com frequência carnes processadas, como bacon, presunto, mortadela, salame, peito de peru defumado, salsicha e linguiça;
  • Têm uma alimentação pobre em fibras;
  • São fumantes e consomem bebida alcoólica.

No entanto, a experiência pessoal ou familiar de pólipos, doenças inflamatórias intestinais ou câncer também aumenta as chances do aparecimento deste câncer. Dessa forma, a condição pode ser assintomática ou apresentar indícios como:

  • Sangue nas fezes;
  • Diarreia ou prisão de ventre;
  • Desconforto abdominal;
  • Alteração do formato das fezes – finas e compridas;
  • Anemia;
  • Fraqueza;
  • Perda de peso imotivada.

Tratamento e prevenção

O tratamento, por sua vez, é variável. Assim, pode incluir quimioterapia, radioterapia e cirurgia, por exemplo. Felizmente, de acordo com o INCA, o câncer de intestino é uma doença tratável e frequentemente curável. Por isso, é essencial manter os exames de rotina em dia, favorecendo o diagnóstico precoce.

Por fim, apesar de não ser possível mudar os fatores genéticos que tornam as pessoas propensas ao câncer, os riscos podem ser reduzidos com medidas simples e que estão relacionadas a um estilo de vida saudável. Assim, confira dicas de prevenção:

  • Pratique atividades físicas regularmente;
  • Evite o tabagismo;
  • Evite o consumo de bebidas alcoólicas, alimentos gordurosos, carne vermelha e embutidos;
  • Além disso, ingira diariamente fibras (25 a 30g), frutas e verduras (2 a 5 xícaras);
  • Tenha uma dieta rica em vegetais. Portanto, invista em hortaliças como brócoliscouve-flor, couve-de-bruxelas e repolho, que ajudam no desempenho intestinal e evitam inflamações.

Referências: Manual MD.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Quem não pode tomar vacina da dengue
Saúde

Quem não pode receber a vacina da dengue?

Faltam testes sobre a segurança e eficácia da vacina em determinados públicos; veja quais são

foto de folhas de citronela em uma bandeja de bambu
Bem-estar Casa Saúde

Planta citronela espanta mosquito da dengue?

A planta possui um óleo essencial desagradável para alguns insetos. Contudo, a citronela não deve ser a única estratégia para espantar o mosquito da dengue

Cinco habitos
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Cinco hábitos indispensáveis para a saúde

Para iniciar uma mudança de comportamento, confira cinco atitudes simples para incorporar no dia a dia que trazem benefícios no futuro