Escova, esponja, esfregão… Quando trocar os materiais de limpeza da casa?

15 de março, 2022

Para manter a limpeza da casa em dia, usar a clássica combinação água + sabão + material de limpeza (como buchas, escovas e esponjas) sempre dá certo. Com exceção dos itens da cozinha, esses utensílios não são tão usados diariamente e, por isso, podem acabar ficando mais tempo do que deveriam na despensa. Por isso, estar atento a quando eles devem ser trocados é importante.

Segundo a infectologista Flávia Cohen, materiais de limpeza costumam ser usados por diversas semanas (e até meses!), mas devem ser trocados a cada 15 dias. “Se forem usados constantemente, o ideal é que a troca seja feita semanalmente. As esponjas devem ser mantidas por somente uma semana”, conta. O mesmo vale para esponjas de banho de material vegetal. Já as de outros materiais duram mais, chegando a até duas semanas.

Para as esponjas de cozinha, é importante não deixar que o material fique molhado na pia. A especialista recomenda retirar o excesso de água e em seguida, colocar em um local seco, para tirar a umidade. “Geralmente, as pessoas costumam fazer de tudo com a esponja de louça. Lavar os itens, limpar o fogão, lavar recipientes onde guardaram carne… Isso é um show de bactérias, não deve ser feito”, aponta.

E as escovas de dente?

“A escova de dente tem validade de 3 meses. Contudo, o recomendado é que o prazo seja menor (2 meses), para garantir que não haja riscos. Uma forma de descobrir se o objeto deve ser trocado é analisar o item e perceber se há algum tipo de mudança nas características do produto, como cheiro, a cor e textura”, explica Cohen.

Leia também: Por que limpar e organizar é terapêutico quando estamos estressados?

Na hora de armazenar as escovas no dia-a-dia, muitas pessoas têm o costume de deixá-las dentro de canecas ou também em potes tampados no banheiro. A infectologista explica que por mais que seja comum pensar que materiais com tampas ou caixas de plástico sejam a melhor saída, o que ocorre é o contrário.

“Esses objetos que são vendidos como ajudantes aumentam as chances de multiplicação de bactérias. Se o vaso sanitário estiver sempre fechado até na hora de dar descarga, a escova pode ficar sobre a bancada. Para quem, mesmo assim, sente receio, pode usar um antisséptico bucal na escova de dente”, diz a especialista.

Material de limpeza pode trazer malefícios para a saúde?

Por estarem em contato direto com a umidade e serem absorventes, os materiais de limpeza acumulam muitos micro-organismos. Cohen explica que esses itens em casa podem virar abrigo para mais de 600 milhões de fungos e bactérias, caso já estejam velhos e com a validade ultrapassada. Eles podem causar danos à saúde de quem os manuseia, gerando problemas pulmonares — principalmente para pessoas que possuem baixa imunidade, como idosos e crianças.

Bucha vegetal além do banheiro

“Engana-se quem acredita que a bucha vegetal só pode ser usada no banho: ela também pode ser um material de limpeza da casa. Nas tarefas domésticas, ela é recomendada para móveis de vidro, madeira e azulejos, já que ela não risca esses objetos, e também pode ser utilizada para lavar louças. Já no banho, ela é boa por promover uma esfoliação natural da pele. Além disso, é um produto ecológico, já que não causa grandes danos ao meio ambiente”, completa Cohen.

Dica útil: Cohen reforça que os itens usados no banheiro não devem ser utilizados em outros ambientes da casa, pois as chances de contaminação são altas. Eles também devem ser descartados após o uso, já que cuidam do ambiente mais sujo do lar.

Fonte: Flávia Cohen, infectologista (CRM – RJ: 52.75327-0)

Sobre o autor

Gabriela Ferreira
Jornalista e Repórter da Vitat.