Mamografia: como é feito o exame e quem deve realizá-lo

Saúde
04 de Fevereiro, 2022
Mamografia: como é feito o exame e quem deve realizá-lo

Pouca gente sabe, mas diagnosticar precocemente o câncer de mama faz com que a chance de cura chegue a 95%. Dessa forma, uma das formas de prevenção é realizar a mamografia, exame para detecção de alterações malignas nas mamas.

De acordo com estimativas do Instituto Nacional de Câncer, o Brasil deve ter registrado mais de 60 mil novos casos de câncer de mama em 2021. Além disso, a doença é o segundo tipo de câncer mais comum entre mulheres no Brasil e no mundo.

O que é a mamografia?

A mamografia é um procedimento simples que consiste em um exame de imagem por radiografia para identificar lesões e alterações nas mamas. Com duração entre 15 e 30 minutos aproximadamente, é um dos mais tradicionais aliados para a detecção precoce do câncer de mama. Além da doença, o exame também identifica lesões, nódulos e assimetrias nas mamas.

Quando detecta o câncer de mama ainda em estágios iniciais, é possível realizar o tratamento clínico e cirúrgico com uma abordagem menos agressiva, gerando um tratamento mais tranquilo, com maiores chances de recuperação rápida e melhora na qualidade de vida da paciente.

Quando fazer a mamografia

A mamografia é recomendada para mulheres entre 50 e 69 anos, que devem realizá-la a cada dois anos. No entanto, em alguns casos o exame deve ser feito antes. Para mulheres com histórico familiar de câncer de mama, por exemplo, sugere-se que o exame seja feito anualmente a partir dos 35 anos de idade. 

Dessa forma, o exame é contraindicado para mulheres que não atingiram a idade mínima recomendada para realizar a mamografia e para gestantes. 

Como o exame é feito?

A mamografia é feita pelo mamógrafo, aparelho que comprime a mama para fornecer imagens de alta qualidade. Durante o exame, a mulher deve estar posicionada em pé, de modo que o seio fique entre as duas placas do mamógrafo. Para o procedimento ser eficaz, a mulher deve se manter imóvel e segurar a respiração quando o profissional solicitar. 

O exame costuma ser indolor, porém incômodo para algumas pessoas, pois se aperta a mama durante o procedimento. O desconforto é rápido, mas importante para que o exame tenha boa qualidade e permita identificar as lesões bem no início. Para não interferir nas imagens, recomenda-se que, no dia do exame, não utilize desodorante, talco e outros produtos na região das mamas. 

Mamografia x ultrassom das mamas

Muita gente se pergunta: qual a diferença entre a mamografia e o ultrassom das mamas? Como já falamos, a mamografia é um tipo específico de radiografia que possibilita a identificação precoce de alterações nas mamas, como calcificações, nódulos e tumores, que podem ser malignos ou benignos. 

Já o ultrassom da mama é um exame de imagem que permite detectar lesões presentes nas mamas, especialmente nas mamas mais jovens e densas. Com o exame é possível visualizar nódulos, cistos, secreções nos mamilos, espessamento do tecido mamário e outras alterações. No entanto, o exame não identifica o câncer de mama, mas auxilia na identificação e confirmação do diagnóstico em caso de suspeita da doença.

Quem tem silicone pode fazer o exame?

A prótese de silicone nos seios não impede a realização da mamografia. Se esse for o caso da paciente, é preciso informar ao técnico para que ele realize o exame com menor compressão. Como a prótese dificulta a visualização das glândulas e tecido mamário, o técnico fará mais imagens do que um exame normal.

Sobre o autor

Fernanda Lima
Jornalista e Subeditora da Vitat. Especialista em saúde

Leia também:

Medir a pressão arterial
Saúde

Medir a pressão arterial: veja novas recomendações

Veja novas recomendações da Sociedade Brasileira de Cardiologia

mulher se consultando com um médico
Bem-estar Saúde

Preparação para a bariátrica vai além dos exames e envolve mudanças de vida

Antes de entrar no centro cirúrgico, o candidato à cirurgia bariátrica percorre um caminho de preparação que promete mais do que a perda de peso: uma

tempo em frente às telas
Alimentação Bem-estar Equilíbrio Saúde

Maior tempo em frente às telas está associado à piora da dieta de adolescentes

Pesquisa brasileira avaliou dados de 1,2 mil adolescentes e constatou que a maioria gasta mais de 2 horas de tempo em frente as telas